Semana 13 | Redskins at Eagles: Pós jogo | 13 x 28

Mais um jogo fora de casa, mais um jogo de divisão, mais um teste para cardíaco. Durante o jogo, os Redskins voltaram a cometer suas bizarrices. Que até andavam sumidas nessa temporada, mas não sem antes ter a necessidade de utilizar o terceiro QB. Contratado às pressas duas semanas atrás, foi não só um teste para cardíacos, mas também um atentado à paciência do torcedor. Derrota na certa.

Redskins at Eagles: Pós jogo | 13 x 28
Análise por posição

ATAQUE

QB

Colt McCoy começou o jogo liderando nosso ataque. Até conseguiu produzir alguma coisa. Mas aí, ainda no final do primeiro quarto, tentou uma corrida pela direita, desequilibrado, escorregou e caiu sozinho. Lance comum. Não para um jogador dos Redskins. Quebrou a perna. A fíbula, para ser mais específico. Eis que então, passamos a ver em campo Mark Sanchez e isso é tudo o que tenho para falar sobre nossos QBs. Nota 5.

RB

Adrian Peterson se divide em dois nesse jogo. O primeiro jogou boa parte dos míseros 20 minuots e 41 segundos que nosso ataque esteve em campo. Este AD, pegou na bola 8 vezes para corridas e conseguiu míseras 8 jardas. O Segundo AD, precisou de um único lance, corrida entre os tackles, para anotar o seu mais longo TD da carreira.

Foram 90 jardas de um “menino” correndo praticamente de endzone à endzone. Assistir a essa lenda jogando com as nossas cores, é o que melhor nos aconteceu em 2018. Tivemos neste jogo também, a volta de Chris Thompson, e ele mostrou estar um pouco enferrujado ainda. Apenas 3 corridas para 3 jardas e 3 recepções de 5 passes na sua direção para 18 jardas apenas. Mas é notável a diferença que ele faz estando em campo. Nota 6,5.

OL

Difícil. Trent Willians fez o que pôde. Morgan Moses voltou a ceder faltas bobas. Jonathan Cooper pagou o preço de jogar nos Redskins, lesão e adeus temporada. A linha ofensiva em si não foi ruim, conseguiram em boa parte dos snaps dar algum tempo aos nossos QBs, conseguiram abrir um gap sensacional no TD de 90 jardas do AD, tentaram alguns bloqueios no segundo nível da defesa dos Eagles, mas não foram suficientes. Nota 6,5.

WR

Já seria um jogo complicado com McCoy liderando o ataque, com Mark Sanchez ficou absurdamente difícil. Josh Doctson foi o destaque com 3 boas recepções. Jamison Crowder, que também voltou de lesão neste jogo, apareceu bem, principalmente no primeiro tempo. Tentaram, mas pouco conseguiram ajudar nossos QBs reservas. Nota 7.

TE

Outra unidade impactada com as mudanças de QBs. Foram acionados muitas vezes em proteção. Jordan Reed apareceu bem com 4 recepções mas para apenas 21 jardas. Destaque para um first down conseguido na marra pelo Reed. Ele ainda conseguiu um passe para recepção de Chris Thompson, numa trick play.

Vale destacar a vibração que nosso TE demostrou ao longo jogo, num momento delicado, é o que verdadeiros líderes fazem.  Vernon Davis conseguiu receber as duas bolas que foram na sua direção e isso por si só já é um alívio, já que o rapaz vinha de drops patéticos nos últimos jogos. Considerando ainda Jeremy Sprinkle que, como sempre, foi mais utilizado em bloqueios. Essa unidade foi a mais sólida da nossa equipe. Nota 7,5.

GERAL DO ATAQUE

O que falar de um ataque que começa o jogo com seu QB reserva, nada confiável, e logo no segundo quarto se vê obrigado a colocar Mark Sanchez??? Fez o que pôde. Talvez pudesse ter colocado a bola mais vezes nas mãos do Adrian Peterson, mas não seria garantia de nada, afinal AD teve apenas 8 jardas, quando tiramos o TD de 90. Mas também poderia ter feito outro TD de 75, por que não?! Foi triste ver o nosso ataque em campo, principalmente por tão pouco tempo.

Redskins at Eagles: Pós
QB do Philadelphia Eagles Carson Wentz lança um passe no duelo entre Redskins e Eagles

DEFESA

DL

Nada dominante nas trincheiras. Daron Payne, Jonathan Allen, Tim Settle, todos na linha foram muito abaixo do esperado. É claro, uma defesa que fica 40 minutos em campo, vai cansar. Mas mesmo no começo do jogo, nossa DL não conseguiu se impor em nenhum momento frente à OL adversária. Matt Ioannidis faz muita falta. Nota 6.

