Numa tarde espetacular o Indianapolis Colts atropelou o Dallas Cowboys por 23-0 no Lucas Oil Stadium. A franquia apresenta uma mudança completa de mentalidade, que resulta no melhor futebol apresentado em muito tempo, evidenciado nas vitórias. Uma mentalidade vencedora e de união entre jogadores, mostrando que realmente “não se pode comprar um vestiário” como disse o GM Chris Ballard.

 

PONTOS POSITIVOS

Linha Ofensiva

A linha ofensiva dos Colts é completamente diferente com o Ryan Kelly. Não é exagero falar que o center é um dos melhores da NFL atualmente. Sua sintonia com Quenton Nelson é fantástica, a impressão que fica é que ambos jogam juntos há anos. Nelson mais uma vez constrangeu seus rivais com inúmeros pancakes. Anthony Castonzo e Braden Smith fizeram uma partida muito sólida contra uma das melhores DLs da liga. O calouro se saiu muito bem contra Demarcus Lawrence, um jogador que será muito desejado na próxima free agency. Joe Haeg, titular com a lesão do Mark Glowinski, fez um bom jogo, capaz de ajudar a manter o alto nível de desempenho da unidade.

A linha praticamente estendeu um tapete vermelho e abriu caminho para os RBs correrem. Os Colts dominaram completamente o front seven dos Cowboys. Os bloqueios eram mantidos e finalizados com certa facilidade, especialmente por Nelson. Além disso, as leituras de Ryan Kelly das blitzes e capacidade dos jogadores de chegar ao segundo nível da defesa foram importantíssimas para também neutralizar o trabalho dos LBs adversários. No fim do dia, além de ótima atuação no jogo corrido, tivemos mais um jogo sem sacks cedidos na temporada.

Marlon Mack

O RB teve seu melhor jogo na temporada e na carreira, além do terceiro com mais de 100 jardas corridas. Um total de 139 jardas corridas em 27 carregadas, além dos 2 touchdowns e 10 jardas recebidas. Mack se torna o terceiro jogador da história da franquia a ter mais de 125 jardas e 2 TDs em mais de um jogo numa temporada (Eric Dickerson em 1987 e Edgerrin James em 1999 e 2005). Apesar do fumble sofrido no último quarto, Mack fez uma partida excepcional e chega a 755 jardas terrestres na temporada, com média 4,8 por carregada.

Recebedores

Mesmo sem touchdown aéreo, os recebedores dos Colts fizeram um jogo muito bom com destaque para T.Y. Hilton. O #13 não treinou durante a semana e mesmo assim, apenas “estando a 70%” de suas condições”, liderou o time em recepções (5) e jardas (85). O RB Nyheim Hines obteve 45 jardas em 4 recepções, recebendo algumas bolas bem complicadas sofrendo fortes tackles. Até o criticado Ryan Grant teve duas boas recepções, sendo que na primeira deixou Byron Jones no chão e na segunda a vítima foi Anthony Brown.

O retorno de Mo Alie-Cox

O corpo de TEs tem sofrido muito com lesões ao longo da temporada. Jack Doyle, além de perder cinco jogos na primeira metade da temporada, está no injury reserve. Ryan Hewitt também perdeu jogos e Eric Ebron é figura certa no injury report semanal. Porém, uma ausência vinha sendo muito sentida: Mo Alie-Cox. O TE retornou aos gramados e teve ótima atuação, especialmente ajudando nos bloqueios, lembrando-nos das atuações no início da carreira de Doyle. Além de ser importante para o suporte no jogo corrido e em pass protection, o ex-jogador de basquete no College ainda mostrou-se uma possível arma no jogo aéreo.

 

Linha defensiva

Se tinha algo que deveria funcionar contra o ataque dos Cowboys era o pass rush e ele funcionou muito bem. Dak Prescott foi para o chão três vezes, além dos cinco hits e das inúmeras pressões. Tyquan Lewis teve uma exibição excelente. O calouro conseguiu seus primeiros dois sacks na temporada, além de contribuir com dois hits, quatro tackles (três solo) e dois tackles para perda de jardas. Outro jogador que teve um ótimo dia foi Denico Autry. O DL terminou o jogo com um tackle solo, um tackle para perda de jardas, um sack e um field goal bloqueado. Tá de bom tamanho, né?

Controlar o uso de Ezekiel Elliott era a chave para tornar a vitória mais acessível. No início do jogo, antes e abrir vantagem no placar, os Colts cederam muitas jardas ao RB adversário. Mas o jogo se desenhou de forma que as decisões por parte de Jason Garrett limitaram a participação de Zeke no segundo tempo. Podemos dizer que tivemos um turning point no jogo logo no fim do segundo drive dos Cowboys.

Na linha de uma jarda do ataque, em uma terceira descida, os Cowboys tentaram passar a bola para o FB Jamize Olawale que dropou a bola. A seguir, numa 4th & 1 na linha de 3 jardas do campo de ataque os Cowboys fizeram o óbvio: usar um dos melhores RBs da liga em uma corrida. Margus Hunt conseguiu infiltrar pelo meio da OL, atrasou Elliott juntamente com Matthew Adams e permitiu a Pierre Desir forçar um fumble, recuperado por Jabaal Sheard.

