Com a suspensão de 10 jogos do linebacker do Dallas Cowboys Rolando McClain, surgem informações de que seus problemas não originam do uso de maconha, mas sim de codeína, um analgésico derivado da morfina utilizado principalmente no combate à tosse.

O repórter Brandon George do Dallas Morning News relata que McClain testou positivo para opioides em seu ultimo exame e não para substâncias relacionadas ao uso de maconha  como se pensava anteriormente. George também relata que a dependência em codeína do linebacker é decorrente de uma mistura bem peculiar de xarope para a tosse e Sprite,

conhecida como “Purple Drink”.

Em teoria, a informação relatada pelo Dallas Morning News não deveria ser de conhecimento público. Esse é provavelmente o motivo pelo qual os Cowboys não deram declaração alguma a respeito do problema de McClain. Mas a regra de confidencialidade da política de abuso de substâncias costuma ser violada, normalmente pela própria liga através de relatos que aparecem em veículos de mídia de propriedade da própria NFL.

“Nem mesmo nós sabemos todos os detalhes”, disse o Vice Presidente Executivo dos Cowboys Stephen Jones nesta terça-feira. “Nós simplesmente não sabemos”.

Na prática, a história é outra: alguém sabe – e esse alguém está falando.

A conversa inclui a especulação de que McClain esteja desmotivado e pensando até na sua segunda aposentadoria (a primeira ocorreu em 2013, um mês após assinar com os Ravens e durou pouco mais de um ano). Boatos a parte, McClain precisa escolher entre o futebol americano e quaisquer substâncias que o impeçam de jogar em alto nível. Infelizmente ele não tem feito isso há um bom tempo.

Fonte: ProFootball Talk

  • Lucas Aliança

    questiono o quanto esse vicio debilita ele de jogar em alto nível. em 2014-15 ele foi o melhor LB do cowboys de longe. de novo, ou dão mais segurança e qualidade de vida pros atletas, ou abrem as porteiras desses banimentos de substancias. Mas essa conversa é outra….