OLB

Ryan Kerrigan mais uma vez foi o destaque. Ele é segurado em 90% dos snaps e em 100% deles as zebras não marcam nada. Ainda assim conseguiu dois ou três bullrushs sobre o seu marcador. Preston Smith foi nulo. Não marcou, não pressionou, não defendeu passe. Quase um cone. Muito facilmente dominado pela OL adversária.

Pernell McPhee voltou a jogar, mas novamente não apresentou nada. Ryan Anderson oscilou bons momentos com falhas incríveis, mas vale dizer que demonstrou nesse ano parte do potencial que esperamos dele e, se bem trabalhado pelo nosso staff, pode vir a ser um excelente jogador. Nota 6,5.

ILB

Desde que chamei Mason Foster de Amason Foster a coisa degringolou. O rapaz não fez mais nenhum bom jogo. Ontem foi o pior jogador em campo. Lento, fora de sintonia, facilmente dominado pelos adversários, perdeu tackles, não cobriu o TE adversário. Ou seja, tudo o que se espera de um ILB, ele fez mal. Zach Brown, por sua vez, teve um lampejo do Zach Brown de 2017.

Velocidade, antecipação. Segurou a jogada mais decisiva em uma quarta descida para o TD, avançou sobre a linha e derrubou o RB adversário duas jardas atrás da linha de scrimmage. Os demais estiveram muito pouco em campo. Apenas o destaque por termos visto Shaun Dion Hamilton em 5 snaps, mas não foi possível fazer uma imagem do rapaz vindo da Universidade de Alabama. Nota 5,5.

CB

Muito mal. Apesar da interceptação de Josh Norman e do mesmo até não ter feito um jogo ruim, mas os demais foram muito mal. Fabian Moreau ainda conseguiu bons tackles, na verdade, mas perdeu outros incríveis, além do espaço demasiado que dá aos adversários. Não só ele, toda nossa secundária permite muito espaço.

Greg Stroman ainda oscila demais, é ele quem escorrega e deixa de graça o primeiro TD. Danny Johnson e Adonis Alexander estiveram juntos num total de 15 snaps, mas não conseguiram melhorar o que os outros vinham fazendo. Temos jogadores muito jovens aqui, e estamos queimando todos de uma só vez. Nosso staff deveria cuidar melhor desses meninos, já que, aparentemente, eles têm talento. Nota 6.

Safety

DJ Swearinger novamente foi discreto. Voltou a perder um ou outro tackle. Sendo ele o coração desta defesa, poderia ter tentado vibrar mais e tentar elevar a moral dos demais. Mas aí nós lembramos que foram 40 minutos em campo. Duro.

Ha Ha Clinton-Dix voltou a ser eficiente nos tackles mas também se posiciona muito distante das jogadas, nosso DC deveria rever esse posicionamento. Deshazor Everett também participou, mas muito pouco, apenas 5 snaps. Nota 6,5.

GERAL DA DEFESA

Nossa temporada está nas mãos da nossa defesa. Mas ela não pode ficar 40 minutos em campo. Nosso DC Greg Manusky já deixou claro que para ele não importa quantas jardas cedemos, na redzone a defesa tem que aparecer e a nossa realmente aparece. Mas quando você trabalha dentro dessa margem, está sujeito a dar errado e ceder muitos pontos e isso é o que vem acontecendo.

Nossa defesa consegue forçar turnovers, consegue conter os ataques adversários na redzone, mas com a fragilidade do nosso ataque, precisamos desta contenção muito antes no campo. Não podemos ceder 400 jardas aos adversários todos os jogos. Temos muito talento para impedir isso.

Outra falha grave desta defesa é a execução dos tackles. Nós perdemos muito tackles. Muitos!!! Acho que precisamos rever todos os conceitos da nossa defesa e já começar a prepará-la para 2019, talvez com um novo staff. Usar estas últimas 4 semanas para já começar a implantar uma nova mentalidade para o ano que vem.

Two minute anecdote (warning)

Próximo domingo, no FedEx Field, recebemos os pequeninos de Nova Iorque (New York Giants), em mais um confronto de divisão. Eu vou manter as esperanças e acredito que nossa defesa nos levará a um triunfo histórico. Eu, como torcedor, preciso acreditar. É só não pensar que nosso QB será Mark Sanchez… God Help Us!!!

#HTTR
#EuSouRedskins

texto por Tata Fernandes (tt: @tatovsk)
revisão por Diogo Miranda (tt: @diogoniiiii)

Hail, #RedskinsNation! Acompanhe o Podcast Redskins Brasil, assine o feed e não perca nenhum episódio. Além disso, siga nossas redes sociais para ficar por dentro das notícias da franquia. Se gostou ou discordou de algo, deixe sua opinião nos comentários. Na próximo jogo enfrentamos o New York Giants. Até lá, seguiremos debatendo sobre os Redskins, sempre na torcida para que este ano seja de muitas vitórias!

__
“Hail to the Redskins, hail victory! Braves on the warpath, fight for old D.C.!”

DEIXE UMA RESPOSTA