Semana passada eu tentei inutilmente levantar as expectativas pro que acabou sendo claramente um dos jogos mais feios de se assistir. Num duelo para descobrir quem seria o menos pior, o Texans voltou pra casa com sua primeira vitória. Vencer é bom, fora de casa melhor ainda, mas uma atuação muito abaixo do necessário para vencer a divisão. Do lado de Cincinnati a segunda derrota e os oito quartos sem chegar na endzone causaram mudanças. Ken Zampese, ex-offensive coordinator da equipe, foi demitido no dia seguinte.

Enfim, águas passadas. O jogo da vez traz dois head coaches novatos com inclinações ofensivas. É bem verdade que o ataque aéreo dos 49ers ainda não mostrou nada nem perto de convincente. Mas, em compensação, o jogo terrestre obteve ótimos números jogando no CenturyLink Field. Carlos Hyde passou das 100 jardas corridas ainda no primeiro tempo, algo que não acontecia desde Adrian Peterson em 2012. Esse foi também o primeiro jogo do G Laken Tomlinson no lugar do não-muito-adorado Zane Beadles, a adição do G já resultou em uma leve melhora no interior da linha. A expectativa é que, conforme os membros da OL tenham mais snaps juntos, a sintonia aumente e o desempenho melhore.

Pela segunda vez, Hyde passa das 100 jardas contra os Seahawks

Por outro lado, Sean McVay mudou a forma com que falamos de Jared Goff. Se ano passado alguns apressados já o colocavam como bust certo, estão vendo que com um esquema mais amigável, Goff pode não ser o desastre que se era esperado. É claro que a adição de um dos melhores left tackles em Andrew Whitworth tranquiliza bastante o segundo-anista. Em sete partidas na temporada passada, Goff mal passou das 1000 jardas. Em apenas duas sob a batuta de McVay, o garoto já passou das 500 e lançou apenas umas interceptação. Além disso, acertou cinco dos oito passes para mais de 20 jardas.

Apesar do destaque ofensivo por causa de seus técnicos, tanto Rams quanto 49ers tem nas respectivas defesas seus pontos fortes. Os Niners melhoraram sua defesa contra jogo corrido e o pass rush teve um bom jogo contra Russell Wilson, foram 3 sacks e 10 QB Hits. DeForest Buckner teve uma atuação esplendorosa, com 4 QB hits e 5 hurries obteve 92,2 pela avaliação do PFF. Além de Buckner, os Niners ainda contam com Armstead e o rookie Solomon Thomas como first rounders no front four.

Kirk Cousins sofrendo com o pass rush dos Rams

Os Rams contam com nomes como os de Alec Ogletree e Robert Quinn, que parece se recuperar de um 2016 abaixo da média, para pressionar o signal caller adversário. Isso sem mencionar a força da natureza que é Aaron Donald e todo seu potencial destruidor pelo meio da linha. Só nesses dois jogos já foram 6 sacks e 10 QB hits. É bem verdade que a secundária liderada por Trumaine Johnson não inspira muita confiança, mas se o pass rush continuar tão efetivo, a discrepância não será tão notada.

Mapa da mina: Para conquistar a primeira vitória da temporada, os Niners precisam irremediavelmente melhorar o desempenho da offensive line. A saída de Beadles já surtiu um leve efeito, mas o desempenho precisa ser melhor para garantir frações de segundo a mais pro mediano Brian Hoyer. Já os Rams precisam tirar proveito das lesões que os 49ers tem na secundária. O SS Eric Reid já está fora, S Jaquiski Tartt e FS Jimmie Ward estão questionáveis. Oportunidade perfeita para Sammy Watkins mostrar para os torcedores de LA a que veio.