Em uma tarde iluminada de Jacoby Brissett o Indianapolis Colts venceu o Houston Texans por 30-23. Além do QB, a defesa, assim como na temporada passada, apareceu quando o time precisou e assegurou a vitória sobre o rival, levando os Colts à liderança da divisão.

 

PONTOS POSITIVOS

Jacoby Brissett

Após duas exibições fracas contra Raiders e Chiefs, o QB sacudiu a poeira e teve a melhor partida na carreira. Lançou para 326 jardas, completou 26 de 39 passes, além de quatro touchdowns. Os números são as melhores marcas do QB em uma partida. Aproveitando-se da fragilidade da secundária dos Texans Brissett explorou o matchup favorável aos recebedores dos Colts, esticando o campo tal como gostariam os torcedores.

Apesar do fumble no 2º quarto, o QB não se deixou abater e manteve a cabeça no lugar para conduzir os Colts à vitória. Uma das maiores virtudes de Brissett na partida foi ter presença de pocket e não segurar demais a bola, além de conseguir ler a progressão dos recebedores sem fixar os olhos em um alvo. São esses pontos que os torcedores desejavam ver melhorias no jogo do QB, corrigir os erros que estão evidentes e lapidar seus pontos fortes. Frank Reich tem conseguido torná-lo um jogador minimamente eficiente de modo a não prejudicar o desempenho ofensivo da equipe. Com 14 touchdowns na temporada Brissett mostra sinais de clara evolução, mas há espaço para mais. No momento, Jacoby está a apenas três touchdowns passados de igualar a sua marca de 2017 (17), quando foi titular do time pela lesão de Andrew Luck.

Recebedores

Todos sabemos que T.Y. Hilton costuma castigar o Houston Texans. Novamente o WR teve uma boa tarde contra os rivais. Foram seis recepções para 74 jardas e um touchdown, o 10º TD em 15 jogos contra os rivais. Além de T.Y., outro WR vem sendo um carrasco para os texanos. Zach Pascal teve uma tarde para guardar na memória: liderou os Colts em jardas, com 106 em seis recepções, e dois touchdowns. Em quatro partidas na carreira contra Houston Pascal tem quarto TDs, além de registrar seu terceiro na temporada.

Outro jogador que se recuperou de jogos ruins foi Eric Ebron. Contra os Raiders o TE cometeu quatro drops inadmissíveis que custaram boas posições de campo. Neste domingo, Eric se recuperou e conseguiu quatro recepções, 70 jardas e um touchdown espetacular no fundo da endzone. Com uma das mãos o #85 recepcionou a bola enquanto arrastava os pés no gramado para a arbitragem confirmar a marcação.

Darius “Maniac” Leonard

Voltando de concussão após ausência em três partidas, nosso linebacker mostrou aquilo que o levou ao prêmio de calouro defensivo do ano. Foram 10 tackles (sete solo), um passe desviado e a interceptação no drive derradeiro da partida para garantir a vitória dos Colts. Leonard começou a temporada com números e atuações discretas contra Chargers e Titans, mas essa partida contra Houston mostrou que o que foi visto na temporada passada não foi fogo de palha. Darius Leonard está em todo campo e é um perigo real ao ataque adversário.

Defesa

No melhor estilo “enverga mas não quebra” a defesa de Indianapolis conseguiu deixar Deshaun Watson desconfortável, mais uma vez. A linha defensiva já mostra claros sinais de evolução após oscilação na temporada. Contra o jogo terrestre foram 100 jardas cedidas, mas nenhuma big play relevante. Limitar Carlos Hyde e Duke Johnson a 69 jardas foi um ponto bastante positivo. Justin Houston e Jabaal Sheard somaram três sacks, sendo dois do #99, além de sete tackles totais.

Defesa sendo destaque mais uma vez

É difícil marcar DeAndre Hopkins e isso é um fato. O WR adversário é um tormento para qualquer secundária. Foram nove recepções, 106 jardas e um touchdown para o camisa #10. Mesmo assim, podemos dizer que Pierre Desir conseguiu fazer um trabalho decente cobrindo Hopkins. O #35 conseguiu dois passes desviados, uma interceptação, além de sete tackles (seis solo). Estando questionável a semana inteira com lesão no músculo posterior da coxa, Desir cumpriu bem seu papel.

