Com um desempenho dominante nos dois lados da bola o Indianapolis Colts bateu o Jacksonville Jaguars com facilidade. O placar de 33-13 ilustrou bem como foi a partida de ambas as equipes. Vamos aos pontos positivos e negativos deste confronto divisional que nos deu a liderança AFC South e marcou a 300ª vitória dos Colts em Indianapolis.

 

PONTOS POSITIVOS

Jogo terrestre

Com 264 jardas terrestres os Colts praticamente conduziram seu jogo pelo chão. Marlon Mack teve mais uma tarde fenomenal. Com 109 jardas em 14 carregadas e um touchdown, o #25 vem se consolidando com um dos RBs mais produtivos da Liga, melhorando a cada jogo. A jogada da pontuação foi um exemplo disso, misturando paciência e tackles quebrados. O jogador está com 862 jardas na temporada e caminha a passos largos para sua primeira temporada com mil jardas terrestres.

Outro RB que teve uma excelente partida foi Jonathan Williams. Sendo o quarto RB no roster, Williams foi mantido no time para a temporada e sempre acabava ficando inativo dos jogos, por lesão ou opção. Mas neste confronto o #33 foi muito bem. Liderou o time com 116 jardas terrestres e somou mais 31 recebidas. Com a ausência de Jordan Wilkins, Williams deu conta do recado e esperamos vê-lo mais em campo nas próximas partidas. Foi a primeira vez desde 1985 que os Colts tiveram dois RBs com mais de 100 jardas cada em uma partida.

Até mesmo Quenton Nelson teve oportunidade de correr com a bola. Logo antes do touchdown de Marcus Johnson, o guard tentou invadir a end zone com sua força. A arbitragem até assinalou o TD, mas na revisão pudemos ver que Nelson ficou à meia jarda da goal line. Uma pena, já que seria o primeiro TD do jogador na NFL. Com a elegibilidade na jogada ofensiva, Nelson não poderia voltar a campo na jogada seguinte como um jogador inelegível, o que o fez perder seu primeiro snap da carreira.

Defesa
Houston com mais um sack na temporada.

É estranha a sensação de ter uma defesa competitiva, mas aos poucos vamos nos acostumando. Os Colts sofreram por anos com unidades medonhas e jogadores horríveis. Mas a cada jogo que passa nossa defesa se estabelece como o pilar deste time, dando totais condições do ataque vencer os jogos. Para começar, os Colts anularam completamente o RB Leonard Fournette, que teve apenas 23 jardas terrestres, além de outras 34 recebidas. Vale ressaltar que o corredor de Jacksonville tinha uma média superior a 100 jardas corridas por jogo fora de casa na temporada. Além disso, o time defensivo conseguiu dois sacks (Houston e Moore II) em cima de Nick Foles e três tackles para perda de jardas.

Não poderíamos deixar de mencionar a excelente partida da secundária. Apesar do erro no primeiro touchdown do DJ Chark, o setor cresceu de produção durante o jogo. No geral foram 10 passes desviados, até mesmo Jabaal Sheard e Grover Stewart desviaram um passe cada um. Kenny Moore II foi o melhor jogador no último domingo. Liderou o time com oito tackles solo, um sack, um tackle para perda de jardas e um passe desviado numa quarta descida. Um jogador que apareceu em apenas dois lances foi Bobby Okereke. Primeiramente, ao não perceber que a bola veio em sua direção após um punt, a posse voltou para os Jaguars. E, após o último TD dos Jaguars, Nick Foles tentou a conversão de dois pontos, mas o calouro interceptou o passe e retornou para a end zone adversária, marcando os últimos dois pontos dos Colts no jogo.

Outros cornerbacks que se destacaram foram Rock Ya-Sin e Marvell Tell III. O #34, que vinha sendo questionado pelo excesso de big plays cedidas e faltas, foi muito bem. Conseguiu seis tackles (cinco solo), um para perda de jardas e sua primeira interceptação na carreira. Esperamos que seja um ponto de virada para o jogador. Já o #39 liderou o time com incríveis três passes desviados, além de cinco tackles. Além deles, o safety Malik Hooker conseguiu dois passes desviados e três tackles. A segurança de ter um jogador como ele no fundo do campo é sensacional.

