Jogar bola no fundo do seu quintal é igual jogar contra fantasmas. Dribles em zagueiros invisíveis que nunca te param com um carrinho. E recentemente aqui no Brasil uma linha ofensiva que segura o blitz por quanto tempo você precisar.

Mas seus problemas acabaram!!! Bom, pelo menos para o problema da linha ofensiva e a sua brincadeira de futebol americano com um amiguinho de Wide Receiver. A nova Wilson X Connected Football te diz quão longe, quão rápido e quão eficiente foi o seu arremesso. E não é feitiçaria, é tecnologia.

“Os sensores ficam bem no meio da bola, suspensos por quatro pontos como se fosse uma teia de aranha”, diz Bob Thurman, vice-presidente da Wilson Labs. “Você pode chutar um field goal, fazer um punt, pode dar socos nela e o sensor vai ficar firme e forte.”

Na verdade são dois sensores. Dois acelerômetros que, em conjunto, conseguem simular um giroscópio, medindo assim a velocidade do arremesso, velocidade em que a bola gira e o ângulo de nutação – quanto o nariz da bola gira fora de centro em relação à espiral arremessada. Quando a ponta da bola sai muito do centro da espiral, temos o chamado Pato Morto.

“Se você assistir uma bola arremessada em slow motion, você vai ver que conforme a bola gira, a ponta dela também faz um circulo,” diz Thurman. “Quanto menor o círculo, melhor. Nós transformamos o ângulo de nutação numa medida chamada ‘Eficiência da Espiral’.”

Você não precisa carregar a bola. Os sensores têm uma bateria que em teoria dura por 200 mil passes rastreados. Depois disso, a bola simplesmente deixa de ser uma “Smart Ball”, mas você pode continuar utilizando-a como uma bola comum. Para conservar a energia, o sensor fica em sleep mode na maior parte do tempo. Assim que você abre o aplicativo no seu celular e faz um movimento na bola, o app pergunta se você deseja “acordar” a sua Wilson X, segurando a bola verticalmente e segurando-a por dois segundos. É preciso um pouco de treino para ligar a bola de primeira, mas esse movimento ativa o sensor e o Bluetooth, evitando assim que a bateria diminua sem que você esteja arremessando sua bola oval.

wilson-x-connected-football-site

 

Após cada arremesso, a bola envia as informações para um app de iOS (um aplicativo de Android está em desenvolvimento e deve ser lançado logo). Assim você tem uma leitura instantânea da velocidade, distância, rotação da bola em RPM e eficiência da espiral do seu passe. O aplicativo também traz alguns jogos para serem feitos com a bola e ranking para você comparar com seus amigos.

Por exemplo, você pode “jogar” um two-minute drill numa briga contra o relógio e uma versão digital do five-Mississippi pass rush (O futebol americano de várzea, jogado na rua com seus amigos em que o sack é automático depois de 5 segundos). Seu joguinho de quintal é narrado por Gus Johnson, narrador da Fox Sports, e se transforma num jogo de realidade aumentada.Você coloca seu iPhone no pulso com um suporte (que vem junto com a bola), escolhe a jogada nele, fica ligado no contador sonoro e faz o passe antes que o pocket seja figurativamente destruído e você coma grama.

“Não quero chamar de ‘Madden de Quintal’, mas é baseado nas mesmas ideias”, diz Thurman. “Tem simulação de blitz. Temporizador para sack, basicamente. Você escuta o contador e tem que se livrar da bola.”

O app também evita trapaças. A bola sabe quando o passe foi completo ou se foi um drop. E se você está em um dos jogos do aplicativo e o seu WR dropa a bola, ele é registrado como passe incompleto. Thurman diz que o algoritmo é bem simples. “Quando eu pego a bola, ela para de girar. Se eu erro, ela cai no chão e pula de um lado pro outro, e continua girando. Depois de uma recepção, a aceleração é suave. É fácil distinguir um passe completo do incompleto por essas informações.”

A bola parece ser bem divertida e está disponível em tamanho oficial ou em tamanhos menores. Mas toda essa feitiçaria tem um custo: US$200, o dobro de uma bola oficial comum da NFL. As Wilson X Connected Football já estão disponíveis para pré-venda no site da Wilson e serão enviadas nos EUA a partir de 8 de setembro: início da temporada da NFL e da sua carreira de QB de quintal.

Fonte: Wired