Por Pedro Jorge Marinho

Colaboração e edição: Carol Vago

O JOGO

Aproveitando-se da ausência do principal jogador do Houston Texans nesta temporada, o Colts faz um jogo sólido defensivamente e, com mais uma partida espetacular de T.Y. Hilton, consegue a terceira vitória na temporada.

O jogo começa com Houston no ataque. Com apenas um first down em passe de Tom Savage para DeAndre Hopkins, rapidamente a bola nos é entregue com um belíssimo punt do mito Shane Lechler. Em nossa primeira posse, Frank Gore tenta duas corridas para um total de três jardas. Aí então Brissett começa a distribuir os passes. 15 jardas para Chester Rogers, depois mais 11 para Gore. Brandon Williams também é envolvido no jogo aéreo para 15 jardas. Aí então começa o show do verdadeiro dono do Texans. Com uma bomba de 45 jardas, nosso #7 encontra T.Y. Hilton lá dentro da endzone. 7×0 e 8:33 para terminar o primeiro quarto.

O jogo caiu de nível. Uma sequência de punts (e um field goal perdido por Houston) que parecia não ter fim só foi interrompida após um boa campanha do Colts, isso faltando 9:27 para o intervalo. Marlon Mack com boa corrida avança 11 jardas. Em seguida, Brissett encontra Hilton para mais 30 jardas e, com um encroachment defensivo, estávamos na linha de 11 numa 1st & 5. Mack consegue o first down. Bola na linha de 6. Com o campo pequeno, Brissett não consegue encontrar os recebedores. Adam Vinatieri entra em campo para aumentar a vantagem. 10×0 e 4:34 para o intervalo.

Mesmo com um belo passe de Savage para Will Fuller V, o Colts consegue um importante strip sack com Jabaal Sheard, mas a bola foi recuperada por Houston. Com a campanha prejudicada, Savage não consegue o first down e, com isso, bola do Colts. Com 1:52 restando, era a chance para abrir pelo menos 13 pontos de vantagem e, tendo a posse no início do segundo tempo, Indianapolis poderia finalizar o jogo… Poderia… Apesar de ter conseguido dois first downs, Brissett segura demais a bola, não percebe Jack Doyle no meio campo livre para a primeira descida e não vê uma safety blitz de Eddie Pleasant… Strip sack… Lamarr Houston leva a bola até a endzone. 10×7… Mais um turnover por segurar demais a bola. Intervalo.

Começando na linha de 14, Gore avança uma jarda e, logo em seguida, recebe passe para 7 jardas. 3rd & 2. Brissett encontra Doyle para o first down, mas uma falta do novato não-draftado pelo Washington Redskins, RG Kyle Kalis prejudica a campanha. Brissett até encontra Hilton, faltando cerca de meia jarda para o first down, mas o Colts prefere não arriscar e bola pra Houston. Com os times trocando punts, a bola retorna para o nosso ataque. Brissett lança 9 jardas para Hilton. Mesmo com o first down conseguido em seguida, parecia que a campanha seria prejudicada novamente com outra falta do Kalis. Numa 3rd & 9, T.Y. reina novamente no NRG Stadium. Com um passe curto, nosso #13 avança pelo campo e salta na linha de 34 para evitar contato do defensor Kareem Jackson. Ao perceber que ninguém o encostou, Hilton leva a bola até a endzone. Touchdown! 17×7 e 1:56 para terminar o 3º Quarto.

Entrando no último quarto em desvantagem de 10 pontos, o Texans entra em necessidade de pontuar, mas esbarra nas dificuldades de Tom Savage em encontrar seus recebedores. Mais um punt para Lechler, que coloca a bola na linha de 5. Com as costas na parede, Gore corre duas vezes e ganha seis jardas e, apesar do passe incompleto na terceira descida, fomos beneficiados com uma interferência do #40 Williams em Donte Moncrief. E com 12 jardas de corrida, Gore consegue mais um first down. Mas uma falta do Hilton fez o ataque andar 10 jardas para trás. Brissett consegue achar Gore para 8 jardas e Doyle para mais 8, colocando na zona de conforto para Vinatieri. 53 jardas com sobras! 20×7 e a vitória estava próxima.

