Dorsey montou sua equipe, com anos de experiência, resultados de escolhas que mostraram valor a toda liga e finalmente chegou os três dias onde ele colocaria toda sua visão de futebol para fazer a “colheita” pro Browns. O objetivo de mudança de cultura, mudar a “alma perdedora” que aflige e cerca por todo elenco infelizmente é o Draft é a “arma” para adicionar esperança, motivação de um novato, gana por mostrar resultados no próximo nível. Antes de falar especificamente do fator dentro de campo das picks, o fora de campo já mostrou o pensamento do Dorsey que sim talento e potencial é o essencial para estudar um atleta mas o fora de campo é um aditivo chamativo a se levar a Cleveland. Logo no seu projeto de franchise QB o mais toughness da classe, Mayfield passou por Oklahoma e deixou um legado de liderança, de gana por conquistas, Chubb já sentiu na pele literalmente uma lesão que poderia ser devastadora pra sua carreira, ele deu a volta por cima e é mais um que pode ser usado como exemplo para os que já estão, Coebert era um dos capitães de Nevada e dono da OL respeitado por todos como um personagem de proteção, procuramos nos prospecto TOUGHNESS.

Passamos todo o processo falando na idéia absurda do Allen e o favoritismo do Darnold para estar na 1, equipe completa (Hue, Dorsey e Haslam) no Pro Day de USC, conversa com sua família e ele querendo lançar na chuva para provar que poderia jogar no clima frio de Cleveland, mas Dorsey não precisou ir ao Pro Day de Oklahoma em sí, ele já havia visto o jogador em ação no college durante 2017 quando não tinha emprego na NFL, ele estava no Senior Bowl te observando e ainda viria há sua visita aos Browns pré draft. Todo o caso onde a lenda do Dorsey sempre draftar QBs altos, ou com grande estatura física, mãos grandes…ele como Football Guy veio pra um Browns onde continua usando muito métrica para análise, tamanho não foi problema para Mayfield ter mostrado potencial, sua liderança e encontro olho a olho tirou qualquer medo de imaturidade. Tyrod iniciará a pré temporada como QB1 e Stanton como QB2, todos estavam na idéia de vim QB há se trabalhar por um ano no banco mas tinha dois que estão mais preparados a jogo e brigarão por vaga Rosen e consequentemente Mayfield…vejamos a história da vinda do Russel Wilson ainda menos visto pela mídia como pronto até por vim de uma terceira rodada apenas, ele iniciou como titular na week1 tendo Matt Flynn que estaria lá nessa função mas teve uma pré temporada inferior, claro Tyrod é bem mais QB que o Flynn, pode não haver declínio, mas é um combatente a querer mostra gana desde o início e vai disputar como Hue já citou em entrevista.

O processo junto com a mídia caminham juntos mas ninguém sabe tudo, antes mesmo de chegar em fevereiro olhamos com bons olhos para o Fitzpatrick na 4, logo após o Super Bowl começaram a bancar a adição de Chubb a DL do Garrett mas algumas vezes apenas o GM olha para tudo que falam por fora dos bastidores e sorri, Browns foi de uma necessidade, faz tempo que não temos uma estabilidade em um grupo de secundária, montamos boa pressão lá na frente mas ainda precisamos tirar a paz do jogo aéreo de Big Ben ou Flacco. Browns não quiseram ver quem sobraria pro segundo dia, foram para o mais puro da classe, procurou já pra colocar impacto, ele veio da defesa de OSU, virou principal líder pós saídas de Conley e Lattimore, tem dúvidas a ser o melhor man corner do draft e ao mesmo tempo ser inconsistente no combate de campo aberto. Sempre quando analiso CB prospecto preciso ver sua estatura e físico porque meus olhos brilham com isso na posição mas Ward é um caso tão contra isso sem declínio, olhando para suas medidas 5’11 “, 183lbs com o comprimento do braço abaixo da média da liga com 31 ¼ polegadas mas seu tape mostra características que ajudam demais contra suas medidas, já no Combine mediu um vertical 39” que mostra que pode combater WRs mais altos, correu pra 4.32 no 40yard dash, ele não será um Patrick Peterson gigantesco que dá medo mas ele terá um atletismo e velocidade que vai dar problemas pro seu alvo, ele é um cara com técnica onde seus bons footwork, antecipação e colocação a atacar a bola apagam qualquer perda que poderia no tamanho, ele vem para uma liga onde a maioria dos WRs tem problemas com velocidade verticalmente e consequentemente ele tem uma impulsão de velocidade grande nisso. Jamar Taylor vai embora, mesmo gastando cap na área precisa de talento, ninguém esperava um Josh Jackson ter sobrado pro Day2 por isso investiu logo sem pensar em perder as picks de RD2.

