Os jogos de primetime tem sido um assombro para os Colts. Constantes derrotas, más atuações e, nessa ocasião, a repetição de um confronto de Divisional Round que deixou os Colts nas cordas. O resultado foi melhor que o esperado: uma vitória gigantesca por 19-13, fora de casa, contra um dos melhores times da Liga e sem dois dos melhores jogadores do time, Malik Hooker e Darius Leonard. Limitar os Chiefs à menor marca de pontos da Era Mahomes em Kansas City tem um gosto ainda mais saboroso.

 

OS PONTOS POSITIVOS

Run the damn ball!

O torcedor dos Colts sofreu com a falta de uma linha ofensiva e de jogo corrido por anos e anos. Desde a temporada anterior o time melhorou nesse aspecto, com as chegadas de Quenton Nelson e Braden Smith. Ontem, o jogo terrestre foi o principal motivo para o sucesso dos Colts fora de casa. Atuações limpas dos jogadores de linha ofensiva, em especial Anthony Castonzo, fizeram com que os visitantes dominassem as trincheiras. Marlon Mack causou pesadelos à defesa dos Chiefs, enquanto outros corredores não tiveram números tão expressivos, mas foram capazes de contribuir.

Ainda que Mack não tenha anotado touchdowns corridos, o jogador foi o “carro-chefe” do nosso ataque, com 132 jardas terrestres e mais 16 recebidas. O jogador demonstrou inteligência, paciência e força quando necessário, excelente jogo para o #25. No total, o time correu para 180 jardas em 45 tentativas, gastando o relógio e impedindo que Patrick Mahomes permanecesse em campo.

Controle do relógio

Especialmente no segundo tempo os Colts pulverizaram o relógio. No jogo foram pouco mais de 37 minutos com a posse de bola, sendo que o primeiro tempo foi marcado pela paridade na posse (31 segundos de diferença entre os times). Destes 37 minutos, 11:20 foram gastos no terceiro quarto e mais 11:11 segundos no último quarto. A segunda etapa do jogo foi dominada pelo ataque dos Colts, dando tempo de descanso para nossa defesa, enquanto a adversária definhava tentando parar nosso jogo corrido. Tirar Mahomes de campo é a melhor estratégia quando se joga contra o atual MVP da Liga, e os Colts fizeram o trabalho muito bem após liderar o placar no intervalo.

Linha defensiva

É reconfortante ver essa linha defensiva produzindo bem novamente. O inferno que Damien Williams fez no Divisional Round ficou no passado. Os Colts limitaram o ataque terrestre dos Chiefs a 36 jardas. E além disso, após jogos ruins contra os Falcons e Raiders, a linha defensiva mostrou que consegue pressionar o QB adversário. Dos quatro sacks ao longo do jogo, um veio por meio da infalível “Lei do ex”, com Justin Houston derrubando Mahomes. O ex-Chiefs ainda contribuiu com dois tackles para perda de jardas, um deles numa quarta descida, essencial para a vitória do time de Indianapolis.

Destaque para o ótimo retorno de lesão de Jabaal Sheard, contribuindo na pressão ao QB e também contra o jogo corrido. Turay também teve boa contribuição após snaps limitados em jogos anteriores. Outro jogador que parecia estar de escanteio e tem feito boa temporada é Grover Stewart. Conseguiu contribuir com um sack na partida e mostrar que tem tudo pra assumir de vez o lugar de Margus Hunt como titular da DL.

George Odum e Khari Willis

Os Colts chegaram ao jogo contra os Chiefs sem os dois safeties titulares – Hooker com problema no menisco e Geathers fora por uma concussão. Naturalmente o maior receio dos torcedores recaía sobre a ausência de Hooker e o potencial de Mahomes em criar big plays. Felizmente Odum e Willis tiveram ótimos jogos, essenciais auxiliando contra o jogo corrido e fazendo tackles importantes no miolo do campo. A dupla foi extremamente agressiva, e mesmo quando não conseguia concluir o tackle, era capaz de retardar o ataque dos Chiefs. Os jogos anteriores mostraram as deficiências de Geathers e com isso esperamos que com o jogo de ontem o jogador tenha cada vez menos snaps. A produtividade e agressividade acertada de Odum e Willis mostram que é hora de mudanças com relação ao veterano.

Agressividade de Frank Reich

Durante toda a Era Pagano os Colts eram rotulados pela própria torcida como um time que não tinha vontade de vencer, que não era agressivo. Na temporada anterior o atual HC dos Colts, Frank Reich, foi muito criticado por tentar uma conversão de quarta descida contra os Texans e perder um jogo por isso. Posteriormente, as demais tentativas bem-sucedidas que, que funcionaram, não foram muito comentadas. As conversões trouxeram à torcida um sentimento de uma busca insana pela vitória que foi tomando conta de todos. Quando gritamos do sofá para que o time tente a conversão, já sabemos que o time irá buscar as jardas necessárias. Nessa temporada os Colts já tentaram e converteram sete quartas descidas, sendo duas contra os Chiefs. Apesar de em alguns momentos ter erros como play-caller, Frank Reich dificilmente irá pecar por falta de agressividade.

