O mais polarizante prospecto da classe, de já certo para a NFL a preocupações com lesão e liderança, vamos para mais um “Scouting Quartebacks”.

Antes mesmo de ter relação com a bola oval, Rosen era jogador de tênis (no fundo um bom exercício para ganho de potência no braço), a sua inicialização com futebol americano na NCAA foi com hype listado como atleta 5 estrelas e já pronto para o jogo. O que o tênis ajudou na posição? Seus pés ficam mais leves e ativos, eles constantemente estão “zumbindo” no footwork, o movimento de deslize de pés do tênis o ajuda para o posicionamento melhor para os passes, movimentos em nanosegundo.

A sua produção sempre teve uma crescente tirando seu ano com apenas 6 jogos por lesão e essa é uma preocupação da liga e torcedores com ele. Rosen tem a melhor mecânica de passe da classe, é o mais natural pocket-passer, não tem uma situação de passe que ele não consiga fazer na NFL numa possível week1.

Porém nem tudo são rosas e as lesões dele vêm a tona, ele tem estatura mas ainda existe uma relativa falta de mobilidade, a mais séria lesão que ele teve foi no ombro logo atacando sua função, seu ombro direito não precisou de cirurgia, lesão nos nervos aí depende de cada jogador recuperação pode ser de apenas algumas semanas a meses, essa em si fez com que ele perdesse toda a temporada praticamente. No ano seguinte alguns episódios como uma concussão escondida e o Cactus Bowl não jogado por lesão não divulgada mas falam de desconforto no mesmo ombro direito…ele vai chegar numa AFC North que pede corpo, uma divisão “gelada”, Rosen é uma dúvida sem conseguiria ganhar massa, a sua estatura já é boa mas leve e tem também o lado psicológico das lesões onde ele já teve mais do que os outros “rivais da classe” e precisam ver como ele se porta com o medo delas voltarem.

Agora precisamos prestar muita atenção eu vou falar sobre sua situação de vestiário, os rumores, o mundo de pessoas que pensam que sabem de algo o fazem nós termos uma visão de mesquinho, individualista, de não amar o jogo… NÃO ACREDITE em tudo que falam por aí!!! Mas vamos por partes, a maioria gostam de jogadores “tradicionais nas entrevistas” que não procuram polêmicas principalmente na posição de QB, procuram as mesmas respostas como “Nós só temos que jogar nosso jogo” ou “tenho que confiar em minhas leituras”…Rosen tem atitude, tem um gênero ativo, durante sua passagem por UCLA ele:

  • Postou uma foto jogando golfe em um campo patrocinado pelo Donald Trump com um boné escrito “Fuck Trump”
  • Falou francamente com o Bleacher Report sobre as dificuldades de ser estudante e atleta ao mesmo tempo afirmando que escola e futebol americano não caminham juntos
  • Colocou uma banheira de hidromassagem em seu dormitório porquê não havia nenhuma regra proibindo parecendo não se importar com o código de habilitação da universidade

Ele foi rotulado antes de ir para os Bruins como um filho ricamente mimado, Seu pai era quase cirurgião geral sob Barack Obama. Sua mãe editou revistas. Ele também faz parte da fama da linhagem Wharton da educação. Como um candidato altamente considerado no ensino médio, ele assumiu as cabeças com o ex QB da NFL Trent Dilfer no campo Nike Elite 11, discordando das mudanças do vencedor do Super Bowl no playbook dado ao QBs no início do acampamento “eu gosto de ser desafiado” disse Dilfer via The Orange County Register “eu não me importo com essas coisas. Minha preocupação maior foi que ele acha que sabe mais do que ele sabe”.

Durante o Cactus Bowl Media onde ele cuidadosamente ele respondeu as perguntas sempre visando as concussões onde o tiraram do jogo uma de suas respostas foi viral, se pagarmos o ponto central da resposta “Os jogadores estão começando a perceber que têm muito poder e não precisam ser explorados quando é detrimento” embora seja uma citação exata de Rosen, ela transmite um significado completamente diferente sem contexto, é o tipo de resposta que encapsula o pensador profundo que Rosen é mas que não pode ser reduzido a apenas uma parte da tua resposta.

