Muita água ainda vai rolar e o cenário pode ser completamente diferente após a semana 8, e ainda mais diferente após o término da semana 17. Temporada passada, por exemplo, o Chiefs estava 1-5 e terminou a temporada regular com 11-5, e após vencer o Texans por 30 a 0 no Wild Card, só foi cair no Divisional Game diante do Patriots.

Mas com 4 jogos já disputados (com exceção de Packers e Eagles que descansaram na semana 4) já podemos falar com um pouco mais de base sobre alguns pontos positivos e algumas decepções vistas até o momento.

DESTAQUES

Derek Carr e bons jogos dos Raiders: Apesar de assustar a torcida na parte defensiva, o Raiders vem conseguindo vencer jogos com um ataque dominante (todos os resultados do time terminaram com uma diferença de 7 pontos ou menos). O prêmio “colhões” da semana 1 com certeza vai para o head coach Jack Del Rio, que não quis saber de levar o jogo contra o Saints no Superdome para a prorrogação, e no fim do jogo, após o TD, chamou uma conversão de 2 pontos para virar a partida e sair vitorioso (35 x 34). Derek Carr conseguiu liderar o time a uma virada emocionante na semana 4 contra o Ravens, jogando em Baltimore. O QB já lançou 9 touchdowns e tem apenas uma interceptação nesse primeiro quarto de temporada. Olho nessa divisão Oeste da AFC, a disputa promete.

post-1

Minnesota Vikings superando adversidades: Você torce para o Vikings, vê seu QB titular se machucar antes do primeiro jogo e perder a temporada inteira, vê seu running back titular (e um dos principais da liga) começar a temporada jogando mal e logo no segundo jogo se machucando, também se ausentando pelo restante da temporada. O que você pensaria? Acabou a temporada do Vikings. Agora é pensar em 2018 (Super Bowl da temporada 2017 é na casa do Vikings, então de acordo com o maior tabu da NFL, já pode desconsiderar). Pois bem, após uma louca troca com o Eagles para adquirir o QB Sam Bradford, o time está invicto na temporada, atuando muito bem defensivamente e mostrando que a força do elenco pode contribuir para manter o sonho de chegar longe na temporada.

NFC East: Com destaques para Eagles (3-0) e Cowboys (3-1), a divisão ainda encontra-se aberta. O NY Giants, último colocado na divisão entra na semana 5 com um recorde 2-2, que apesar de duas derrotas seguidas, não é motivo de desespero. Uma das divisões mais diversificadas dos últimos anos mandou para os playoffs o Eagles em 2013, o Cowboys em 2014 e o Redskins em 2015. Será a vez do Giants em 2016?

Menções honrosas: Denver Broncos, que apesar de ter mantido um alto nível defensivo, vem sendo consistente também no ataque, que conta com um improvável Trevor Siemian e o novato Paxton Lynch como QBs. Matt Ryan começando on fire e a boa sequência do LA Rams.

LUZ AMARELA ACESA

Odell Beckham Jr.: Ok, ele não vem fazendo uma temporada extremamente ruim, mas independente dos seus números, o WR vem tendo jogos aquém do esperado. Até teve uma boa atuação contra o Redskins na semana 3, recebendo 7 passes para 121 jardas, mas o acrobático recebedor ainda não tem TD anotado. O primeiro quarto da temporada se passou e ele ainda não entrou na endzone, é igual um artilheiro da bola redonda que está na seca de gols. Ocupando a 16ª posição em jardas recebidas (303) e 17ª em recepções (22), o jogador afirmou essa semana, após a derrota do Giants para o Vikings no Monday Night Football, que não tem se divertido nos jogos e que sente que tudo está contra ele (além de outras declarações do tipo). Não sabemos se é o esquema ofensivo, se é o começo “questionável” de Eli Manning, mas o fato é que o jogador vem sofrendo nesse início. Quem sabe após o primeiro TD isso não muda?

post-2

Falta de evolução do Bears: Vou ser bem sincero. Independente do que aconteça com o Bears no restante da temporada, esperava um time um pouco mais competitivo. É verdade que algumas lesões vem atrapalhando o desenvolvimento da equipe, mas também é fato que o time tem se mostrado apático até então. Adam Gase (ex-coordenador ofensivo do time e atual head coach do Dolphins) parecia ter achado uma maneira de colocar o ataque nos trilhos e fazer Jay Cutler ter atuações sólidas em 2015. Porém, mais uma vez o QB tem que se adaptar a um novo coordenador ofensivo em Chicago e a evolução do time sofre com isso. O Bears é um time muito jovem e com muito potencial, mas parece que John Fox vai ter que queimar um pouco mais de neurônios para fazer a equipe ser competitiva novamente.

Inícios fracos de Panthers e Cardinals: Após 4 jogos, ambos os times conseguiram apenas uma vitória cada. Lembra quem são eles? Sim, os finalistas da NFC de 2015. Ambos marcados por intensas defesas e ataques sólidos e poderosos, parecem que não se encontram ainda nessa temporada. O Panthers teve a secundária desmantelada na offseason, mas o ataque também vem sofrendo, com uma OL soft que expõe muito Cam Newton (jogador vem levando muitas pancadas e preocupando com as concussões). Pelo lado do Arizona, Carson Palmer também está patinando e parece ter perdido um pouco do elo com seus alvos, com algumas leituras questionáveis. A defesa, apesar da contratação de Chandler Jones e de figurar entre as 10 melhores em fundamentos como jardas por jogo e sacks, não conseguiu parar ataques considerados medianos (Patriots sem Brady, Bills e Rams). Para ambos os times, as peças estão lá, só precisa fazer com que as engrenagens funcionem para voltarem a brigar em suas divisões. Seria uma grande surpresa vê-los fora dos playoffs.

Vale lembrar que aos que não entraram na lista, é porque provavelmente não considerei uma surpresa. Temos ótimos times e jogadores que continuam ótimos e temos outros que vem lutando contra todos os males possíveis e parecem não conseguir sair da lama (certo, Browns?).