O Pittsburgh Steelers venceu na abertura da temporada 2017-18. Convenhamos que o placar de 21 a 18 não foi o placar que a torcida esperava, ainda mais por tratar-se do Cleveland Browns.

A apresentação dos Steelers deixou muito a desejar, especialmente no ataque. Mas houve pontos positivos também, e claro, a vitória é o maior deles.

Começamos a temporada com 1-0, contra um rival de divisão, e várias questões a serem respondidas. Vamos então ao que deu certo e o que deu errado no jogo.

 

Certo

Pass rush

Nosso front seven é uma das mais talentosas e jovens unidades da NFL, e mostrou o estrago que pode fazer desde o início do jogo. Ao todo, foram 7 sacks para uma perda de 42 jardas. O calouro Deshone Kizer não teve sossego.

Bud Dupree desfalcou o time, por um problema no ombro – mas Anthony Chickillo, seu substituto, teve a melhor partida de sua carreira.

Nos primeiros drives de Cleveland, foram os defensive ends Stephon Tuitt e Cam Heyward que se destacaram, parando o jogo corrido e pressionando Kizer. Depois, vimos algo que há tempo almejamos: edge rush (pressão pela lateral do pocket). Anthony Chickillo, já mencionado, calçou bem os sapatos de Dupree do lado esquerdo – e do lado direito, o homem do jogo…

 

T.J. Watt

Que estreia monstruosa foi essa do nosso primeiro escolhido no draft, T.J. Watt! 2 sacks, 6 tackles e uma interceptação belíssima.

 

Assista no vídeo abaixo o primeiro sack da carreira profissional de T.J. Watt (repare no spin move sensacional com que ele “dribla” o LT) e em seguida, sua primeira interceptação (numa leitura inteligentíssima pré-snap e uma execução que mostra todo o seu atleticismo e habilidade com as mãos).

 

 

 

 

Jesse James

O nosso tight end titular provou que Vance McDonald não ameaça sua titularidade. Ele foi (depois de Brown) a melhor opção para Roethlisberger, e mostrou segurança na redzone, recebendo 2 touchdowns. O “fora da lei” é melhor do que muita gente pensa.

 

Joe Haden

Se você esperava ver o recém-contratado cornerback estrear com interceptações contra o ex-time, pode ter ficado decepcionado. Mas a verdade é que nessa posição, aparecer pouco significa fazer um bom trabalho. Como previsto, Kizer evitou lançar a bola na direção de Haden, pois ele estava sempre bem na marcação.

Mas isso não quer dizer que a partida do agora camisa 21 foi completamente discreta. Haden mostrou agressividade, com bons tackles, e até mesmo registrou um sack.

Pelo menos na secundária, nós podemos finalmente respirar um pouco.

 

Antonio Brown

Fala sério, tem como não falar bem de Antonio Brown? No primeiro jogo, o super-astro mostrou que é o nosso melhor jogador atualmente, e continua sendo a melhor opção no ataque, com 11 recepções para 182 jardas!

Mais ainda, a atuação de AB em Cleveland deu indícios de que o wide receiver pode ter sua melhor temporada até agora.

Não importa se a marcação é dupla, ou até tripla – se é o Antonio Brown, ele tá livre.

 

 

Special Teams

Na primeira campanha do jogo, o Cleveland Browns se encontrou numa 4ª para 19 e foi para o punt.

Tyler Matakevich bloqueou o chute e Anthony Chickillo recuperou a bola na endzone, para marcar o nosso primeiro touchdown da temporada. Um início pra lá de inesperado.

Quanto ao retorno de kickoffs (feitos por JuJu Smith Schuster e Terrell Watson), não aconteceu nada demais; o retorno de punts ficou a cargo de Eli Rogers.

 

Veja o touchdown dos especialistas abaixo.