Esse exato problema de contexto veio a sua citação de se precisasse iria ser escolhido numa pick alta no draft para estar no melhor lugar, ele não citou o Browns e não que ele não aceite de nenhum jeito jogar aqui (pegou mau em Cleveland esse entendimento de contexto). As dúvidas com sua liderança quando ele deu uma explicada sobre sua opinião que eu falei e disse que visou que algumas equipes não aceite sua personalidade única, e que deveria ir para uma que de todo o conforto quanto isso. Mais a frente ele falou o que seria uma personalidade única: “Eu não sei. É o que meus treinadores me contam. Meu conselho do treinador [Jim] Mora e treinador [Jedd] Fisch não era ser falso quando falava com pessoas porque não quer cercar-se com pessoas que gostam e querem estar em torno de um eu separado que você está fingindo estar sendo. Seja autêntico, seja real, e esse é um dos maiores conselhos de liderança que eu já consegui é ser autêntico e ser real, porque você tem que ser o mesmo cara todos os dias e é difícil ser alguém que você não é todo dia. “Quando se trata do processo preliminar, eu vou ser – não vou dizer nada de estúpido – mas vou ser o meu autêntico e verdadeiro eu e, espero, alguém em uma organização diz” Esse é o meu cara “. Isso em partes não é uma problema de personalidade, pedimos na sociedade em sí algumas vezes verdade e não personagens. Numa contra-resposta em preferência aonde jogar Darnold disse que não importava pra onde ir e que o importante era ele estar jogando na NFL parece bonito mas será que ele ficaria 100℅ feliz em estar vindo para um Browns 0-16?

Outros rumores que vieram na mídia é que ele tinha um vestiário que não gostava dele e era “desprezado” pelos companheiros de time, em dezembro alguns companheiros de time vieram no twitter defender o atleta:

Logo após a sua confirmação que ficaria de fora do Cactus Bowl disseram que ele meio que forçou não jogar o Bowl para se preparar para o pré Draft, o HC interino Jedd Fisch veio a entrevista falar que ele queria muito jogar mas que não houve como “Josh foi incapaz de jogar por causa do fato de ele ter duas contusões durante um período de quatro semanas em novembro e nossos médicos não se sentiram à vontade para colocá-lo lá fora e colocá-lo em risco para a possibilidade de uma terceira concussão. Outro que veio falar foi o WR Theo Howard “Eu sei que ele adoraria estar aqui com sua equipe apenas porque ele fez muito para nós e ele é o tipo de jogador que luta para entrar no campo. Ele lutou por coisas nesta temporada. Espero que ele tenha um excelente futuro em tudo o que ele faz “.

Já não bastava o falatório de um vestiário contra ele, falta de liderança vieram com: ele e seu objetivo de usar o esporte como ganho de dinheiro que não tinha amor pelo futebol americano. Nas últimas semanas saiu uma entrevista do próprio e em uma das respostas ele falando que vendo o Super Bowl veio o querer de chegar ao número de anéis do Tom Brady e poder ultrapassar.

Mais a frente nos gifs iremos falar do Fake Spike histórico e que jogo memorável olhe esta imagem acima e diga que esse cara não ama o jogo? Esse cara não tem propósito dentro de campo?


Mas agora finalmente vamos ao seu jogo e esse vs Memphis é ótimo para se puxar em um único jogo bons e ruins dele, na última década poucos QBs vindo para o Draft conseguiriam fazer esse First down, muitos OCs certamente iriam chamar passes curtos ou corrida já pensando no FG, com Rosen ele podem tentar, a sua mecânica consegue passes como esse lá na linha do First down com marcação alta lá.


Ele confia tanto no braço que algumas vezes força passe onde deveria ser conservador, aqui a defesa não cai no play action, com isso até antes do Rosen lançar ele dá vários passos pra trás o que o prejudica(sorte que não houve INT).


