Ravens e Bengals perderam, aumentando a vantagem do Steelers dentro da divisão mesmo com o time sem entrar em campo. É bom estar na AFC Norte em 2017. Com oito jogos faltando e o Steelers empatado pela primeira posição da conferência com os Patriots (Kansas City também perdeu) não vamos falar do bom e do mau da semana (o time não jogou, afinal) e se você quiser um balanço do que o Steelers fez durante a temporada até agora fica a recomendação do podcast.

Os próximos

A tabela do Steelers está estranhamente amigável na segunda metade do ano, então vamos para as análises.

Colts

Andrew Luck era uma possibilidade para esse jogo há algumas semanas mas agora temos certeza de que ele não voltará. Mesmo com Luck e a partida em Indianápolis o Steelers seria o favorito sem grandes problemas. Indy tem uma linha ofensiva fraca, jogo terrestre mediano nos dias bons e uma defesa muito questionável. É a segunda temporada seguida em que não enfrentamos Luck, mas o Steelers não perde para os Colts desde a era Peyton Manning e atropelou os rivais nas três últimas oportunidades independente do QB. A vitória é obrigação.

Titans

Tennessee é um confronto mais interessante porque o time não convence absolutamente ninguém mas está 5-3 e brigando fortemente pelo título da AFC Sul. Ao contrário dos Colts, Tennessee tem uma linha ofensiva sólida, jogo terrestre bom e um quarterback acima da média em Marcus Mariota. Felizmente para nossa defesa essa combinação não está rendendo o esperado, mas existe sempre o perigo de um grande jogo. Defensivamente os Titans estão abaixo da média e o Steelers tem as peças para tirar proveito disso, ainda mais jogando no Heinz Field. Segunda partida mais importante da sequência, mas seremos favoritos a não ser que um desastre aconteça. Esse jogo marca o começo de uma sequência de quatro partidas em horário nobre para Pittsburgh.

Packers

Aaron Rodgers é o Packers. Aaron Rodgers não estará disponível. A não ser que Brett Hundley jogue como outro Brett que já foi QB em Green Bay (e nada que ele fez indica esse potencial) o Steelers tem obrigação de dominar o rival. Simples assim.

Bengals

Andy Dalton ainda é o quarterback dos Bengals. Mesmo assim, os rivais podem estar jogando suas últimas fichas nesse confronto a depender do que fizerem contra Titans, Broncos e Browns. Mesmo assim o Steelers mostrou no primeiro confronto que é muito superior e o jogo ser disputado em Cincinnati não deve mudar isso. Jogo perigoso pela rivalidade – e “agressão” da defesa de Cincy – mas que a vitória é obrigação.

Ravens

Falando em rivais, esse é tão ruim quanto o outro mas a gente respeita mais. Assim como Cincinnati, mostramos no primeiro jogo que o Steelers é superior mas ao contrário dos Bengals esse jogo será no Heinz. Baltimore está 4-5 na temporada e tem confrontos contra adversários fracos como Texans e Packers o que significa que eles podem chegar ainda vivos na temporada, mas isso não deve importar. Assim como Dalton, ter Joe Flacco de quarterback é uma desvantagem enorme contra qualquer adversário competente. Excluindo lesões essa vitória é tão obrigatória quanto Bengals e Packers.

Patriots

Esse sim o jogo mais importante não apenas da segunda metade do ano como da temporada inteira. A possibilidade de uma folga na primeira rodada ou até mesmo o mando de campo nos playoffs ser decidido aqui é enorme. A defesa de New England melhorou nas últimas rodadas mas isso pode ser efeito das deficiências de adversários como Falcons e Chargers. Idealmente o front seven de NE será dominado por nossa linha ofensiva e Le’Veon Bell domina o jogo por esse lado, limitando a quantidade de posses para Tom Brady e facilitando a vida para Antonio Brown e JuJu (e Martavis?). Do outro lado da bola a situação é interessante. O jogo terrestre também não é uma grande ameaça e Tom Brady tem carregado o time mas com certeza sente falta de Julian Edelman. A questão é que Brady é “pai” do Steelers, não existe outra definição. A partida contra Detroit mostrou algumas falhas em nossa marcação em zona que me deixam preocupado já que essas mesmas falhas fazem Brady dominar a secundária. Por outro lado, o camisa 12 tem apanhado de forma acima da média nessa temporada, um sinal positivo para Heyward, Watt e companhia. A chave é pressionar Brady especialmente pelo meio da linha, o que impediria que ele trabalhasse bem no pocket, sem necessitar do uso de blitzes. 2017 representa a melhor chance do Steelers para destronar New England dentro da conferência, e a partida da semana 15 em Pittsburgh é chave para isso.

Texans

Deshaun Watson é o Texans. Deshaun Watson não estará disponível. A não ser que Tom Savage jogue como um Tom que é QB em New England (e nada que ele fez indica esse potencial) o Steelers tem obrigação de dominar o rival. Simples assim.

Browns

Independente de derrota ou vitória contra New England é provável que o Steelers tenha sua vaga e posicionamento nos playoffs garantidos. Possibilidade grande de dar um descanso extra para os titulares. Mesmo assim a vitória é bem possível.