A posição de wide receiver é sempre mais complicada de se analisar, isso porque todo ano aparecem dezenas de prospectos muito nivelados e que tiveram bons momentos no college, o que dificulta na hora de classificá-los. Falando sobre o Saints, a posição de recebedor é uma necessidade evidente na equipe, pois apesar de ter um dos melhores da liga em Michael Thomas, o ataque ainda precisa de um jogador para complementá-lo, assim como Kamara faz a Ingram. O jogador ideal em minha opinião para assumir a posição de WR #2 deve ter características distintas de Thomas, deve ser um jogador que tenha a qualidade de “alongar” o campo, com capacidade de big plays. Apesar de ver algumas boas opções na free agency para o Saints conseguir esse jogador, o draft também apresenta bons prospectos que iriam agregar bastante, que irei falar agora.

  • Calvin Ridley, Alabama

Jogos observados: vs LSU, vs FSU, vs Clemson, vs Georgia

Calvin Ridley é o melhor wide receiver desse draft, ele apresentou ótimas performances em Alabama, e é importante destacar o fato de conseguir se destacar com Jalen Hurts como quarterback. Ridley não é um “big body” receiver, o que o fez bastante versátil na universidade, jogando aberto ou no slot. Ele mostrou muita precisão nas rotas, velocidade para conseguir se separar do marcador, e mãos confiáveis, mesmo sofrendo com alguns drops fáceis às vezes, mostrou também muita agilidade nos pés, o que o ajudou a queimar o cornerback adversário em algumas situações. Ridley dificilmente estará disponível quando o Saints for draftar, porém a equipe que o selecionar, estará adquirindo um atleta extremamente competitivo e que tem tudo para se dar bem na liga, afinal, qualquer jogador que passa Julio Jones em termos de jardas, merece ser respeitado.

Highlights: https://www.youtube.com/watch?v=VJu-aeiEDW8

Nota: 9,0

  • James Washington, Oklahoma State

Jogos observados: vs Texas, vs Oklahoma, vs Pittsburg

Washington foi, ao lado de Mason Rudolph, o grande destaque do poderoso ataque de Oklahoma State no college. Ele é um dos recebedores mais velozes dessa classe, e mostrou ter uma capacidade imensa de fazer big plays. É um jogador que tem boas mãos e precisão nas rotas, em jogadas longas, queimou os marcadores constantemente com bonitos cortes, porém, apesar disso oscilou um pouco em conseguir separação em rotas curtas e médias. Algo que me preocupa, é que por OSU jogar em um esquema que envolve diversos recebedores e o quarterback no shotgun, ele raramente enfrentou marcação pressão, o que não vai acontecer na liga. Se draftado pelo Saints, Washington seria o jogador para complementar Thomas, que iria “alongar” o campo com rotas longas e muita velocidade, similar ao que Cooks fazia no time.

Highlights: https://www.youtube.com/watch?v=Zq8xCERubko

Nota: 8,5

  • Anthony Miller, Memphis

Jogos observados: vs UCONN, vs UCLA, vs Houston

Esse é um jogador pouco reconhecido entre os prospectos desse ano, começou a ser falado recentemente, e é meu wide favorito dessa classe. Miller mostrou que, mesmo sendo um recebedor baixo, é bastante versátil e pode jogar tanto de slot como aberto, mostrou também ótimas mãos e muita velocidade, porém o que mais impressiona é sua força, e apesar do tamanho, na maioria das vezes ganhava em situações “50/50”, que é uma disputa com o cornerback pela bola no alto. Preocupou um pouco nas rotas curtas e na proteção da bola (sofreu 5 fumbles na universidade), porém independente disso, acredito que Miller possa ser uma das opções de WR #2 nesse ataque de Sean Payton, e Brees iria adorar um alvo competitivo como ele. O ponto positivo é que, por não estar com tanto destaque entre os prospectos, pode ser que esteja disponível na terceira ou quarta rodada.