Brissett sólido e recebedores

Com o jogo terrestre funcionando Jacoby Brissett pouco precisou ser acionado, mas foi efetivo quando necessário. Foram 148 jardas, 15 de 24 passes completos, um TD, um TD correndo e uma INT (zero culpa dele). Uma jogada que será pouco lembrada, mas que teve muita importância, foi o touchdown lançado para o WR Marcus Johnson. Em uma situação de quarta descida, Brissett recebeu a bola, fez o scramble pro lado direito ao sentir a pressão adversária e esperou o momento certo para lançar o passe no colo do #83, que marcou seu primeiro TD na temporada. Ao deixar o placar em 17-7 o jogo se tornou muito mais fácil.

Além do TD, Johnson agarrou os outros três passes que vieram em sua direção, para um total de 38 jardas, liderando a equipe. Eric Ebron, Jonathan Williams e Nyheim Hines também contribuíram positivamente no jogo aéreo. Numa partida onde os RBs se destacaram e tiraram o peso dos ombros de Jacoby Brissett, o QB apenas confirmou que é muito mais seguro que Brian Hoyer e que consegue fazer boas jogadas quando necessário.

Apenas para registrar, Adam Vinatieri foi perfeito em seus chutes. Foram quatro extra points e um field goal, que o fez igualar a marca de Morten Andersen, com 710 tentativas de chute. Que seja um fim de temporada digno ao maior kicker da história.

 

PONTOS NEGATIVOS

Proteção de passe

Foram três sacks cedidos aos Jaguars em uma exibição não tão boa protegendo o QB quanto abrindo espaços para o jogo corrido. Braden Smith e Mark Glowinski, que tem sido o lado fraco da unidade, não foram bem e ainda cometeram faltas. Até Anthony Castonzo, que vinha em temporada de alto nível, sofreu em alguns momentos e cedeu um strip sack recuperado por Glowinski. Se no jogo terrestre a unidade foi praticamente perfeita, a proteção a Jacoby Brissett deixou a desejar em alguns momentos.

Lesões

Marlon Mack deixou o jogo com uma fratura na mão e já está confirmado fora, assim como o S Khari Willis, com concussão, para o jogo na quinta-feira contra os Texans. Rock Ya-Sin também saiu por conta de uma lesão no tornozelo e Kenny Moore II sentiu uma lesão, mas chegou a voltar para os drives finais e não apareceu no injury report de segunda-feira.

PRÓXIMO CONFRONTO

No Thursday Night Football o Indianapolis Colts irá ao NRG Stadium enfrentar o Houston Texans na briga direta pela 1ª posição da AFC South. Hoje os Colts lideram no critério de desempate devido à vitória contra o rival na Semana 7. Vindo de uma acachapante derrota para o Baltimore Ravens, os Texans contam com o fator casa para tentar vencer os Colts. É essencial para Indianapolis manter o bom nível defensivo, que tem sido mostrado nos últimos jogos, e não cometer erros no ataque. Quando saudável, T.Y. Hilton é um verdadeiro terror para os Texans, ainda mais no NRG Stadium, que carinhosamente chamamos de Hilton Stadium.

Além de T.Y., é possível que o WR Devin Funchess retorne após quebrar a clavícula na Semana 1. Marlon Mack e Khari Willis já estão confirmados de fora do confronto. Nesta segunda-feira Pierre Desir treinou de forma limitada. Seria essencial que o #35 jogasse, pois tem sido uma pedra no sapato de DeAndre Hopkins. Jogos em semana curta são sempre complicados, ainda mais fora de casa. Esperamos que o Indianapolis Colts tenha reencontrado o caminho das vitórias e que, nesta parte da temporada onde a tabela começa a ficar mais difícil, o time consiga evitar erros e vença seus jogos. GO COLTS!!! (6-4).

 


Para ver os melhores momentos, mais estatísticas e números do jogo, acesse o Game Center da NFL.

Assine o Feed do Colts Brasil para não perder nenhum episódio! http://fumblenanet.com.br/feed/coltsbrasil

Siga-nos no Instagram! https://www.instagram.com/podcastcoltsbr/

E no Twitter: as notícias e cornetadas no @potrosbr, @horseshoeBR, @CarolVago12 e @pj1992.

DEIXE UMA RESPOSTA