Geaux Saints 2019 NFL Draft

Estamos no mês do draft da NFL, esse será o ano mais difícil de avaliar ou tentar prever os movimentos do Saints, pela escassez de escolhas altas. Por isso, antes de fazer (ou tentar fazer) um mock, escreverei textos tratando de dois tópicos; opções de escolha para a nossa única escolha “alta”, e opções de steal para o final do draft. Antes de começar, vejo a equipe com três lacunas visíveis porém nenhuma no time inicial. São elas Safety, Wide Receiver e Edge Rusher, e focarei nessas posições.

Safety:

A classe de safeties de 2019 apesar de não ter nenhum “top 15 lock” como nos últimos anos. Existem boas opções para o 2º dia de draft e olhando o time do Saints, vejo que os dois titulares (Bell e Williams) são sólidos. Porém nenhum dos dois tem um substituto decente, por isso, penso que o perfil de safety que devemos procurar é alguém que seja consistente jogando nas duas posições.

  • Juan Thornhill, Virginia

Esse é meu jogador favorito que pode estar disponível, Thornhill é exatamente o estilo de Safety que precisamos. Pode não ser um single high clássico, mas tem instintos e visão suficientes para jogar de free safety, e é bastante atlético e intenso para se tornar um excelente tackler na liga, além de ter ótimo desempenho fazendo marcação homem-a-homem. Caso sobre para nós, seria um baita steal, pois tenho boas expectativas quanto a ele.

  • Chauncey Gardner-Johnson

Mais um bom produto da secundária vindo da universidade de Florida Gators. Johnson, assim como Thornhill, é um jogador muito versátil, e é uma combinação de liderança, visão e agressividade, essa última, marca registrada da secundaria de Florida. Todo draft, alguns olheiros tentam mudar a posição de certos prospectos devido a seus atributos físicos, e Chauncey parece ser a bola da vez, onde o classificam muito como slot cornerback, porém acho um crime limitar um talento com bons instintos como ele, sua posição é de safety.

Valem a pena mencionar:

  • Marquise Blair, Utah
  • Darnell Savage, Maryland

Diferentemente do nosso safety de Utah (Marcus Williams), Blair é, em minha opinião, o maior big hitter dessa classe, e mesmo jogando grande parte como free safety, com sua agressividade, acredito que não tenha problemas em jogar também como strong. Savage teve um ótimo combine, onde pode mostrar o atleticismo que vemos em campo. Apesar disso, vejo os dois bem abaixo de Thornhill e Johnson e não são minhas primeiras opções na escolha 62.

 

Wide Receiver:

Acho a posição de wide receiver sempre a mais difícil de avaliar e prever quem pode estar disponível, pois cada time tem suas preferências. Não vejo nenhum dos jogadores no meu top 5 livres quando formos selecionar alguém. Por isso deixarei de avaliar AJ Brown, Nkeal Harry, DK Metcalf, Hakeem Butler e Marquise Brown. O perfil de wide que busco é de um slot confiável que tínhamos em Willie Snead.

  • Parris Campbell, Ohio State

Campbell é a minha escolha para wide receiver, é a opção perfeita para jogar no slot da equipe, tem uma combinação de velocidade e habilidade YAC (jardas pós recepção) muito rara de se encontrar, só de imaginar Sean Payton e Drew Brees com um jogador explosivo como ele, já fico ansioso. Apesar de não ter visto muita variedade nas rotas do recebedor na universidade, se ele viesse para aumentar a colônia de Ohio St em New Orleans, ficaria bem feliz.

  • Deebo Samuel, South Carolina

Este é um prospecto que está ficando cada vez mais famoso nos quadros, apesar de não ter a velocidade de Campbell, possui muita agilidade e versatilidade e seria um ótimo slot receiver. Se destacou bastante nos retornos, mas Samuel também possui mãos confiáveis e um boa capacidade de YAC, sendo muito difícil pará-lo em espaço aberto. Vejo que ele tem certa dificuldade em sair de marcações mais pesadas, e assim como Campbell, não tem um leque muito grande de rotas, e isso pode fazer com que caia um pouco no draft.

  • Andy Isabella, UMASS

Isabella é outro jogador que está virando “crush” entre algumas torcidas, é um recebedor competitivo, que faz bem as rotas, muito rápido e ágil. Seu tamanho grita por slot receiver, e é onde se dará bem na liga, mesmo sendo considerado mais baixo que o normal. Meu único problema com Isabella são suas recepções feitas com o corpo, pois na liga ele não terá o mesmo tempo ou espaço para ajustar as recepções que tinha no college.

  • Emanuel Hall, Missouri

Diferentemente dos três recebedores citados anteriormente, Hall não é um jogador baixo, limitado ao slot. Apesar de não ter um perfil igual ao dos outros, o vejo tendo o mesmo êxito no Saints, pois mesmo tendo mais experiência jogando aberto, com sua agilidade, seu trabalho de pés, suas rotas e sua velocidade não haveria problema algum em designá-lo ao slot. Por ser um jogador um pouco cru, acredito que caia no draft, e apesar de não ser minha primeira opção de recebedor, não ficaria triste com sua chegada.

Valem a pena mencionar:

  • Riley Ridley, Georgia
  • JJ Arcega Whiteside, Stanford
  • Kelvin Harmon, NC State

Apesar de serem bons prospectos, não vejo suas características no perfil que precisamos para o corpo de recebedores.

Edge Rushers:

Nossa dupla titular de defensive ends já está bem definida com Davenport e Cam Jordan, com Trey Hendrickson na rotação. Porém sabemos que a temporada é longa e precisamos de alguém para suprir a ausência de Okafor, e enquanto a situação de Ansah está indefinida, a expectativa para encontrar esse jogador está no draft.

  • Oshane Ximines, Old Dominion

Mais um defensive end de escola pequena? Caso nada se defina com Ezekiel Ansah, teremos essa lacuna. Ximines é um jogador muito inteligente e que produziu muito na universidade, a equipe que draftá-lo estará levando um jogador que precisa de ajustes na defesa contra o jogo terrestre, mas tem bastante potencial.

  • Charles Omenihu, Texas

É um dos meus defensive ends favoritos, porém um combine fraco pode fazer com que ele caia nos quadros. Omenihu é um 4-3 defensive end clássico que joga com muita força nos snaps. Apesar do pouco atleticismo, vale a aposta.

  • Jaylon Ferguson, Louisiana Tech

Jogador extremamente produtivo e atlético, mas que é muito leve e precisará ganhar bastante peso para ter sucesso na liga. Porém seu potencial é altíssimo e apesar de estar cru, não o vejo indo para a terceira rodada.

        

Jogadores bons demais para deixar passar:

  • Eigton Jenkins, OL, Mississipi St

Com a aposentadoria de Max Unger e a incerta permanência de Andrus Peat, pode ser que precisemos de um jogador de IOL para o ano que vem. Jenkins pode jogar de center ou guard e é o tipo de prospecto que já chega podendo ser starter, e tendo um ano servindo como backup e amadurecendo, será ainda melhor, pois seu teto é bem alto.

  • Dawson Knox, Tight End, Ole Miss

A chegada de Jared Cook tirou a urgência por um tight end, mas com uma classe tão profunda como essa, não dá para fechar os olhos para os prospectos. Assumindo que o top 3 (Hockenson, Fant e Irv Smith) já estará selecionado, Knox seria a melhor opção,e mesmo com números fracos, provavelmente afetados por ter jogado com DK Metcalf e AJ Brown, mostrou atributos de um jogador completo e com muito potencial.

DEIXE UMA RESPOSTA