Quem acompanha as aventuras do Superman sabe que ele tem dois pontos fracos: um é a Lois Lane e outro são os pedaços de rocha que viajaram pelo espaço após a explosão de seu planeta natal, Krypton, conhecidas como kryptonitas. Esses pedaços de rocha bloqueiam seus superpoderes, tal qual acontece com o San Diego Padres quando enfrenta os rochosos do Colorado. Com o perdão do tosco trocadilho, já tem algum tempo que os Rockies vem sendo uma pedra em nossas spikes. E não foi diferente nesta série melhor de quatro jogos disputada em Petco Park, no fim de semana. Um inesperado empate em dois jogos a dois, que nos limou a oportunidade de assumir a liderança da NL West neste miolo de temporada. Mas ainda tem muito tempo e jogos a serem disputados. O importante é manter o contato visual com os Los Angeles Dodgers e se manter no cangote do time de LA. Em contrapartida, precisamos manter ou aumentar a diferença de jogos para o San Francisco Giants.

Sobre a série com os Rockies, Joe Musgrove fez toda a diferença no montinho no jogo de abertura. Comandou a defesa atuando por 6.0 entradas, cedendo apenas quatro rebatidas e implodindo as rochas com oito strikeouts. Segue com um incrível ERA de 1.50 e um WHIP de 0.93 (no PadresCast sempre explicamos como funcionam essas estatísticas). O ataque pontuou em cinco, das oito entradas em que precisou atuar, com um total de 14 hits, contra apenas 5 do adversário. Kim e Machado se destacaram no meio da multidão. O coreano foi 3 em 4 ao bastão, com uma rebatida dupla e um impulsionamento. Machado foi 2 em 4, com direito a um home run nos 9 a 0. (Link não carregou, só clicar no 9 a 0 que será redirecionado).

No sábado tivemos rodada dupla. Ou uma doble cartelera, como gostam de dizer os latinos. Foi aí que a pedrinha no sapato começou a incomodar. No primeiro jogo, vitória por econômicos 2 a 1, por walk off na décima entrada. Valeu aí a experiência de Machado, ao transformar uma rebatida simples em uma corrida multibases para garantir a vitória. Com Clevinger na lista do Covid, Martinez assumiu o montinho para fazer 5.0 entradas, cedendo cinco rebatidas e uma corrida. Porém, mandou muito bem e eliminou nove oponentes por strikeouts.

 

 

No jogo de fundo, MacKenzie Gore não performou bem. Mas calma, calma, não criemos pânico. Essa variação dos arremessadores é normal e o garoto prodígio teve a sua primeira jornada ruim nas grandes ligas. Atuou por apenas 2.1 entradas, cedendo seis corridas. Stammen retomou o controle das coisas e Reiss Knehr segurou a partida por 4.2 entradas. Mas era tarde demais. Com apenas quatro rebatidas, o ataque não merece citação a não ser Voit, que segue bem ao bastão, garantindo ao menos uma rebatida por jogo. Final: Colorado 6×2.

 

 

E fechando a série, outro jogo econômico em pontos, decidido nos detalhes. O Colorado abriu 2 a 0 na quarta entrada. Os Padres buscaram o empate na quinta e na sétima, mas voltaram a vacilar na oitava, cedendo novamente duas corridas, que decidiram a sorte do encontro em 4 a 2 para a equipe de Colorado. Na defesa, Snell voltou a atuar de forma aceitável. Esteve em campo em 6.0 entradas, cedendo apenas duas corridas. De positivo, o fato de ter reativado o modo ‘K’, com sete strikeouts. No ataque, Voit foi andorinha solitária. Com 2 em 4 ao bastão, mandou a bolinha no último andar do Western Metal Supply Company em seu home run. Também impulsionou uma corrida, mas sozinho não fez verão.

 

 

Com 37 vitórias e 24 derrotas, os Padres seguem em segundo lugar na sua divisão. Partem agora para uma maratona de catorze jogos em catorze dias. De início, uma parada em Chicago para encarar os Cubs e reviver o Cub-Busters em quatro jogos. Então voltamos a enfrentar eles, os Rockies, entre sexta e domingo, no Colorado. E até lá precisamos encontrar nossa kryptonita azul ou alguma outra forma de tirar essa pedra do nossas chuteiras.

Autor: Henrique Porto

DEIXE UMA RESPOSTA