Toda semana Octavio Ribeiro (@octaviomainenti) e ele, que assim como Ramona Shelbourne, tá no payroll da Klutch, Daniel de Grandis (@GrandisDanny), trarão o que de melhor, pior e mais vexatório fizer o Philadelphia 76ers.

No mais novo episódio do Processo Nada Fraterno, nossa dupla dá risadas da patifaria escrita pela, já mencionada, sra. Shelbourne em matéria especial pela ESPN, sobre o pobre coitado Benjamin Simão, dirigindo por toda Philadelphia atrás de ginásios vazios e tendo que organizar 5 contra 5 por conta própria.

Mas claro, depois de uma sequência 5-3 desde a públicação do último episódio, os meninos se deslumbram com o jogo Maxey contra Ja Morant, especulam mais um pouco antes da trade deadline de amanhã e tentam racionalizar quem está disponível em trocas para (e do) 76ers no atual momento.

Artwork – Head of Design: Gustavo Machado (@guzzmachado)

Edição – Lucky Zanganelli (@lucasz588)

Siga-nos: @pnfcast

Acesse e ouça os demais Podcasts da Rede: NBA | NFL | MLB | NHL

Quem viveu o "Processo" (2013-2016) sabe que o período foi tudo, menos fraterno: críticas da mídia nacional, pouco caso por parte dos beat writers de Philly, chacota para outros times da liga e intervenções do próprio Front Office da NBA. No final, Sam Hinkie estava certo. Hoje o Sixers vem de temporadas de 50+ vitórias, classificações consecutivas aos playoffs e pode ser considerado um perennial contender. Tudo se deu ao processo. Joel Embiid é fruto do processo. Nada fraterno. Octavio Ribeiro e Daniel de Grandis te convidam toda semana pra se atualizar, rir e chorar em português com o Philadelphia 76ers.

DEIXE UMA RESPOSTA