A Caixa de Milwaukee

Contada pelo poeta grego Hesíodo, a “Caixa de Pandora” trata sobre a história de um titã que presenteou os homens com o fogo para que dominassem a natureza. Zeus, havia proibido a entrega desse dom à humanidade e como vingança criou Pandora, a primeira mulher.

Antes de enviá-la à Terra, entregou-lhe uma caixa, recomendando que ela jamais fosse aberta pois dentro dela os deuses haviam colocado um arsenal de desgraças para o homem, como a discórdia, a guerra e todas as doenças do corpo e da mente, e um único dom: a esperança. O resto da história vocês já sabem. Pandora abriu a caixa, e todos os bens escaparam, exceto a esperança. Obviamente essa história tem ligação com a derrota de ontem para os Wizards, logo veremos.

O Jogo em Si:

Uma tia minha costumava dizer: se for para falar mal, melhor que nem fale nada. Essa mesma tia costumava ser conhecida como a mais fofoqueira do bairro. Daí outra sábia frase dessa mesma tia: faça o que digo, mas não faça o que eu faço. Difícil abordar o Milwaukee Bucks sem falar, ao menos um pouco, do quão toscas e tacanhas foram as partidas recentes. Tentarei ser cortês com as palavras.

O Primeiro Quarto do jogo começou bem nervoso. Os Bucks frios no ataque conseguiram pontuar graças e apenas aos vários turnovers do Washington. Dos primeiros 20 pontos, 10 vieram de turnovers. Isso sem contar um Grayson Allen inspiradíssimo. Os Wizards demonstraram de maneira categórica uma defesa do perímetro várzea, porém fecharam muito bem a área pintada. De maneira resumida, o Washington Wizards é um time equilibrado, com bons valores no ataque, um elenco entrosado e uma estrela decisiva. O primeiro quarto ficou igualado e isso até fez sentido.

O jogo continuou bem controlado no 2°Q – a paz reinava e um Arco-íris ecoava entre os céus do Wisconsin – contudo, observei alguns aspectos que me chamaram atenção. Primeiro, o alto “Pace” das duas franquias durante a partida. Esse ritmo acelerado gerou diversos turnovers.

O lado interessante foi notar como os Bucks versão 21/22, não estão preparados para jogarem em um ritmo tão alto, primeiro por conta da característica dos seus jogadores, segundo porque seu principal armador tem estilo cadenciado. Quando o “Pace” estava alto o Washington foi melhor no jogo. O Bucks ainda assim explorou bem o espaço deixado no perímetro e foi para o intervalo liderando o placar.

ATENÇÃO: a partir de agora o texto passa de uma aventura para um terror psicológico mal dirigido.

Em dado momento o Washington abriu mão totalmente da marcação do perímetro, focando em deter as jogadas da área pintada do Milwaukee, que praticamente inexistiam. Já os Bucks faziam um bom trabalho na defesa salvo duas questões: 1) As trocas de marcação continuam lentas, ainda mais quando envolve o banco. 2) As dobras estão sendo muito mal executadas. Parece bobeira eu falar disso, mas esses aspectos foram providenciais para os Bucks serem campeões.

O Wizards foi muito competente em explorar o desespero dos Bucks do meio do 3°Q para frente. Abriram 14 pts de diferença no quarto. Até podíamos criticar a rotação com: Ojeleye, Hill, Pat e Thanasis juntos, mas é preciso assumir que o time é limitado e o pior, o trabalho técnico não está dos melhores.

Por favor, jamais diga: tal jogador é mal defensor ou, tal jogador é bom, baseado em uma jogada específica. Não consigo analisar com totalidade a individualidade de cada atleta com tantos problemas coletivos ao redor. Concordo que a rotação é um problema e que o Budholzer não treina este time para ser: coeso, entrosado, equilibrado psicologicamente e com uma identidade de jogo.

Resumo – Enceramento:

Os Bucks pegaram muito mais rebotes ofensivos, fizeram menos faltas, cometeram menos turnovers e arremessaram muito mais (em volume). COMO? Como esse time perdeu? Os Wizards não perderam a cabeça em nenhum momento. Beal foi muito superior a Giannis (o faz tudo), a defesa não desmoronou mesmo com problemas e seu trabalho com bola está ANOS LUZ a frente desse Milwaukee Bucks.

Com esse elenco ainda há esperança, ou vamos ter de esperar Brook, Middleton e Donte voltarem? Quando Pandora abriu a caixa todos os bens escaparam, exceto a esperança. Me pergunto se quando aberta sobrará ao menos a esperança dentro caixa de Milwaukee.

DEIXE UMA RESPOSTA