A antecipação e toque nas bolas profundas dele são sempre lindas e como ele é tão consistente sendo um thrower? MECÂNICA E FOOTWORK, por favor não subestimar o quão importante são estes 2 quesitos e como são difíceis corrigir e muda-los.


Aqui seu problema de mobilidade nítido, a pressão vem e sua demora é grande para escapar do bolso e tentar alguma jogada fora, numa comparação a Darnold certamente não iria ser sacado facilmente aqui ou a Mayfield e Lamar que fariam suas jogadas fora do pocket.


Esse jogo vs Memphis soou muito mal é claro que é normal uns “fora da curva” Rodgers nunca faria uma INT dessa mas relevamos que ele tem apenas 21 anos mas também pesa que ele sofreu contra uma das piores defesas da CFB.


Constantemente ele mostra maia mobilidade que as pessoas colocam nele, ele não tem a mobilidade de um Rodgers mas também não é um Brady, ele se parece demais com o Matt Ryan nisso.


Como é bom explicar sucesso em jogadas por causa de sua mecânica e com isso vem uma boa precisão, liberação rápida, pode conduzir sem a precisão de sempre força da sua perna traseira muito pelo bom footwork com isso ele coloca aonde é melhor para o WR.


Ele faz um bom trabalho sentindo pressão e com deslizamento, tempo extra quando a OL de UCLA dava era uma bomba para o adversário dar separação das opções de passe.


Ele tem problemas em se focar em uma única opção de passe essa demora não pode existir na NFL, aqui pode ver que ele está olhando toda jogada pro seu lado esquerdo e sua visão indo pro meio, é o WR não conseguindo escapar da marcação e ele ainda acreditando, num momento parece livre mas a pressão chega.


Isso aqui é horrível e INACEITÁVEL ele precisa aprender situações de aceitar o que aconteceu, foi sacado ok ruim mas ainda sim forçou passe onde o WR já tinha avançado demais e com isso uma perda de jardas virou uma pick-six.


Sobre esse lance não tem o que descrever a loucura que foi essa virada, apenas apreciem ele ganhando esse jogo usando Fake Spike

2018 Draft QB Pass Attempts in 2017:

Josh Allen: 252
Baker Mayfield: 348
Sam Darnold: 414
Josh Rosen: 453

Falam de sua durabilidade mas ele é QB de 40+ throws por jogo, ele jogou menos que Darnold e Mayfield e ainda sim teve mais passes tentados que os dois

Em 2017 Rosen tinha nas mãos:

– 8th Pior defesa (480+ YPG)
– 15th Pior jogo corrido
– WRs com porcentagem de 13.2% de taxa de drop
– Tomou Hit/Sack 92 vezes
– Sofreu pressão em 30% dos seus drop-backs

E mesmo assim com isso levou a 340YPG no jogo aéreo com 62℅ dos passes completos

Sempre bom olhar os drops na balança com a ℅ de passes completos, os seus WRs tiveram em 2017 43 drops comparando aos WRs de Darnold, Allen e Mayfield juntos somaram 57 drops.

Sobre ele ser frágil, não acho isso e sim desprotegido, em 2017 em 11 jogos ele foi sackado 92 vezes e sofrido pressão em 30℅ dos seus dropbacks, Mayfield em 14 jogos foi sacado apenas 45 vezes (isso é menos que metade do que Rosen sofreu) desproteção total. Se fizermos uma média por jogo para os dois Mayfield era sackado 3.2 vezes por jogo já o Rosen 8.3 vezes.

Rosen já vem para a liga com calibre para ser o mais pronto para jogo, sobre sua personalidade não se preocupe que durante todo o processo pré draft as franquias vão ter sua própria opinião, sobre ele não ter chances de vim para Cleveland ainda mais pelo Dorsey não ser seu fã, você caiu mais uma vez numa Fake News confirmada inclusive pelo GM.

DEIXE UMA RESPOSTA