Jarvis Jones chegou em Pittsburgh com a expectativa de ser o substituto do lendário James Harrison e fazer a nova dupla de pass rush do Steelers com Jason Worilds. Escolhido na 1° rodada do Draft de 2013, foi considerado um dos steals daquele ano. De início, o OLB era cotado para ser uma escolha top 5 do Draft diante de todo seu histórico prolífico na Universidade da Georgia. Em 2 anos (2011 e 2012) conseguiu 28 sacks, sendo o 3° melhor “sacador” da história da universidade.

Diferença dele para os outros? Só teve 2 anos dentro de campo por Georgia.

Para aspectos de comparação, o líder David Pollack que conseguiu 36 sacks em 4 anos (2001, 2002, 2003 e 2004). Escolha de primeira rodada no Draft de 2016 do Chicago Bears, o OLB Leonard Floyd, conseguiu 22.5 sacks em 3 anos (2013, 2014 e 2015).

Jarvis Jones passou por momentos de superação na carreira. Cresceu no estado da Georgia, foi o principal jogador na época de High School e levou seu time ao título estadual em 2007. Tamanha habilidade atlética, ele tinha a expectativa de jogar por Georgia Bulldogs quando chegasse na Universidade mas foi USC que fez uma proposta tentadora por ele. O time da Califórnia precisava de um LB de elite depois que Clay Matthews saiu para a NFL e apontaram Jarvis Jones como seu substituto.

No seu primeiro ano em 2009, Jones viu pouco o campo, ainda sendo preparado para as próximas temporadas. Entrava em eventuais snaps e no special team. Foi assim durante as 8 primeiras semanas até que…

Em um clássico da PAC – 12 entre USC x Oregon, Jarvis Jones sofreu uma lesão grave no pescoço. O jogador foi diagnosticado com uma estenose espinhal e os médicos da Universidade falaram que ele nunca mais poderia jogar futebol americano. O mundo do jogador acabou ali. Perdeu o restante da temporada de 2009 e em 2010, depois de mais exames por insistência do atleta, os médicos continuaram com a opinião e não deixaram ele jogar por USC. O jogador pediu transferência e saiu da California.

E foi aí que começou uma retomada incrível na carreira do jogador. A universidade da Georgia o contactou e depois de fazer exames com os médicos da Universidade, ele foi liberado para voltar a jogar. Seu grande sonho de jogar pela universidade que sempre desejou e a volta aos campos era um grande triunfo para ele. Tinha a missão de substituir ninguém menos que Justin Houston como OLB principal da equipe.

Em 2010 ele não jogou, até pelas regras de transferência da NCAA e se dedicou a fortalecer mais sua musculatura, principalmente na coluna.

Em 2011 teve a sua estreia e no primeiro ano já liderou a SEC em sacks com 13.5, sendo um all-american.

2012 foi o grande BOOM de Jarvis Jones e sua consagração no país. Teve incríveis 14.5 sacks e 7 fumbles forçados. Ganhou o Jack Lambert Trophy dado ao melhor linebacker da NCAA (Os dois nomes que haviam ganho antes dele? Von Miller e Luke Kuechly), foi eleito o melhor jogador de defesa da SEC e ficou em 10° lugar na votação pelo Heisman Trophy.

Ótimas credenciais, né?

Era um rei em Georgia. Em 2 temporadas com Jarvis Jones a equipe ganhou 22 partidas das 26 disputadas. Muitos o consideram o melhor LB na história da universidade.

Ao se declarar para o Draft de 2013, ele era cotado para sair no top 5. Só que um velho pesadelo voltou a atormentar… Sua lesão na coluna foi uma redflag muito grande para as equipes. Os times estavam preocupados com a durabilidade do jogador e ainda que ele chegasse com idade avançada na NFL, 24 anos.

No combine, o jogador foi muito lento, cravando o tempo na casa dos 4.9 segundos. A lesão na coluna voltou a limitar seus movimentos? Na época, o jogador garantia que não… Mas tava difícil negar. O combine do LB foi um dos piores em anos recentes quando se analisa expectativa e produção no college. Muitos scouts na época também afirmavam que sua fisionomia não o ajudaria muito na NFL. E ele foi caindo no board e quem o escolhesse, já tinha noção do risco que correria.

Mike Tomlin aceitou. Jogador já havia superado e muito as expectativas uma vez quando saiu de USC. Merecia um voto de confiança.

Infelizmente, 4 temporadas depois, já podemos ver o erro da escolha. Jarvis Jones só conseguiu 5 sacks aos longo desses anos. Leonard Floyd, por exemplo, tem 5 sacks só no seu ano de rookie e perdendo tempo na temporada com lesão. Ele sabe que a produção de OLB no Steelers é medida por sack e ele falhou miseravelmente nesse quesito.

Por mais que seja bom contra o jogo corrido, a janela parece ter fechado em Pittsburgh. Depois do jogo contra o Cowboys nessa temporada, Tomlin optou por deixa-lo no banco. A responsabilidade do último TD de Zeke Elliot caiu nos ombros do camisa #95.

A participação do jogador já começou a cair, e no último jogo da equipe, contra o Giants, o camisa 95 só participou de 14 snaps (metade do que participou contra o Colts), sendo 12 defensivos e 2 com o special team. Com o retorno de Bud Dupree aos 100%, Tomlin comentou que um dos OLBs da equipe vai dar espaço para ele e não será surpresa vê-lo listado como inativo em um ou mais jogos do restante da temporada.

Falta de oportunidade não foi. Porter, Tomlin e Butler confiaram muito em Jarvis Jones por esses anos e o resultado não veio e agora vão deixar ele de lado, só esperando a temporada acabar para muito provavelmente se desfazer dele.

#HereWeGo