Mas como nada pra Indianapolis é fácil, Tom Savage encontra seus recebedores com facilidade, já com a defesa toda em modo prevent. E em apenas três minutos, Savage faz uma bela conexão para DeAndre Hopkins para 34 jardas e o touchdown. A mesma sensação de deixar a vitória escapar pairava sobre o Colts. A campanha até começou bem, com um first down para Doyle, duas corridas para o Gore e uma falta da defesa para primeira descida automática. Após quatro jardas para Doyle e mais uma de corrida para Gore, nos encontrávamos numa decisiva 3rd & 5. Passe incompleto… Punt de Rigoberto. 3:10 no relógio.

Bola na linha de 20. Savage com 13 jardas para Ellington. Mais duas jogadas e corrida de 14 com Lamar Miller e two-minute warning. Após um passe incompleto, conexão consecutivas de 16 e 14 para o TE Stephen Anderson. Com 6 jardas em um passe central para Ellington, Savage tenta uma conexão direta na endzone para Hopkins, mas o WR não põe os dois pés no campo. Passe incompleto.

Mesmo assim, o first down acontece com o mesmo Hopkins. Bola na linha de 7. Primeira jogada é um passe incompleto para Ellington. Em seguida, outro passe incompleto para Anderson. A terceira jogada confirmou mais um excelente jogo do Nate Hairston. Savage manda a bola para Hopkins, mas antes que o #10 fizesse a recepção, nosso rookie #27 desvia a bola de forma sensacional. Última jogada! Dois segundos! Snap, Savage procura, Sheard acha… STRIP SACK MONSTRUOSO DO #93! Fim de jogo e 3-6!!!

PONTOS POSITIVOS:

  • O dono do NRG Stadium se chama Eugene Marquis Hilton. Com 175 jardas em 5 recepções e 2 TD’s, o #13 alcança a 160ª posição em jardas recebidas na história. Isso com cinco temporadas e meia. Ninguém draftado depois de 2011 está entre os 250 primeiros;
  • Jabaal Sheard fez mais um jogo brilhante. Várias pressões e dois strip sacks, sendo que o último selou a vitória. Uma das melhores aquisições na Free Agency;
  • Nate Hairston! Que achado! A escolha de 5ª rodada no último Draft vem fazendo uma temporada muito boa. Fez boas jogadas e desviou um passe no touchdown certo na penúltima jogada da partida;
  • Jacoby Brissett fez uma boa partida. 20/30, 308 jardas e 2 TD’s. Apesar do strip sack sofrido, dessa vez não comprometeu;
  • Adam Vinatieri, com 8 pontos no jogo, alcançou a marca de 2.442 pontos na carreira e se tornou o 2º maior pontuador da história da NFL. Faltam apenas 103 para ultrapassar Morten Andersen.
  • Pela primeira vez na temporada, a defesa cede menos de 10 pontos. Mesmo com Tom Savage no comando do ataque texano, é quase uma vitória a defesa ter conseguido isso.

PONTOS NEGATIVOS:

  • Modo Prevent com quase um quarto inteiro para jogar. Parem com isso!!! Quase entregamos mais uma vitória de bandeja;
  • Vontae Davis não jogou por problemas ainda não totalmente esclarecidos. A renovação do #21 está cada vez mais distante e, com o crescimento do Pierre Desir, Nate Hairston e Rashaan Melvin, ele provavelmente não volta para a próxima temporada.

