Com a chegada dos playoffs da NFL, chegou a hora de fazer uma análise da pós-temporada para o Kansas City Chiefs. Dessa vez, para fecharmos essa série, vamos falar sobre o atual campeão do Super Bowl e time de melhor campanha na AFC. Confira abaixo como foi a temporada regular do time de Andy Reid e o que podemos esperar do Chiefs nos playoffs.

A temporada regular

Com uma campanha 14-2, o Kansas City Chiefs assegurou o título da AFC West pelo quinto ano consecutivo e conquistou a primeira seed na Conferência Americana. Por isso, garantiu folga na rodada de Wild Card e jogará em casa enquanto estiver nos playoffs.

Em uma Conferência competitiva como foi a AFC em 2020, os Chiefs foram extremamente efetivos e, apesar de deixar algumas dúvidas no final da campanha regular, chegam à pós-temporada com força para o bicampeonato.

Em praticamente todos os jogos da temporada, o time de Patrick Mahomes entregou aquilo que esperávamos: um ataque explosivo, com muitos recebedores com talento e um quarterback mais que acima da média. Mais maduro, Mahomes se consolidou como um QB capaz de vencer jogos em drives rápidos e, sobretudo, como um líder dentro de campo.

Além disso, com a adição de Le’veon Bell e do calouro Clyde Edwards-Helaire, o ataque corrido de Kansas City ganhou poderosas armas pelo chão. Algo que, aliás, na temporada de campeão não foi necessariamente determinante para os Chiefs durante a temporada regular. Para exemplificar, nessa temporada, Kansas teve o 16º melhor ataque corrido da liga, com 1799 jardas totais; já na temporada passada foi 23º, com 1569.

Preocupações no caminho

A maior preocupação em relação ao desempenho da equipe se deu com a dificuldade do time de Kansas City de fechar os jogos. Isso porque, em mais de uma partida na temporada, vimos o time de Andy Reid abrir grandes vantagens durante o jogo e ver o conforto diminuir com o ataque tornando-se previsível ou ineficaz.

Em jogos como contra os Buccaneers e os Dolphins, por exemplo, KC venceu com uma estranha sensação de que o placar foi muito mais justo do que deveria.

Nesse sentido, sem dúvidas a linha ofensiva foi um problema durante toda a temporada regular. Com desfalques, a unidade encontrou dificuldade em proteger Patrick Mahomes, o que complicou um pouco a vida do quarterback.

Melhora na defesa?

Por outro lado, assim como no ano passado, a defesa dos Chiefs apresentou uma melhora durante a temporada regular. Nas últimas partidas, nas ocasiões em que o ataque encontrava dificuldades em conseguir fechar os jogos, a defesa cresceu e venceu jogos. O que, portanto mostra que ela pode ser sólida. Além disso, vale ressaltar que a defesa dos Chiefs foi a décima que menos cedeu pontos durante as partidas.

As duas derrotas na temporada vieram contra adversários de divisão. A primeira, contra o Las Vegas Raiders e a segunda contra o Los Angeles Chargers, já com Kansas City poupando jogadores após garantir a Seed 1.

O que esperar da pós temporada

O Kansas City Chiefs é um dos favoritos a ganhar o SuperBowl. Em Las Vegas, é o favorito. No entanto, com o crescimento do Buffalo Bills nas rodadas finais da temporada regular, colocou-se uma pulga atrás da orelha de alguns em relação ao favoritismo do time de Patrick Mahomes na pós-temporada.

Na prática, os Chiefs terão duas semanas de descanso (a semana 17, em que titulares foram poupados e a primeira semana da pós temporada) até entrarem em campo pela primeira vez, na rodada divisional dos playoffs. Com isso, são esperados ajustes para que os problemas vistos em diversas partidas da temporada regular não apareçam durante os jogos decisivos.

No mata-mata, todo cuidado é pouco. Kansas City precisa se mostrar capaz de finalizar jogos com mais tranquilidade e seu ataque precisa se mostrar aquilo que esperamos, que é uma unidade capaz de anotar pontos em simplesmente todos os drives de um jogo.

O talento continua

Patrick Mahomes, apesar de um fim de temporada menos explosivo, jogou a nível de MVP. Portanto, deve, mais uma vez, ser determinante no sucesso de Kansas City na pós-temporada.

Além disso, Travis Kelce teve, provavelmente, o melhor ano da carreira. Isso porque, ele recebeu 105 passes, recebu 1416 jardas e anotou 11 touchdowns, todos esses números são recordes na sua carreira. Portanto, ele deve continuar sendo o alvo de segurança do camisa 15. Entre os wide recievers, Tyreek Hill segue sendo um verdadeiro playmaker. Ele, nesta temporada, igualou o maior número de passes da sua carreira (87), e contribuiu com 17 touchdowns e 1399 jardas.

Por último, o potencial da defesa dos Chiefs de jogar bem deve ser consolidado nas partidas de playoffs. Principalmente, se pensarmos em uma potencial final de conferência contra os Bills, que têm um ataque tão poderoso e criativo como o de Kansas City.

Por isso, é aí que entra a capacidade técnica de Tyrann Mathieu, líder do time em interceptações (6), que é um dos principais nomes da unidade. L’Jarius Sneed também se mostrou um jogador interessante na defesa além, é claro, Kansas City sempre conta com a explosão de Chris Jones.

Apesar de todas as dúvidas e problemas apontados, é impossível considerar um time que tem Andy Reid como head coach e Patrick Mahomes como quarterback menos do que favoritos para o título.

Assim, o Kansas City Chiefs chega forte em busca do bicampeonato.

DEIXE UMA RESPOSTA