Apesar de um front seven eficiente em 2019, a secundária era principal força da defesa do Patriots. O melhor para o time seria as duas unidades equilibradas, um pass rush forte deixa pouco tempo para o quarterback adversário no pocket fazer todas as leituras e pode forçar um passe rápido, ajudando no trabalho da secundária em fazer as marcações nos recebedores. 

Na offseason, o Patriots perdeu suas referências da posição de linebacker, Jamie Collins e Kyle Van Noy assinaram com outros times e Dont’a Hightower optou por ficar de fora da temporada em decorrência da pandemia do COVID-19.

Na free agency chegaram Brandon Copeland (LB), Adrian Phillips (S), Cody Davis (S), Michael Jackson (CB) e Beau Allen (DT), Josh Uche (LB), Anfernee Jernnings (LB) e Kyle Dugger (S) via draft. 

E como fica a defesa depois disso?

John Simon (EDGE) chegou em 2018 a New England, participou de 14 jogos no ano com 2,5 sacks e 4 QB hits. Em 2019, com a saída de Trey Flowers, ele ganhou mais espaço na rotação e esteve em 17 jogos com 4 sacks, 9 QB hits, 1 fumble forçado. Na última temporada (2019), Simon esteve em 533 de 1017 snaps defensivos do Patriots e 194 de 474 snaps no special team. Simon novamente deve ter um papel importante no pass rush de New England. 

Ja’Whaun Bentley (LB) vai para a terceira temporada pelo Patriots e terá a chance de desempenhar papéis fundamentais na defesa. Com as saídas de Collins, Van Noy e Hightower, Bentley assumirá a primeira opção pela posição, principalmente pelo meio da linha do Patriots. Jogando apenas 294 snaps defensivos em 2019, teve um bom desempenho contra o jogo terrestre, conseguindo 30 tackles e um para perdas de jardas. Atuando principalmente como um blitzer de segundo nível, pressionou o quarterback 4 vezes. Bentley também é eficiente na proteção ao passe.

Chase Winovich (EDGE) foi selecionado no draft 2019 e teve um bom impacto na equipe. Participou de todos os jogos da temporada (17) na rotação do pass rush, 5,5 sacks, 17 tackles (4 para perdas de jardas), 10 QB hits. Winovich participou de 293 snaps defensivos sendo 237 quando era situação de passe. O produto de Michigan foi bastante utilizado no special team, em 57% dos snaps da equipe, contra o Giants, ele marcou um touchdown após bloquear o punt. Pela personalidade e desempenho dele demonstrado durante o college e em seu primeiro ano na NFL, Winovich deve ter mais snaps e é forte candidato ao breakout year. 

Brandon Copeland (LB) foi um dos que chegaram na offseason. Copeland estava jogando pelo Jets nas duas últimas temporadas (2018 e 2019), seu melhor ano na liga foi em 2018, quando participou de 16 jogos (611 snaps defensivos) com 5 sacks, 24 tackles (8 para perdas de jardas), 14 QB hits, esteve 39 vezes em blitz com 27 pressões ao quarterback. Em 2019, foi punido nos 4 primeiros jogos da temporada por violar a política de substâncias da NFL, e jogou quase metade dos snaps do ano anterior, 337. Copeland é um jogador que também ajudará no special team, em todas as temporadas (exceto de 2019) esteve em mais de 60% dos snaps dos times especiais. O recém chegado a New England segue o padrão de Bill Belichick, versátil, pode alinhar no lado externo ou atacar o pocket pelo meio da linha, além de ser utilizado no special team.

Josh Uche (LB) chegou via draft e com o panorama atual, deve ter mais snaps do que (possivelmente) estava programado nessa temporada. Nas duas últimas temporadas em Michigan (2018 e 2019), Uche teve bom desempenho, com 46 tackles, 18.5 para perdas de jardas, 14.5 sacks, 2 fumbles recuperados e 1 fumble forçado. Segundo o PFF (ProFootballFocus), Uche teve uma taxa de pressão de QB de 22.5% em 2018-2019, melhor entre os EDGEs. O produto de Michigan é bastante versátil e pode atuar pressionando o quarterback por dentro e por fora da linha, além de ajudar na cobertura de passe. 