AS ATUAÇÕES

Já não pensava que poderíamos tratar de uma vitória nos textos de pós-jogo do Colts. Fica até difícil não iniciar falando de como o Colts perdeu um jogo ganho. Até a lesão de Deshaun Watson não era imaginável que o Colts saísse de Houston com uma vitória a mais na temporada. Que o leitor entenda que não estamos comemorando a lesão, por favor, apenas levantando uma possibilidade de um 2-7 na temporada para o Colts.

Sem Watson para comandar o ataque, a defesa azul e branca teve de parar Tom Savage. Desde o primeiro jogo da temporada para o Texans ficou claro que o camisa #3 não era capaz de levar a franquia de Houston às vitórias e aos sonhados playoffs da NFL. Serviço teoricamente mais fácil para a ruim defesa de Indianapolis. Dessa vez nem o jogo corrido funcionou bem, como tinha funcionada na semana anterior contra Seattle, muito pelo equilíbrio possibilitado por Watson em campo. Sem ameaçar muito com o jogo aéreo, ficou mais “fácil” para o Colts parar o jogo corrido do Texans.

Começando então pelas atuações do ataque. Jacoby Brissett caminhava para ter um jogo sólido pelo Colts, não fosse pelo fumble sofrido e retornado para touchdown. Lançou boas bolas para os recebedores, passando 308 jardas com 66,7% de aproveitamento e tendo um rating de 122.6 ao término do jogo. Ainda vemos o problema da demora em alguns snaps. Brissett apesar de tentar procurar de forma mais rápida seus recebedores, ainda segurou muito a bola gerando alguns sacks e faltas. Distribuiu a bola relativamente bem, tendo como alvo 6 diferentes recebedores durante o jogo. Entretanto os alvos favoritos do camisa #7 se tornam cada vez mais evidentes: Jack Doyle e TY Hilton.

Fonte:https://twitter.com/ColtsAuth_Kyle/status/927269468023160835?s=08

E o que falar de TY Hilton contra o Houston Texans? Massacrou, passou por cima, não tomou conhecimento dos defensores: anotou 175 jardas, 2 touchdowns e 5 recepções para colocar o Colts em ótima vantagens. Após esse jogo, o wide receiver está empatado em jogos (10) recebendo 150 ou mais jardas desde 2012 – junto com AJ Green, Julio Jones e Calvin “Megatron” Johnson. O time mais novo da NFL parece ser a presa favorita do “Ghost”, a seguir vemos os números:

Temporada

Jardas TDs

2017*

175

2

2016

164 1

2015

117 0

2014

273 1
2013 199

3

2012 189

2

Total 1117

9

Média por temporada 186

1,5

Fonte: adaptado de http://www.nfl.com/player/t.y.hilton/2532865/careerstats

* A temporada de 2017 com apenas um dos confrontos entre Texans e Colts. As demais, com números dos dois confrontos.

Não há time da divisão Sul da AFC que tenha sofrido mais com o camisa #13 do Colts. Quando os números são comparados, o confronto contra o Texans foi o que mais rendeu jardas (considerando os dois jogos) em uma temporada para o recebedor dentro da divisão. Ao final do texto a comparação entre os times da divisão pode ser observada. Mas se você ainda não está satisfeito com o ex-jogador de Florida International lá vamos nós: com as jardas do confronto contra o Texans, T.Y. voltou ao top de recebedores com 702 jardas, atrás apenas de Antonio Brown.

Doyle, Mack e Gore ainda tiveram boas atuações. O TE teve a segunda marca em jardas, fazendo outro jogo sólido; da mesma forma, Mack e Gore correram bem, combinando para 80 jardas. Ainda que não tenham anotados touchdowns, os 3 jogadores foram de grande importância para o time, ajudando em descidas cruciais para o avanço no campo. O TE ainda está empatado em segundo lugar entre os jogadores da posição com 5 tackles perdidos forçados, atrás apenas de Travis Kelce. Destaque também para Joe Haeg, que após muito tempo teve boa atuação como RT. O jogador foi avaliado com 84.9 pontos pelo Pro Football Focus, tendo a quarta melhor jota do time. Único jogador do ataque a aparecer no Top 5 do site.

