Bill O'Brien GM/HC ao lado de Jack Easterby VP de operações de futebol.

Desde do ano passado pós draft 2019 os Texans mudaram bastante o seu staff, mudanças impactantes dentro de campo (trocas de Hopkins, Clowney e Tunsil) como fora (Chris Olsen e Brian Gaine demitidos, chegada de Jack Easterby e promoção de BOB para GM). Mas afinal qual é o rumo que a equipe está tomando? BOB iniciou um processo de rebuild? Ele está querendo implodir a franquia? Existe plano nesse processo todo? É buscando respostas para essas perguntas que eu resolvi fazer este texto de esclarecimento. Afim de organizar melhor os acontecimentos dos Texans durante quase um ano, resolvi contar por atos.

Ato I: O novo destino silencioso.

Quando Jack Easterby foi contratado no dia 2 de abril de 2019, 5 dias pós draft ninguém imaginava do que estaria por vim. Easterby chegou em Houston vindo do Patriots para assumir o cargo VP de desenvolvimentos de equipe. Um cargo voltado para os bastidores da franquia de criar e identificar quem estaria de acordo com uma nova metodologia que ele iria começar a implementar junto com BOB. Easterby sempre foi de bom relacionamento com os jogadores, cita bastante a bíblia e foi um cara bastante importante dentro do Patriots nos períodos de crise que a franquia enfrentou na NFL (não entrarei em detalhes). Esse respeito que ele conquistou dentro dos Patriots fez dele um dos homens mais influentes dentro da organização e isso vinha chamando atenção de várias franquias (inclusive dos Texans), entretanto Easterby não se sentia tão valorizado e queria ter mais poder de controle coisa que sob o comando de Bill Belichick não iria acontecer e diante deste fato ele resolveu sair da franquia e aceitar o trabalho nos Texans do seu amigo o HC BOB.

Ato II: Nem sempre o combinado não sai caro.

Numa sexta feira de julho onde nada acontece na NFL vem a noticia do John McClain cronista do Houston Chronicle que soltou em seu twitter:

“Os Texans demitiram o GM Brian Gaine após 1 ano e meio do seu contrato de 5 anos com. Uma busca imediata começa pelo seu substituto. Chris Olsen está no comando até que o substituto seja encontrado.”

Foi uma verdadeira surpresa, ninguém fazia ideia o motivo dos Texans terem demitido Gaine após ter feito um draft onde foi considerado conservador, porém bom por ter endereçado as necessidades do time. Quase um ano depois surgiu o fato que BOB ficou extremamente chateado por Gaine não ter conseguido renovar com Tyrann Mathieu por não ter pego ele (irônico isso agora em 2020 rs). Lembram da influência de Easterby na franquia? Pois esse foi o seu primeiro ato, buscar pessoas que se enquadram na mesma visão de franquia do BOB. Mais tarde naquele mesmo dia McClain ainda soltou no seu twitter que Nick Caserio (O GM não GM dos Patriots) era uma das principais escolhas do time para o cargo. Os Texans até marcaram entrevistas com mais dois candidatos, mas já estava claro que eles queriam. Nick Caserio é um grande amigo de BOB e Jack Easterby, com Easterby eles tinham o mesmo agente. Caserio não possuía o titulo de GM da equipe, na NFL se você for convidado para assumir um cargo superior, à sua equipe não pode impedir as entrevistas para o cargo. Na segunda-feira seguinte a demissão de Brian Gaine McClain informa:

“Os Texans fizeram um pedido formal com os Patriots para entrevistar Nick Caserio para o cargo vago de GM. Texans aguardam então uma resposta. Caserio é a primeira escolha para substituir Brian Gaine.”

Estava tudo combinado, Caserio, Easterby e BOB. Os três amigos estariam reunidos e com poder para fazer o que não fizeram nos Patriots, era o novo ciclo, mas será mesmo que estava combinado? Dois dias depois os Patriots acusam os Texans de aliciamento o que iria gerar multa e talvez perdas de escolhas no draft, baseado em que? Jack Easterby esteve na festa do SuperBowl na casa do dono Robert Kraft, os Patriots usaram isso para dizer que Easterby usou da festa para se aproximar de Nick Caserio e iniciar os primeiros contatos. O fato de Caserio e Easterby possuírem o mesmo agente deu mais embasamento ainda para acusação e isso foi o suficiente para os Texans recuarem e esperarem o fim do draft de 2020 quando o contrato Nick Caserio acabaria para finalmente terem o seu GM.

