Faltam 58 dias para a 100ª temporada da NFL e hoje relembramos mais uma grande história da liga: o quarterback que, com um tackle, salvou uma temporada! Acesse fumblenanet.com.br/nfl100 para conferir outras histórias épicas!

Que a função do quarterback é distribuir as jogadas de ataque e liderar a equipe de forma a avançar com a bola no campo adversário isso todo mundo sabe. O que muitas vezes não consideramos é que algumas vezes ele precisa ter o raciocínio rápido mesmo depois de passar a bola adiante. Foi o que aconteceu no Divisional Round da temporada de 2005, depois do two-minute warning do jogo entre o Pittsburgh Steelers (seed #6) e o Indianapolis Colts (seed #1).

Jogando como azarão contra o então líder da conferência americana, os Steelers jogaram com muita consistência e foram para o intervalo com a liderança tranquila de 14×3 no placar. Já no terceiro quarto, um touchdown de Jerome Bettis aumentou a diferença para 21 x 3 e tudo parecia em bem encaminhado para a equipe visitante. O único problema era que do outro lado estava ele, Peyton Manning que, com dois drives fulminantes, transformou a diferença em fumaça e deixou o placar em 21 x 18 faltando 4:24 minutos para o fim da partida. Havia esperança para os Colts.

O jogo seguiu, um punt dos Steelers para a linha de 17 jardas e dois sacks acabaram por devolver a bola aos Steelers na linha de 2 jardas dos Colts quando faltava 1:21 minuto para o fim. Vibração de um lado, silêncio do outro e um jovem e cabeludo quarterback que deveria apenas administrar o relógio para seguir nos playoffs. No entanto, o que o público presente no RCA Dome viu nos 19 segundos seguintes, foi tudo menos administrável. Logo na primeira jogada do drive, ao receber a bola e tentar a corrida, Jerome Bettis foi atingido por Gary Brackett que conseguiu, com seu capacete, forçar o fumble. Era como se o contínuo espaço-tempo tivesse sofrido uma pane, todas os corações parados, em suspenso por frações de um segundo, até que o estádio explodiu em pulos e gritos. Nick Harper recuperou a bola para os Colts iniciando uma corrida inflamada rumo ao deserto campo oposto. A cada passo, mais se ouviam os gritos da multidão. A sorte havia mudado de lado e finalmente voltava para os donos da casa. Os bloqueadores surgiam de todos os lados e só achavam o vácuo. A última linha de defesa dos Steelers era, literalmente, de um homem só: Ben Roethlisberger.

Recuado, o quarterback assistia ao turnover atônito, mas rapidamente percebeu que ainda estava na jogada. Roethlisberger começou a correr para trás, meio de lado, meio de costas tentando adivinhar a rota a ser seguida. A sideline estava livre e, num inexplicável corte de Harper para o centro do campo, o quarterback se projetou, alcançando seu calcanhar direito e o derrubando na linha de 42 jardas. Naquele momento, podia parecer que ele só teria evitado o pior, pois a bola ainda era dos Colts. Narradores enlouqueciam e torcedores que haviam abandonado as arquibancadas voltavam correndo aos seus lugares.

Os Colts tinham mais uma chance para reverter o placar ou mesmo empatar a partida. Só não sabiam que ali, os dados já haviam sido lançados e a sorte os havia abandonado de vez. A defesa dos Steelers conseguiu evitar um avanço maior e Manning conseguiu levar o ataque dos Colts apenas até a área de alcance para um field goal: que nunca seria convertido. Vitória dos Pittsburgh Steelers graças ao tackle providencial de Ben Roethlisberger em Nick Harper.

O resto da história vocês já conhecem: os Steelers venceram a AFC com o placar de 34 x 17 sobre os Broncos e disputaram o Super Bowl XL, vencendo o Seahawks por 21 x 10 no Ford Field.

DEIXE UMA RESPOSTA