Do outro lado do time, a defesa, podemos destacar uma atuação muito boa. Vamos começar então pelos jogadores da linha defensiva: não foi uma tarde extraordinária para nossos gordinhos. Podemos destacar Anderson com um hit e um tackle para perda de jardas e Hankins com um passe defletido. O jogo corrido do Texans teve um total de 94 jardas, com uma média de 4.5 por tentativa, valor que representa quase o dobro da média cedida nos jogos anteriores.

Quando falamos dos LBs, podemos destacar um dos melhores jogos de Jabaal Sheard pelo Colts, senão o melhor. Foram 2 strip sacks, 4 hits e 4 tackles. Excelente atuação do recém-chegado, credenciando-o a ser o melhor jogador do time segundo o PFF, com nota 91.5. Sim, amigos, vocês viveram para ver Jon Bostic fazer um bom jogo pelo Colts. Empatado com Sheard segundo o Pro Football Focus, o LB teve o único bom jogo por Indianapolis. Acreditem se quiserem: teve dois passes defletidos e 2 hits. Ajudou no jogo corrido e contra o passe.

Enquanto isso Morrison parecia louco para ser ejetado. Em diversos lances apareceu na jogada com força desproporcional, arriscando muitas vezes de ser penalizado com uma falta por unnecessary roughness. As zebras, nada viram. Em compensação, George, já elogiado por estes que vos falam, teve atuação bem ruim, pouco ajudando a defesa, apenas 1 tackle.

Felicidade mesmo sentimos ao falar da secundária. SETE! Esse foi o número de passes defletidos pelos jogadores da secundária do Colts. Acho que há algum tempo não ficava tão feliz com o desempenho dos nossos CBs, e dessa vez precisamos elogiar. Desir substituiu muito bem Vontae Davis, ajudou a anular os recebedores do Texans. Melvin teve atuação impecável, com 1 passe defletido, permitindo apenas 10 jardas em recepções e um rating de 39.6. Hairston, além do ótimo jogo, garantiu um passe incompleto do Texans no drive que poderia dar a vitória aos donos da casa.

Com as atuações então, elegemos as 3 melhores atuações contra o Texans: TY destruindo no ataque, Sheard e Hairston decretando a vitória além de ótimas atuações durante o jogo.

BÔNUS

Ainda temos uma menção honrosa a ninguém mais ninguém menos que Adam Vinatieri. Ultrapassando Gary Anderson, Vina passou a ser o segundo maior pontuador da história da NFL, com 2442 pontos. Que carreira amigos, apreciem o GOAT!

OS MELHORES DA SEMANA

A partir deste texto, em toda semanas iremos eleger os melhores do time, um Top 3 das atuações consideradas por nós os melhores jogadores da semana. Contra o Texans, não tivemos surpresas:

O pódio foi formado por TY Hilton, como o melhor jogador indiscutivelmente. Logo atrás temos Jabaal Sheard e Nate Hairston que selaram a vitória do time de Indianapolis, além de ótimas atuações individuais. O OLB recém chegado mostra-se uma excelente contratação de Chris Ballard; enquanto isso, Hairston é considerado por todos uma jóia achada nos rounds mais altos do draft, tendo um ótimo ano ainda como calouro.  

Desempenho de TY Hilton contra times da AFC South

Houston Texans Tennessee Titans

Jacksonville Jaguars

Temporada

Jardas TDs Jardas TDs Jardas TDs

2017*

175 2 19 0 27 0

2016

164 1 230 2 137 1

2015

117 0 138 0 199 0

2014

273 1 105 0 202 1
2013 199 3 90 0 200

0

2012 189 2 85 0 113

1

Total 1117 9 667 2 878

3

Média por temporada 186 1,5 111 0,3 146

0,5

 

Fonte: adaptado de http://www.nfl.com/player/t.y.hilton/2532865/careerstats