Highlights: https://www.youtube.com/watch?v=zv-won1skYY

Nota: 8,0

  • Courtland Sutton, SMU

Jogos observados: vs North Texas, vs TCU, vs Houston

Sutton é provavelmente o melhor “big body receiver” dessa classe, e é visto por muitos um jogador de primeira rodada. Em SMU ele mostrou precisão nas rotas, boa velocidade para o seu tamanho, mãos confiáveis (mesmo dropando algumas vezes por desatenção), mas o que mais impressiona foi a sua força, onde raramente ele perdeu nas disputas “50/50”, e é uma ameaça constante na redzone. Ele tem os atributos que um WR #1 precisa ter, apesar de precisar melhorar no quesito recepção e nas faltas, onde sofreu cometendo “pass interferences” no college. Se corrigidas essas questões, Sutton tem tudo para ter sucesso na NFL.

Highlights: https://www.youtube.com/watch?v=yD6tS0iyZJA

NOTA: 8,0

  • Christian Kirk, Texas A&M

Jogos observados: vs UCLA, vs Wake Forest, vs Arkansas

Kirk é junto com Ridley e Sutton, presença constante na primeira rodada dos mock drafts. Ele tem mãos muito confiáveis, muita agilidade nos pés, o que o ajudou a sair bem da linha de scrimmage, apresentou também ser um bom retornador e quando alinhado no slot mostrou ser eficaz nas rotas. O principal motivo pelo qual eu não selecionaria Kirk na primeira rodada é porque ele é um jogador limitado ao slot, pois não vi nele a velocidade necessária para jogar aberto.

Highlights: https://www.youtube.com/watch?v=TmlIeRgb7A0

Nota: 7,5

  • Dante Pettis, Washington

Jogos observados: vs Utah, vs Washington st, vs UCLA

Dante Pettis se destacou na universidade principalmente pelas suas habilidades como retornador, porém ele mostrou outras qualidades interessantes. Ele tem pés ágeis, que o ajudaram nos cortes limpos na secundária, tem boas mãos, e por ser veloz, se mostrou um recebedor versátil, sendo usado muitas vezes em jogadas de “Jet sweep”. No college, ele teve muita dificuldade contra cornerbacks físicos, mas isso é fácil de ser reparado. Pettis pode ser uma opção interessante na 3ª ou 4ª rodada, e caso seja selecionado pelo Saints, seria uma arma poderosa contra a defesa adversária.

Highlights: https://www.youtube.com/watch?v=AFNMGzPb0xw

Nota: 7,0

  • DJ Chark, LSU

Jogos observados: vs Tennesse, vs Auburn, vs Notre Dame

Chark vem de uma boa escola de recebedores, que enviou para a liga em 2014 Odell e Landry. Apesar de não ter a qualidade desses jogadores, ele mostrou boas coisas na universidade e poderia finalmente, ser o jogador de LSU draftado pelo Saints. DJ tem uma ótima combinação de tamanho e velocidade, é uma ameaça constante de big play, e queimou muitas vezes a secundária com cortes e “Double moves”. Preocupou um pouco em LSU por perder na maioria das vezes nas disputas “50/50”, o que dificulta o seu jogo, principalmente na redzone. É uma alternativa a ser considerada na 3ª rodada, e depois do ótimo sênior bowl que fez pode ser que nem lá esteja disponível.

Highlights: https://www.youtube.com/watch?v=2v85hjVXLuQ

Nota: 7,0

  • DJ Moore, Maryland

Jogos observados: vs Wisconsin, vs Michigan, vs Penn St

Confesso que antes de começar a avaliar os prospectos de wide receiver desse draft, imaginei que fosse classificar Moore melhor, mas após observar alguns jogos vi algumas coisas que me incomodaram um pouco. Nos jogos em que assisti, Moore não mostrou ter muito controle para se manter no campo nas recepções, fora isso, não sei se o erro era do quarterback ou do próprio Moore, mas houveram algumas jogadas em que ele estava completamente fora da jogada. Tem mãos decentes, mas o que levou ele a ter esse “hype” foi o seu sucesso nas “crossing routes”, sua habilidade nas jardas após a recepção, e principalmente sua agilidade, onde em alguns momentos, Moore saiu com bastante facilidade da linha de scrimmage para efetuar as rotas. Apesar de ter minhas ressalvas, não acharia ruim vê-lo sendo selecionado pelo Saints na terceira rodada, só não o vejo como um jogador de segunda, ou até primeira, como alguns analistas.

Highlights: https://www.youtube.com/watch?v=nC_I-ODggSQ

Nota: 7,0

DEIXE UMA RESPOSTA