Anfernee Jennings (EDGE) atuou em Alabama pelo college. Nas duas últimas temporadas foram 71 tackles, 25,5 para perdas de jardas, 13,5 sacks, 16 passes desviados, 2 interceptações, 2 fumbles recuperados, 1 TD. Jogando em uma das conferências mais disputada do college football, os números mostram que podemos contar com Jennings na temporada. Tem o tamanho e peso de NFL mas não devemos vê-lo o tempo inteiro no campo, Jennings pode ajudar no pass rusher e vai muito bem forçando as corridas para o meio da linha.

Deatrich Wise Jr. (EDGE/DL) vai para sua 4ª temporada na liga e última de contrato, desde que estreou em 2017, veio perdendo espaços em New England, no seu primeiro ano na NFL (2017) teve 543 snaps, cerca de 51% das jogadas defensivas do time, enquanto em 2019 foram apenas 229 snaps, 23% dos snaps defensivos da equipe. A mudança no esquema do time para 2019 (de um front seven  4-3 para 3-4), pode explicar um pouco a queda no tempo de campo. Wise pode variar seu posicionamento na linha defensiva, jogando na ponta da linha ou mais para dentro, enfrentando o guard da linha ofensiva. A diminuição nos snaps também puderam ser percebidos nos seus números finais, na temporada passada (2019) foram 2 sacks, 20 tackles, 10 QB hits e 1 fumble forçado. 

Beau Allen (DT) foi anunciado no dia em que Danny Shelton informou que sairia do Patriots. Experiente defensive tackle, são seis anos de NFL jogando por Philadelphia Eagles e Tampa Bay Buccaneers. Em 2019 foi um ano em que o tackle teve poucos snaps, apenas 179 em 13 jogos dos Bucs. Allen jogou a maioria dos snaps em 2019 como Nose, e vai muito bem contra jogo corrido, por outro lado, a defesa contra o passe é defasado, mas isso não deve ser problema em New England, visto que os tackles defensivos não são exigidos para desempenhar esse papel. 

Lawrence Guy (DT) é o principal nome da linha defensiva do Patriots. Desde que chegou em 2017, Guy vem acumulando boas temporadas em New England. Em 2019, teve 3 sacks, 35 tackles, 1 interceptação, 2 fumbles recuperados e 1 passe desviado. Jogou em 523 snaps defensivos, em 16 jogos, isso é outro ponto a favor de Guy, ele é consistente. O veterano tackle estará no último ano de contrato e espera-se mais um ano de alto nível dele. É um jogador que o Patriots deveria renovar o contrato. 

Adam Butler (DT) é outro líder defensivo do front do Patriots. Ele tem sido consistente desde que chegou a New England, em 2017, e participou de todos os jogos do time. Bill Belichick tem movido Butler na linha para colocá-lo nas melhores situações, contra o jogo corrido, ele esteve 108 snaps, mas foi utilizado mais vezes contra o passe e seus números explicam. O veterano era principalmente usado para liberar outros pass rushers na linha, mas também ataca o pocket, Butler teve 5 passes desviados, 6 sacks, 17 tackles e 9 QB hits, isso jogando quase 70% dos snaps contra dois bloqueadores quando estava no pass rush (segundo Seth Walder, ESPN). 

A linha defensiva deve ser a maior dúvida e apreensão da torcida, mas não devemos desesperar, temos bons jogadores que podem ser impulsionados essa temporada, se no elenco não tem nomes como JJ Watt, Nick/Joey Bosa, entre outros, nosso técnico é considerado a melhor mente defensiva da NFL e melhor técnico da história. Vamos seguir acompanhando o training camp e a formação do roster para a temporada 2020. 

DEIXE UMA RESPOSTA