Ao todo, no primeiro tempo, Elliott foi envolvido em 16 das 34 jogadas dos Cowboys (13 corridas e 3 passes recebidos), um total de 64 jardas terrestres e 24 aéreas. Isto foi reduzido a 23 jardas pelo chão e 18 aéreas em 10 jogadas (5 corridas e 5 passes recebidos) das 26 que Dallas teve no segundo tempo. Ou seja, 87 jardas terrestres e 42 recebidas para o #21. Contamos com a boa atuação da defesa na red zone e com um pouquinho de sorte. Dallas foi forçado a explorar a arma mais frágil e inconsistente de seu ataque: o jogo aéreo. Assim, os Colts mantiveram o controle da partida e manipularam o relógio.

Linebackers

Darius Leonard e Anthony Walker Jr. estão cada dia mais afinados comandando a defesa. Se existia alguma dúvida de quem é o Defensive Rookie of The Year, isso já foi esclarecido. Darius Leonard mais uma vez esteve espetacular em campo. Liderou o time em tackles com 11 (nove solo), um tackle para perda de jardas e dois passes desviados. Se o #53 já era um monstro combatendo corridas, agora está mostrando clara evolução na cobertura de passes. Walker contribuiu com cinco tackles (quatro solo), além de quase interceptar um passe desviado de Leonard. Mais um bom jogo do segundanista.

Que Darius Leonard vinha sendo um ótimo jogador auxiliando no combate ao jogo corrido todos nós sabíamos. Nas primeiras semanas, entretanto, observávamos uma dificuldade na marcação de passes, especialmente passes mais longos, entre sua zona e a de atuação dos safeties. No jogo anterior o LB já tinha feito uma excelente jogada defendendo passe que tinha DeAndre Hopkins como alvo. Dessa vez, em dois passes curtos para Cole Beasley, Leonard leu os olhos de Prescott e desviou a bola. Sem contato com o recebedor, sem risco de falta, apenas usou seus instintos e capacidade atlética para desviar a bola.

 

Secundária

A missão foi cumprida com louvor e o ataque dos Cowboys ficou dependente do Dak Prescott soltar o braço 39 vezes. Quincy Wilson e Pierre Desir estão jogando muito bem, limitando os WRs adversários a pouquíssimas jardas. Amari Cooper, que lidera a NFL em jardas e touchdowns desde que chegou a Dallas, foi limitado a 32 jardas e estava claramente frustrado na sideline. Desir desviou um passe de forma espetacular em outra oportunidade. O #35 contribuiu com sete tackles solo no jogo. Wilson está claramente melhor, evoluiu muito seu jogo, sendo um incômodo ao WR em situações man-to-man, além de ajudar com quatro tackles solo. O que não poderia faltar era uma interceptação… Dessa vez quem se encarregou de roubar a bola de Dallas foi o S rookie George Odum.

Time de especialistas

Adam Vinatieri acertou todos seus cinco chutes na partida. Três field goals e dois extra points. Além disso, nosso kicker bateu o recorde de field goals entre 40 e 49 jardas, com 162. O punter Rigoberto Sanchez chutou apenas um punt durante o jogo, para 52 jardas e dentro das 20 jardas de Dallas. E não é só isso: Denico Autry ainda conseguiu bloquear um chute do kicker Brett Maher. Tarde espetacular.

PONTO NEGATIVO

Kemoko Turay e Jordan Wilkins

Não encare esse parágrafo como um ponto negativo do jogo, mas como um revés para os dois jogadores. Kemoko Turay tem perdido cada vez mais espaço, graças as boas atuações de Al-Quadin Muhammad e Tyquan Lewis. Teve também problemas com lesões recentemente e não tem se destacado nos treinos, segundo os insiders. O resultado foi não entrar em campo no último domingo. Ainda é cedo para ligar o sinal de alerta ou já devemos nos preocupar?

Já Jordan Wilkins, mesmo com uma recepção salvadora após fumble sofrido por Luck no snap, só esteve em campo com o time de ataque duas vezes. O RB teve problemas de ball security, assim como seu companheiro de Draft, Nyheim Hines. A diferença é que Jordan parece não ter conseguido superar esse problema e, com o retorno de Mack aos gramados, viu seu workload reduzido.

 

Com a vitória, os Colts continuam na luta pela vaga nos playoffs. A missão agora é ganhar os dois últimos jogos: em casa contra os Giants e foram de casa contra os Titans. O último jogo do ano será como uma eliminatória, um playoff dentro da divisão, uma vez que o derrotado terá o fim de sua temporada e o vencedor pode ir à pós-temporada. Além disso precisamos torcer por pelo menos uma derrota dos Steelers ou dos Ravens. GO COLTS!!! (8-6)

 

Para ver os melhores momentos, mais estatísticas e números do jogo, acesse o Game Center oficial da NFL.

Assine o Feed do Colts Brasil para não perder nenhum episódio! http://fumblenanet.com.br/feed/coltsbrasil

Siga-nos no Instagram! https://www.instagram.com/podcastcoltsbr/

E no Twitter: as notícias e cornetadas no @potrosbr, @horseshoeBR, @CarolVago12 e @pj1992.

Fotos: disponíveis no site oficial dos Colts.

DEIXE UMA RESPOSTA