George Kittle pode se tornar o tight end mais bem pago da NFL em alguns meses. Mas, analisando friamente, vale mesmo a pena?

Em 2020, 145 tight ends receberão mais do que George Kittle; nomes como Nakia Griffin-Stewart ou Farrod Green estão acima do jogador de Iowa, que neste ano chega ao final de seu contrato com os 49ers. Mas, Kittle é um jogador que está simplesmente destinado a uma extensão que destrua o mercado de tight ends, seja em 2020 ou na offseason de 2021. No entanto, vale mesmo a pena pagar tanto?

Quão bom Kittle realmente é?

Em três anos em San Francisco, Kittle foi titular em 37 jogos e obteve 65 jardas por jogo, superando grande parte dos tight ends históricos, como Kellen Winslow ou Jason Witten, e só ficando abaixo de Travis Kelce e Rob Gronkowski, dois dos melhores na posição. 

Depois de duas temporadas passando as 1.000 jardas aéreas, Kittle tem se tornado indispensável tanto como recebedor quanto como blocker no esquema focado na corrida de Kyle Shanahan. Em 2019, após uma temporada fantástica, e ser selecionado como first-team All-Pro pela primeira vez na carreira.

Além disso, Kittle também foi o vencedor do Dwight Stephenson Award pelo Pro Football Focus; prêmio dado ao melhor jogador na NFL, independente de posição.

E quanto vale um Tight End como Kittle?

Foto: Associated Press

Atualmente, os dois tight ends mais bem pagos na NFL são Hunter Henry (Chargers) e Austin Hooper (Browns), com o salário anual de pouco mais de dez milhões. E com um ano a mais de carreira na NFL, nenhum dos dois se mostraram possuir tamanha produção em suas especialidades; nem chegando aos pés das estatísticas de Kittle. Mas, quanto vale um tight end? 

É difícil contabilizar uma posição que pode incluir jogadores que só sabem receber e outros que apenas servem para bloquear; mas o talento de George Kittle de ambos os lados o coloca acima de qualquer outro TE atualmente.

Dependendo de quando o contrato venha a ser assinado, e levando em consideração algumas outras variáveis, é possível considerar um valor entre 15 e 20 milhões sendo destinado ao tight end por ano. Na NFL, existem apenas 11 recebedores que ganham mais de 15 milhões por ano; e apenas dois que ganham um valor superior a 20 milhões: Julio Jones e Amari Cooper.

E apesar de argumentos serem possíveis para valores menores (para ajudar os 49ers com o cap) ou maiores (pelo seu valor para o time); esses ainda seriam os valores mais próximos do “justo” nesse caso. 

Vale a pena lembrar o caso de Dak Prescott, que jogou com um dos menores salários na NFL, totalizando 5 milhões em 4 anos e levando seu time para os playoffs em dois deles. Com um contrato tão baixo, é possível afirmar que Dak não merece apenas um contrato que reflita sua habilidade, mas também um tipo de “bônus” por ter jogado por um preço tão baixo sem muitas reclamações. O mesmo pode servir para Kittle, que jogou por um preço menor ainda e com uma performance superior a Prescott em seus três anos. 

Como esse contrato afeta os 49ers?

Foto: USATSI

Apesar de uma das maiores notícias da offseason ser como o time de São Francisco perderia grandes peças parte da sua conquista da NFC West; o time conseguiu reter um número bom de jogadores competentes e ainda com cap de sobra. 

Esse ano, os Niners teriam os 15 milhões estipulados para pagar uma extensão de George Kittle, apesar de um certo aperto depois disso. Mas, em 2021 o time tem dinheiro de sobra para qualquer possível extensão de qualquer um de seus talentos junto ao seu tight end; Richard Sherman é um dos maiores nomes que deixaria São Francisco junto a Kittle, porém o time tem dinheiro suficiente para manter ambos.

Em 2022 o time possuirá apenas 26 jogadores sob contrato dos 51 necessários, mas ainda espaço suficiente em seu cap para engolir a maior parte da possível extensão e sobrar dinheiro para algumas contratações de bons jogadores para que o time continue competitivo. 

Como isso afeta o mercado da NFL?

Foto: Leon Bennett/Getty Images

Com o contrato de Kittle no horizonte, vários tight ends, e até alguns recebedores, podem estar olhando com muita antecipação. Mesmo se seu contrato for decepcionante, o valor de qualquer tight end automaticamente duplica, coisa que pode trazer complicações para alguns times. Por outro lado, recebedores podem ser ver na situação de pedir um valor equivalente a estrela de São Francisco, já que a posição de tight end é tão desvalorizada. 

No final das contas, a maior parte do cap que crescer nos próximos anos vai ser possivelmente direcionado a recebedores em geral; com um possível esforço dos times em segurar contratos de outras posições valiosas;

O que isso significa?

George Kittle vai se tornar o tight end mais bem pago da NFL, e isso terá alguns efeitos colaterais que podem afetar a liga a inteira dentro de alguns anos. Porém, o TE de Iowa fez de tudo e mais um pouco para não só receber esse contrato, mas para ser considerado um dos melhores jogadores do futebol americano em atividade. 

DEIXE UMA RESPOSTA