Outro ponto positivo foi Khari Willis, não só pela atuação em si, mas por participar de 100% dos snaps defensivos. O calouro vem pedindo passagem e deve formar dupla com Malik Hooker quando o veterano voltar de lesão. Esperamos que, com bons jogos de Odum e Willis, Geathers tenha menos snaps na rotação.

 

PONTOS NEGATIVOS

Jogo terrestre

Se nas partidas anteriores Marlon Mack e companhia ditaram o ritmo do ataque, nesta o trio de RBs ficou ofuscado. Mack, Wilkins e Hines foram limitados a apenas 56 jardas, sendo 44 do #25. A terceira melhor defesa contra o jogo terrestre conseguiu limitar o ataque de Indianapolis, fazendo Jacoby Brissett lançar mais a bola. Sorte que o #7 estava iluminado no jogo.

Play-calling ofensivo no 4º quarto

Os Colts lideravam por 12 pontos na parte final do jogo. Após um turnover on downs o time tinha a bola na linha de 48 jardas do campo de ataque. Com 13:02 para terminar o jogo, o ataque dos Colts tinha tudo para acabar com as chances de Houston na partida. Após uma corrida de seis jardas de Mack, esperava-se que o relógio fosse gasto com mais corridas. Entretanto dois passes incompletos fizeram Rigoberto chutar seu primeiro punt no jogo, após apenas 53 segundos de campanha. No drive seguinte dos Texans Pierre Desir conseguiu interceptar Watson numa péssima decisão do QB.

Pois bem… Com a bola, aconteceu o mesmo do drive anterior. Corrida de Mack e dois passes incompletos, outro punt e apenas 50 segundos gastos. Ao receber a bola os Texans caminharam 79 jardas em pouco mais de dois minutos e finalizaram com o touchdown do Hopkins diminuindo a vantagem para cinco pontos. O sofrimento desnecessário devido à ineficiência do ataque não pode acontecer. Não vai ser a todo momento que a defesa vai conseguir duas interceptações para ajudar e não vai ser todo head coach que tomará uma decisão questionável quanto aceitar um safety para obter melhor posição de campo para sua defesa. É preciso entender o que houve de errado e conseguir corrigir tais erros, pois num jogo fora de casa, por exemplo, não pontuar após turnovers pode ser fatal.

Com a vitória sobre o rival o Indianapolis Colts amplia a vantagem no histórico do confronto (27-8 em temporada regular, 1-0 nos playoffs). O time passa a liderar a AFC South isoladamente com 4-2 e entra de vez na briga pela Seed #2 da Conferência. Excelente desempenho nos dois lados da bola, com o QB sendo decisivo quando o jogo terrestre não funcionou, e a defesa conseguindo incomodar e forçar turnovers.

 

PRÓXIMO CONFRONTO

Na próxima semana o Indianapolis Colts recebe o Denver Broncos às 14h (horário de Brasília). O jogo será transmitido apenas via NFL Game Pass. Com um record de 2-5 na temporada os Broncos tentam se reabilitar após uma derrota contra o Kansas City Chiefs em Denver. Sendo em casa, os Colts precisam vencer para continuar na briga pela segunda vaga na bye-week dos playoffs. A defesa da equipe do Colorado é a 3ª melhor contra o jogo aéreo e a 16ª contra a corrida. Não será um jogo fácil, como sabemos. Nossa defesa precisa incomodar Joe Flacco e tentar parar Phillip Lindsay e Royce Freeman pelo chão, duas armas poderosas dos Broncos. A vitória contra o Texans pode ser a confirmação que o Indianapolis Colts briga por coisas maiores na temporada. Com nosso coaching staff isto é realmente possível. GO COLTS!!! (4-2).


Para ver os melhores momentos, mais estatísticas e números do jogo, acesse o Game Center da NFL.

Assine o Feed do Colts Brasil para não perder nenhum episódio! http://fumblenanet.com.br/feed/coltsbrasil

Siga-nos no Instagram! https://www.instagram.com/podcastcoltsbr/

E no Twitter: as notícias e cornetadas no @potrosbr, @horseshoeBR, @CarolVago12 e @pj1992.

Fotos: disponíveis no site oficial dos Colts.

DEIXE UMA RESPOSTA