 

https://twitter.com/steelers/status/906927591801593856

 

Errado

Ataque

Fora Antonio Brown e Jesse James, ninguém se salva aqui. Não é novidade pra ninguém que existe um hype gigante envolvendo nosso setor ofensivo. E não é pra menos – afinal, quando se junta Big Ben; AB; Bell; Bryant e nossa linha ofensiva, não se espera menos do que 30 pontos por jogo.

Só que esse hype ainda precisa sair do papel e acontecer na prática. Não aconteceu em Cleveland. Big Ben teve enorme dificuldade em mover as correntes, houve muitos drops, as chamadas de Todd Haley foram – no mínimo – estranhas (vários bubble screens que resultaram em drop ou em perda de jardas), e nosso jogo corrido, com a volta de Le’veon Bell, praticamente não existiu.

 

Corpo de recebedores além de Antonio Brown

Antonio Brown é extraterrestre, eu sei. Mas os nossos outros recebedores também têm grande potencial, e mostraram-se lânguidos em campo. Martavis Bryant agarrou apenas 2 de 6 passes, Eli Rogers teve dificuldades para se desvencilhar da marcação e JuJu Smith-Schuster cometeu holding após holding. Tá certo que as chamadas de Haley não ajudaram, mas esses caras precisam melhorar muito.

Aliás, se o Bell quer ser pago como o melhor RB e segundo melhor WR, precisa parar de dropar screen passes.

 

Le’Veon Bell

É aquele ditado: chegou agora e quer sentar na janela. Bell não tem culpa por querer o melhor para ele, até porque ele fez por merecer temporada passada. Mas o holdout dele no training camp foi totalmente sem sentido. O running back parecia justamente sem ritmo de jogo (motivo pelo qual existe a pré-temporada) contra os Browns. Claro que as penalidades atrapalharam, mas Le’Veon precisa de mais tempo para recuperar a sintonia que tinha com a linha ofensiva.

 

Penalidades

Ou faltas, chame do que quiser… elas quase nos custaram o jogo. Como assim? Quando você vê que o Cleveland Browns marcou 18 pontos em nossa defesa, deve achar que os problemas na secundária continuam e que Kizer jogou muito, mas não foi isso o que aconteceu.

A nossa defesa foi bem em todos os setores, porém as faltas é que fizeram o ataque de Cleveland mover as correntes.

No ataque, a situação foi ainda mais crítica. Já não conseguíamos avançar em campo, e com as faltas, íamos para trás.

Felizmente, Antonio Brown começou a brilhar nos momentos de necessidade, e escapamos – isso mesmo – escapamos de Cleveland com a vitória.

Como o treinador Mike Tomlin sempre diz, temos que parar de “kick our own butts” (chutar nossos próprios traseiros) com penalidades. Tá na hora da conversa se refletir em campo, pois se cometermos tantas faltas contra os Packers ou contra os Patriots, estaremos perdidos.

 

Ben Roethlisberger

Sim, apesar das big plays com Antonio Brown, Big Ben não jogou bem. Em vez de estabelecer o jogo corrido de início, Haley preferiu uma sequência de passes rápidos, e Big Ben não conseguia conectar nada. Foram vários three and outs até que o quarterback começasse a soltar o braço. Não é de se admirar que o lance que engrenou o ataque tenha sido uma recepção de Brown num passe desviado de Roethlisberger. Nosso QB é nossa única chance de chegar ao super bowl, mas ele precisa melhorar.

 

Lesão de Tuitt

Stephon Tuitt, que recebeu um contrato milionário recentemente (merecidamente), sofreu uma lesão no bíceps no início do jogo – justamente quando era nosso melhor pass rusher. Felizmente, há notícias de que, o que parecia ser uma lesão de encerrar temporada, será uma questão de semanas.

Toda a torcida para a recuperação de Tuitt, precisamos dele. #doittuitt

Resumo

Temos muito o que melhorar. Felizmente, enquanto melhoramos, estamos 1-0. Nossa defesa está pronta para um ano especial, e T.J. Watt pode ser o cara. Esperançosamente, o ataque entra em sintonia logo e teremos todas as peças para uma gloriosa temporada.

 

#HereWeGo