Hoje é um dia doído.  Perdemos para as odiosas Vaqueiras de Dallas, em um jogo que nos deixou 1-4 na divisão e estamos, efetivamente, fora da disputa dos playoffs.  Fiz um comentário no WhatsApp do grupo RedskinsBrasil e, a pedido, estou convertendo o mesmo em um texto, que é este.

Estou muito, muito p@*#% com o jogo de ontem (levamos 38 pontos do “ataque” de Dallas).  Mas, buscando motivos para entender o que deu errado, é importante listar alguns pontos, que faço a seguir:

1) Todo o jogo de Dallas é baseado na corrida.  É essencial que, para qualquer equipe ganhar deles, que consiga sair na frente, forçando-os a passar a bola – já que Dak Prescott não é, bem, um QB que um time da NFL possa basear seu jogo.  Logo no início do jogo, no segundo drive, houve um drop do WR Jamison Crowder, na linha de 5 jardas, que virou uma interceptação e  foi essencial para não conseguíssemos ganhar.  Tudo ruiu a partir de lá, só piorando com o novo drop do Crowder após um punt após novo 3 and out forçado pela defesa.

2) Nossa DL não conseguiu se impor a qualquer momento.  O jogo deles entrou porque a OL deles fez um jogo muito bom, e nossa DL, que estava somente com o DE Matt Ioannidis como titular – e que vem lidando com uma lesão na mão há 4 semanas –, não conseguiu dar conta do recado. O NT Hood e o DE AJ Francis, jogadores que deveriam assistir o jogo do sofá, são titulares, o que não faz qualquer torcedor dos Redskins feliz.

3) Ainda sobre a DL: o DE Jonathan Allen faz muita falta, mas ontem a falta sentida foi do DE Terrell McClain, que tinha feito um bom jogo contra NY.  O DE Stacy McGee é o que é: um DL reserva, não consegue dar um step up para suprir a falta de titulares, tanto que viu poucos snaps, perdendo vários deles para o projeto de summotori DE AJ Francis. Sobre o NT Hood, melhor nem falar – ele é uma âncora que flutua desde o ano passado.

4) Sobre a secundária: não é que tenha ido mal.  Dallas encaixou o jogo corrido, o que deixa a secundária desprotegida nos passes ante a utilização necessária de oito homens no box defensivo.  O CB Bashaud Breeland teve um jogo ruim, mas acredito que foi o único ponto realmente negativo: os demais cederam o que não dava para defender.  O CB Josh Norman, em pelo menos uma recepção deles para o WR Terrance Williams, foi mal também.

5) Sobre a OL: foi dominada o jogo inteiro.  Ataúde (o LT Ty Nsekhe) é um bom LT reserva, mas não consegue produzir com consistência quando é deslocado, seja para LG ou para RT.  Há um motivo para ele não ter sido selecionado no draft e ter ido para o Arena Football no início da carreira, que é a sua falta de dinamismo e velocidade.  Não adianta forçar – o que tivemos de fazer durante o jogo.

6) Ainda sobre a OL: o LT Trent Williams, carinhosamente chamado Trentão pela torcida, finalmente sentiu muito sua lesão, a partir do segundo quarto de jogo, saindo do jogo depois. Ataúde é um jogador reserva, que jogando o jogo inteiro, perde fôlego, ainda mais sendo deslocado para posições tão distintas quanto LG e RT.  A cabeça pira.  Rodeado de reservas e reservas dos reservas, até Xerife (o RG Brandon Scherff) não jogou 100%.

7) WRs: foram mal, à exceção do WR Ryan Grant, que sequer teve um jogaço – ele virou um jogador que complementa o corpo de WRs bem, não há como fazer um jogo em cima dele.  O WR Josh Doctson foi marcado em pelo menos metade dos snaps com marcação dupla, e o QB Kirk Cousins não vai forçar demais nele, que está em processo de afirmação, além de também não ter começado o jogo bem.  Crucifiquem-me, mas quem faria diferença nesse jogo seria o WR Terrelle Pryor, com suas rotas slant – o Filho do Doutor não é jogador para disputar bolas pelo meio, como pediram para ele no início do jogo, ao menos não está neste estágio ainda.

8) O RB Samaje Perine não foi tão mal no jogo, mas a OL não ajudou ele a ter um jogo melhor.  Safou-se dessa, apesar da média de 3.2 jardas por corrida, que é ruim.

9) Os TEs foram, mais uma vez, limitados pela má atuação da OL, tendo de ajudar constantemente para tentar manter o pocket limpo – diga-se, falhando miseravelmente.  O TE Niles Paul fez um bom jogo, ao menos no primeiro tempo, já que no segundo não conseguimos jogar.  O TE Vernon Davis também foi limitado por conta disso.

10) QB Kirk Cousins, objeto de ódio pela internet afora.  Ele fez o que podia.  Não teve o pocket limpo em qualquer momento do jogo e, destaquemos, ele não joga sozinho.  Teve culpa efetiva em um dos fumbles perdidos, mas só.  Não dá para encontrar recebedores que não se desmarcam: nas poucas vezes que o fizeram, ele os alcançou, mas houve drops miseráveis de Doctson e, principalmente, mais de uma vez, de Crowder.  Kirk não é o melhor QB da NFL, mas é o melhor QB que temos há uns 20 anos, e essa indefinição de contrato me irrita a cada instante. #Paytheman.

11) O HC Jay Gruden, por sua vez, falhou em conseguir fazer o ataque progredir, mas ele não recebe bolas nem se desmarca para recebê-las, não protege o QB e não marca o Nove Bryant. Não foi bem no jogo, mas não foi mal: ao todo, do elenco da pré-temporada (que é quando TODAS as jogadas são treinadas), perdemos 13 ou 14 titulares.  NINGUÉM INVENTA JOGADAS EM SEMANAS DE JOGOS, NÃO HÁ TEMPO PARA TREINÁ-LAS.  Isso é algo que as pessoas não sabem ou optam por esquecer quando o criticam – não se esqueçam, também, que provavelmente nosso playbook já foi todo utilizado para este personnel disponível, então toda a NFL e, principalmente, nossos adversários da NFC East, já conhecem e estudam situações para nos deixar em dificuldades.  Não há um único técnico disponível que seja melhor que ele no mercado – lembrem-se disso, pessoas -, e mesmo sem uma caralhada de titulares, estamos na semana 13 ainda com possibilidade de um record positivo ou em iguais vitórias e derrotas.

E, sendo simples, f!¨*#*.  Que consigamos mais vitórias e ano que vem, como sempre disse antes da temporada ante a montagem de elenco, é Super Bowl – e só caso consigamos manter nosso QB, que fique claro.

É isso.

#HTTR

Texto por Antonio Cruz