Avaliação Draft Saints 2019

Foi finalizada a última etapa relevante na montagem do elenco para a temporada, o draft da NFL. Como dito algumas vezes, o Saints tinha poucos recursos, mas mesmo assim manteve sua abordagem agressiva para conseguir escolhas mais altas. Irei fazer uma Avaliação Draft Saints 2019, com as escolhas da equipe, além de alguns undrafteds que possam chegar ao 53 man roster.

  • 2ª Rodada (16ª escolha): Erik McCoy, C – Texas A&M

Esse foi um exemplo da agressividade que falei anteriormente, apesar de ter adquirido uma escolha de quarta rodada de Miami, demos as nossas escolhas de segunda desse e do draft seguinte para subir para o início do segundo round. Mas quando Sean Payton se apaixona por algum prospecto é difícil contê-lo, e olhando o desempenho de McCoy, não é difícil de entender o move, é o encaixe perfeito para o Saints, um center extremamente sólido, inteligente, e se mostrou um verdadeiro líder na universidade. Nossa OL titular já estava definida antes do draft, mas acredito que McCoy se torne titular já nessa temporada, em Texas A&M teve ótimas performances contra as mais assustadores linhas defensivas, a estatística de apenas 1 sack cedido durante toda sua passagem no college prova bem isso.

Nota: 8,5

  • 4ª Rodada (3ª escolha): Chauncey Gardner Johnson, S – Florida

Fiquei muito feliz com essa escolha, já havia ressaltado em outros textos minha admiração por Chauncey, e realmente não esperava que estivesse disponível nem em nossa primeira escolha, selecioná-lo na quarta rodada então, é discutivelmente o steal do draft inteiro. O ex jogador de Florida é um verdadeiro playmaker e está em todo o campo, sabe jogar em diversas posições na secundária, foi um líder na universidade, e tem potencial para se tornar titular da equipe. Estou muito ansioso para vê-lo com a camisa do Saints, acredito que ele possa ajudar bastante a equipe compondo uma secundaria que apesar de jovem, é muito promissora.

Nota: 9,0

  • 6ª Rodada (4ª escolha): Saquan Hampton, S- Rutgers

Confesso que não conhecia muito Hampton, tive que ver seus vídeos após sua seleção. Minha questão com essa escolha não é do prospecto em si, mas não via necessidade em outro safety no draft, além de que tinha outros jogadores disponíveis que me interessavam mais, como Travis Homer, Emanuel Hall e Ty Summers. Mas falando do jogador, vi boas virtudes em Saquan, foi a principal peça na fraca defesa do Rutgers, é um jogador que tem bastante liderança, inteligência e visão de jogo e se for desenvolvido, pode acabar virando um steal nesse draft. Apesar de uma secundária recheada, vejo muitas condições de Hampton conseguir seu lugar no 53 man roster, onde viria inicialmente para ajudar no Special Teams.

Nota: 7,5

  • 7ª Rodada (17ª escolha): Alizé Mack, TE – Notre Dame

Nesse draft tiveram muitos prospectos que foram selecionados depois do que se imaginava, e acredito que esse foi o caso de Mack. Ele não é um tight end que se destacou pelo bloqueio, e está cru no quesito rotas e em ler marcações em zona, mas tem muito potencial e na universidade mostrou ser capaz de fazer recepções incríveis. Acredito que será o tight end #3 da equipe e se encontra em ótima situação para se desenvolver, pois terá ótimos tutores para melhorar seus bloqueios e sua execução de rotas com Josh Hill e Jared Cook.

Nota: 8,0

  • 7ª Rodada (30ª escolha): Kaden Eliss, LB – Idaho

O Saints está a cada temporada valorizando mais os Special Teams, e os atributos que Ellis mostrou em Idaho me fazem acreditar que ele pode ser um grande contribuidor nesse quesito. Além disso, ele será importante no depth de linebackers, podendo ser alinhado também como edge. No geral, achei uma escolha bem interessante e com sua versatilidade, pode colaborar em vários aspectos.

Nota: 7,5

  • Devine Ozigbo, RB – Nebraska

Eu pensava que Ozigbo fosse ser selecionado na 5ª ou 6ª rodada, e me surpreendi que não foi nem draftado, para mim é quem tem mais potencial de ficar no elenco entre os undrafteds. Mostrou em Nebraska ser um running back muito eficiente correndo “in tackle”, e pode ser importante durante a temporada. Ele me lembra um pouco Mark Ingram, apesar de precisar melhorar no aspecto recepção.

Nota: 7,5

  • Carl Granderson, DE, Wyoming

Antes do draft, edge rusher era uma necessidade, e enquanto a situação de Ansah não é resolvida, ainda é. Apesar de improvável, bons valores já vieram à liga como undrafteds e, se mantiver a cabeça no lugar, Granderson pode conseguir um lugar na equipe. É um jogador com excelentes medidas e teve ótima produção em Wyoming, mas apesar de bom no pass rush tem muito a evoluir na defesa contra o jogo terrestre.

Nota: 7,0

  • Corbin Kaufusi, DE – BYU

Kaufusi vem de uma família de atletas e impressiona com seus 2,08 metros de altura, mostrou boa produção na universidade, mas não acredito que será fácil a transição para a NFL. Precisará ganhar massa para se dar bem na liga, acredito que ele disputará um lugar na equipe com Granderson, apesar de ver hoje o jogador de Wyoming à frente.

Nota: 6,5

  • Lil’Jordan Humphrey, WR – Texas

O Saints sempre foi muito eficiente em achar bons talentos que ninguém conhecia, principalmente no que diz respeito a recebedores. Humphrey pode ser a bola da vez, jogador alto e que se souber usar a altura, será um pesadelo nos confrontos no slot. Precisa ganhar massa, mas o potencial está lá, e se o Saints não trouxer mais nenhum wide receiver, suas chances de ficar na equipe serão muito grandes.

Nota: 6,5

Resumo:

Em suma, acho que o draft do Saints foi muito bom, conseguiu tirar de poucas escolhas, dois potenciais titulares, dois contribuidores de special teams além de um tight end com bastante potencial. Além disso, manteve a tradição de ser uma das equipes com mais sucesso pela corrida por jogadores não draftados, trazendo bons talentos.

Nota: 8,0.

DEIXE UMA RESPOSTA