Special Teams

Elogiar Vinatieri por acertar os cinco chutes no jogo não deveria ser exatamente um “ponto positivo”. Há algum tempo esses chutes costumavam ser automáticos, mas o início da temporada deixou uma enorme interrogação sobre o jogador. Dessa vez Adam não comprometeu chutando em estádio aberto, ainda que os chutes tenham sido curtos. Com ausência de Campbell, Pascal teve uma boa atuação nos retornos. Rigoberto também teve bom jogo e conseguiu evitar retornos de chutes que atrapalhassem nosso jogo.

 

OS PONTOS NEGATIVOS

De que adianta poder desafiar interferências?

Após a falta de pass interference dos Rams contra os Saints não marcada na final de conferência da temporada anterior, a NFL permitiu desafios em jogadas do tipo. Por favor, me respondam: qual o objetivo de permitir a revisão de faltas se não há mudanças de chamada mesmo em erros claros? Induzir times a perder seus pedidos de tempo a toa e evitar desafios as jogadas… Durante o jogo tivemos a marcação de uma interferência de passe de T.Y. Hilton sobre um defensive back dos Chiefs (confiram o vídeo no tweet). Certos de que não houve falta na jogada (veja por si mesmo), os Colts desafiaram e… perderam o desafio. A NFL cria a nova regra, mas age de forma à sabotá-la, não há motivos para permitir um desafio se nem quando o erro foi claro não há reversão de chamada.

Jacoby Brissett

Um dos principais elogios da Brissett no início da temporada era a sua capacidade de evitar turnovers e proteger a bola. No jogo de ontem, vimos mais um interceptação boba do jogador. Recebedor sendo visado o tempo todo na jogada, problemas de leitura e falta de capacidade de antecipação às jogadas. O jogo de ontem pode ser mais um indício de que Jacoby não deve ser o nosso quarterback para o futuro. Dessa vez a interceptação quase nos custou o jogo, em uma situação tão apertada no placar. Além disso, em alguns momentos o jogador não soube aproveitar oportunidades enquanto a defesa parava o ataque dos Chiefs.

Lesão de Kemoko Turay

O pior momento da noite veio já no último drive defensivo dos Colts. Numa jogada onde nossa DL conseguiu pressionar Patrick Mahomes, vários jogadores dos Colts chegaram até o QB. As câmeras não mostraram ao certo o que aconteceu com Turay, mas em uma fração de segundos vimos o jovem jogador gritando de dor no chão após uma lesão. Durante a jogada Kemoko quebrou o tornozelo e está fora do resto da temporada. A perda é enorme, o DE vinha numa enorme evolução e sendo extremamente útil pressionando o QB adversário. Torcemos por uma rápida recuperação e um retorno tranquilo para Turay.

 

Próxima semana: Bye Week

No último pós-jogo falamos que apenas com intervenção divina para os Colts vencerem os Chiefs. E mais uma vez a franquia Indianapolis Colts joga contra todas as possibilidades. Foi assim quando Josh McDaniels deixou o time na mão, foi assim quando o começo 1-5 da temporada passada deixou todos descrentes de vaga aos playoffs e foi assim quando Andrew Luck se aposentou antes desta temporada. A cultura implantada por Chris Ballard, Frank Reich e companhia mostra que são nos momentos difíceis que deve se mostrar grandeza, e isso os Colts tem evidenciado.

De volta ao campo na Semana 7, o time enfrentará o Houston Texans no Lucas Oil Stadium às 14h. Dado o bom momento das equipes, que vem de vitória sobre o mesmo adversário, a ESPN irá transmitir a partida, que vale a liderança da AFC South. Tem tudo para ser um grande jogo e, após essa vitória sensacional contra os Chiefs, os Colts voltam para casa com o moral elevado para enfrentar seu rival. Hora de descansar, recuperar os jogadores machucados e voltar com tudo para a sequência da temporada. GO COLTS!!! (3-2).

Texto atualizado em 15/10 com a informação da transmissão de Colts x Texans.


Para ver os melhores momentos, mais estatísticas e números do jogo, acesse o Game Center da NFL.

Assine o Feed do Colts Brasil para não perder nenhum episódio! http://fumblenanet.com.br/feed/coltsbrasil

Siga-nos no Instagram! https://www.instagram.com/podcastcoltsbr/

E no Twitter: as notícias e cornetadas no @potrosbr, @horseshoeBR, @CarolVago12 e @pj1992.

Fotos: disponíveis no site oficial dos Colts.

DEIXE UMA RESPOSTA