A torcida estava esperando o time engrenar. Mike Tomlin estava esperando o time engrenar. Aparentemente o próprio time estava esperando que, como um passe de mágica, as peças se encaixassem e o Steelers fosse dominante como se espera. Isso continua sem acontecer e agora, na mesma rodada onde os Ravens foram humilhados em Londres, o Steelers perdeu uma bela oportunidade de abrir vantagem em Chicago. As três partes do time, ataque, defesa e especiais foram culpadas e a comissão técnica merece tanta culpa quanto os jogadores.

O bom

A defesa no segundo tempo segurou o ataque dos Bears, oferecendo várias oportunidades ao ataque inconsistente de Pittsburgh de empatar e tentar virar o jogo. A defesa também conseguiu dois turnovers quando Chicago cometeu o erro de tentar fazer Mike Glennon trabalhar e em uma boa jogada de Shazier, mas pouco adiantou.

Antonio Brown é o melhor recebedor da NFL e quem discordar é clubista.

 

O mau

A mesma defesa que segurou no segundo tempo levou um baile no primeiro e claramente cansou na prorrogação. 220 das 304 jardas totais de Chicago vieram pelo chão. Ceder isso tudo quando você sabe que o oponente vai correr, que o jogo terrestre é a única esperança deles é completamente inaceitável, independente de desfalques.

O jogo aéreo conquistou cinco jardas por jogada. Big Ben mais uma vez com uma precisão inconsistente levando a um 4 de 11 em terceiras descidas. O fumble perdido em sack também cai na conta de Ben, segurou demais a bola. As vezes dá certo, no domingo custou caro. Talvez o melhor passe de Ben no jogo, na primeira jogada do dia, passou pelas mãos de Martavis Bryant. Seria um TD na certa. Quando não é dia, não é dia.

Sem Marcus Gilbert e Ramon Foster a linha ofensiva sofreu. O fumble tá mais na conta de Ben mas os outros sacks e o restante das pressões sofridas nem tanto. O jogo terrestre até foi decente, mesmo pouco utilizado graças a situação do jogo, mas no mais importante a OL desfalcada mostrou um pouco de fragilidade.

Muff do Eli Rogers que levou a um TD de Chicago e field goal bloqueado que só não levou a outro TD por uma completa burrice do jogador de Chicago. Em um jogo onde defesa e ataque tiveram seus problemas, não foram os especialistas que salvaram, muito pelo contrário.

A comissão técnica inteira. Quando as três fases do time jogam mal todo mundo, de Tomlin ao gandula merecem um puxão de orelha. Esse é o time que entrou na temporada como principal candidato a derrubar os Patriots na AFC e até agora não mostrou a que veio.

O próximo

A anual visita a Baltimore ocorre na semana 4. A boa notícia é que os Ravens voltam da longa viagem até Londres lambendo as feridas de um massacre sofrido nas mãos dos Jaguars. A má notícia é que historicamente essas coisas pouco importam. Quando Steelers e Ravens se encontram é uma briga de foice independentemente do histórico recente dos times. Tirando o fator rivalidade de lado o Steelers é a melhor equipe em nível de talento com alguma vantagem. Os Ravens estão devastados por lesões, Joe Flacco está comprometido em ser um quarterback agressivamente abaixo da média e a defesa foi exposta por Blake Bortles (!) e Marcedes Lewis (!!). Se o Steelers precisa de uma vitória para levantar a moral e esquecer uma tarde patética em Chicago, ganhar dos roxos na casa deles seria perfeito.