O Indianápolis Colts espera retornar ao protagonismo da NFL, assim como nas eras Peyton Manning e Andrew Luck, que somadas, foram de 1998-2019; ainda que nesse período o time tenha vencido apenas um Super Bowl, a equipe era com certeza uma das grandes atrações da liga. O sucesso em termos de conquista poderiam até ter sido maiores, mas Luck teve sua carreira muito prejudicada pelas lesões, inclusive o levando a uma precoce aposentadoria antes do início da ultima temporada.

Todos foram pegos de surpresa, inclusive a equipe, que precisou se virar com Jacoby Brissett como quarterback principal. A franquia de Indianápolis até começou bem a temporada, mas teve um fim desastroso com recorde 7-9 e fora dos playoffs. Havia ficado evidente que o Colts fariam algum movimento por um novo QB e o escolhido foi Philip Rivers. Mas será que ele pode levar o time de volta ao sucesso?

As vantagens de Rivers

Philip Rivers sempre jogou pelo Charges e tem ótimas médias na carreira. São 64.7% de passes completados, 397 touchdows e rating de 95.1. Olhando para as 10 últimas temporadas, o QB passou das 4 mil jardas em 9 delas. Ele é o sexto melhor da NFL em jardas aéreas em todos os tempos (59.271).

A verdade é que muitas vezes o Charges não ajudaram o QB com um time que o desse o devido suporte, até por isso uma das marcas negativas de Philip Rivers é de nunca ter disputado um Super Bowl. O mais perto que chegou disso foi apenas uma final de conferência, sendo derrotado pelo Patriots em 2007. Mas naquele mesmo ano, teve uma atuação memorável ao vencer o próprio Colts de Peyton Manning, jogando fora de casa nos playoffs, em uma partida que teve o rating de 133.2.

Pesa a favor da escolha de Philip Rivers ter trabalho com Nick Sirianni, atual coordenador ofensivo do Colts, durante 5 anos, enquanto era assistente no Charges. Além dele, Frank Reich, atual Head Coach, foi o coordenador ofensivo e treinador de quarterbacks do Charges, tendo trabalhado 3 anos com o novo QB da equipe, incluindo 2013, quando Rivers teve sua maior porcentagem de passes completos na carreira 69.5%, lançando 32 TDs e apenas 11 interceptações.

Os perigos de Philip Rivers

Olhando apenas os números acima daria para afirmar, com tranquilidade, que o Colts fez uma grande escolha. Contudo, precisamos considerar mais alguns fatores para chegar a uma conclusão definitiva. Rivers tem uma proporção de TD e interceptações de 2/1 na sua carreira e seu ultimo ano em LA foi marcado por um total de 20 interceptações e apenas 23 TDs.

Ele não é um garoto, são 38 anos de idade, ou seja, o Indianápolis Colts optou pela experiência. A aposta do time é num curto prazo, até por isso seu contrato é de apenas um ano; claro que, dependendo de seu rendimento, haverá intenção de renovar.

Contudo, surge uma questão importante: Por quanto tempo Rivers ainda vai conseguir jogar em alto nível? Uma, duas, talvez 3 temporadas? E depois? O Colts espera draftar um novo Peyton ou Luck?

A aposta é segura para o curto prazo. Philip Rivers já provou ser capaz de liderar uma franquia e indiscutivelmente é um dos grandes QBs na história da NFL. Entretanto, é bom o Indianápolis Colts ter um plano a médio prazo, para não acabar a próxima temporada mais uma vez fora dos playoffs, sem uma boa posição no draft e nenhuma certeza de quem vai ser o seu quarterback no futuro.

DEIXE UMA RESPOSTA