Ato III: O comitê para não passar vergonha.

Um mês após a frustração de não conseguir o seu GM e de certa forma passar vergonha na liga (demitir seu GM sem ter certeza que seu plano de reposição é uma vergonha administrável mas vergonha), os Texans resolveram inovar criando um comitê para tomar as decisões da franquia para o restante da temporada até o draft de 2020 os integrantes foram:
Chris Olsen – Responsável pelos contratos
BOB – HC
Jack Easterby – VP de desenvolvimento da equipe
James Liipfert – Diretor de scouting de college
Matt Bazirgan – Diretor pessoal de jogadores

Eles foram os responsáveis para as medidas seguintes como a renovação do Nick Martin (C), pelas trocas bombásticas de Laremy Tunsil (LT) e Kenny Stills (WR), troca do Jadeveon Clowney (OLB) e as adições de Carlos Hyde (RB), Gareon Conley (CB) durante a temporada. Mesmo que as medidas dentro de campo tenham sido tomadas a frente por BOB todos do comitê estavam cientes e debateram sobre cada movimento que eles estavam fazendo para temporada de 2019. A solução emergencial resolveu alguns problemas dentro da equipe e criou outros e assim foi os Texans para temporada. Como todo mundo sabe comitê de decisões no esporte geralmente não duram muito e os dos Texans terminaram após serem derrotados para o Kansas City Chiefs na rodada divisional, uma semana depois.

Ato IV: Para construir algo novo é preciso implodir até mesmo o que era o certo.

Após o fim da temporada de mais um ano frustrante, BOB e Jack Easterby resolveram quebrar o ultimo pilar do antigo Texans chamado Chris Olsen. Olsen esteve com os Texans desde 2006 e sempre foi reconhecido dentro da liga como um dos melhores negociadores de contratos e era um cara de confiança do antigo dono BOB McNair e parecia também ser um cara que o BOB tinha bom relação mas parece que a coisa desandou quando foi formado o comitê. Talvez Olsen não estivesse 100% de acordo com metodologia de BOB e Easterby, talvez a renovação do Nick Martin foi salgada demais (33M em 3 anos) e isso afetou a relação. Os motivos oficiais ainda não foram descobertos, mas a demissão do Chris Olsen foi a maior vitória de BOB dentro da organização e mostrou que ele está no comando.

Ato V: Os títulos finalmente são oficializados.

Sabe quando o seu time conquistou aquele campeonato de pontos corridos tem pelo menos quatro rodadas e o titulo somente se iria entregue na ultima rodada por mera formalidade? Foi isso que aconteceu com BOB e Easterby. A dupla comandou esse processo durante o ano passado todo, eles estavam a frente, eles queriam o Nick Caserio, que antes que nos esqueçamos ele não veio por que BOB e Easterby acharam que podem dar conta dos serviços após seis meses organizando a franquia ao gosto deles. E no dia 28 de janeiro de 2020 Cal McNair (filho do BOB McNair) oficializou BOB como GM/HC e Jack Easterby passou de um cara de relações entre jogadores para VP das operações do futebol, a trajetória da dupla chegaria ao final com o objetivo alcançado. Quase um mês depois, Kevin Krajcovic foi promovido ao cargo do seu antigo chefe Chris Olsen e essa foi a primeira medida da construção do novo Texans da dupla BOB e Jack Easterby.

Espero que todos esses esforços pela nova filosofia e o rebuild que aconteceu em 2019 seja finalmente o ciclo vitorioso que todo torcedor dos Texans aguarda desde que o time voltou para Houston em 2002. Chega de ser o time da promessa, o futuro é agora e os Texans estão prontos para seu novo destino seja ela qual for o rumo que irá tomar.

DEIXE UMA RESPOSTA