As duas primeiras escolhas e não as mais cotadas de acontecer Baker Mayfield e Denzel Ward

Jogadores principalmente de linha ofensiva onde é visto como bom para eles mudarem de posição pode deixar os scouts nervosos para gostarem, mas a NFL tem bons exemplos de transferências de posições por causa de potencial onde deu certo: Zack Martin deixou de ser um jogador de esquerda em Notre Dame com um questionável kick-slide para um Guard All-Pro, assim como Joel Bitonio para o Browns, os Packers teve sucesso olhando para LTs do college indo para outras posições na OL. Todos olham pro molde do jogador, os primeiros tackles que não têm o tamanho suficiente para jogar no limite, tendem a ter excelentes pés e rapidez para virar Guard, e são capazes de usar alavancagem e ângulos para maximizar seu poder e se mover muito bem como “puxadores” no próximo nível nível. Em pouca coisa que pode já vê de cara que Corbett vai ajudar na NFL é seus footwork (não tão limpo) mas que ele não se esforça para movimentar, não tem problema de afundar os quadris, boa força no núcleo onde cria fácil o torque e sua otimas características sendo durável inicial 48 dos 49 jogos que teve no college e titular de LT os 4 anos onde esteve em Nevada onde foi votado como capitão da equipe (voltando ao discurso do Dorsey procurar lidereres para mudança de cultura), é claro tem seus problemas que dão medo como jogou em um ataque de opção de spread que combinou os princípios de Raid Air e Triple-option, vai ter que ter muito aprendizado, uso inconsistente das mãos…o Sênior Bowl foi bom para ele onde o Dorsey estava, ele foi testado como Center, LT, RT e Guard e dominou boa parte dos seus adversários em todas as posições, não pareceu um bloqueador ágil mas forte. Muitos times olhavam para Corbett como segundo ou terceiro melhor OT, se o Browns não fosse dele a perspectiva é que els não demoraria para ser escolhido, Hue também já se pronunciou sobre o plano que seria levar Corbett a ser G ou T e Bitonio ir para LT.

A pick que eu fiquei mais satisfeito, como eu falei em texto passado é mais uma classe de RBs com grande potencial e que o Browns tinha que aproveitar ela principalmente a mim saindo com um dos meus top4 (Barkley, Guice, Michel ou Chubb) e foi o que aconteceu Nick Chubb acima do Guice com todos os problemas envolvendo possível briga com o staff do Eagles. Como já analisamos antes lembramos onde Chubb parece ser um 2down back apenas e vindo de um não uso para recepções em Georgia, ele chega para um grupo onde é perfeito para isso, no jogo aéreo temos Duke que tem tranquilidade nessa área e Hyde para não o forçar em 3down back já que acho que não tem condição para isso, ainda sim pra NFL antes de qualquer talento para recepção o mais importante ainda precisa ser tomar decisões maduras e correr entre os tackles, ele não é melhor bloqueador e receptor que o Michel mas pelo wue o Duke já é na equipe os Browns foram em um cara mais forte, um ganhador de jardas na força, um cara parecido com o próprio Hyde.

Quando Chad Thomas chegou ao campus de Miami a perspectiva era gigante em cima dele por ter vindo do ensino médio como talento 5 estrelas mas a universidade no começo o fez mal para evolução, Thomas foi usado com moderação durante suas duas primeiras temporadas um fato que só atraiu a ira da torcida de Miami para o então treinador Al Golden e o coordenador defensivo Mark D’Onofrio para decisões questionáveis de pessoal durante o mandato. Com os furacões adotando uma defesa ofensiva 4-3 sob o novo coordenador defensivo Manny Diaz a mudança devolveu para Chad uma posição familiar, sendo testado de LB com o antigo DC finalmente foi colocar as mãos na grama, seja por amadurecimento ou melhor ajuste no seu jogo ele mostrou números como DE reunindo 11 tackles-for-loss em 2016 e 12,5 TFLs em sua temporada sênior, seus quatro sacks em 2016 foram melhorados em um ano e meio em 2017 totalizando 5.5 Sacks. Antes de seu último ano, Thomas foi creditado pelo rapper Rick Ross por sua produção em uma música chamada “Apple of My Eye” no álbum “Rather You Than Me” de Ross. Naquele mesmo ano, DJ Khaled usou outra amostra produzida por Thomas – cujo nome de rap é Major Nine em um single que contava com o DJ de Miami e o artista de “God’s Plan”, Drake, isso virou uma polêmica onde vários GMs da liga tinham medo de que a produção musical virasse obsessão futuramente e que ele não se preocupasse tanto com futebol, ele afirmou que futebol é o objetivo No.1 da sua vida. Tem todos os traços físicos que as equipes procuram, mãos violentas, boa versatilidade mas que precisa saber usar melhor sua força, não os coloca hype pelo uso de força para o próximo nível, ele tem péssimas escolhas onde quando acha um QB mais atlético tem problema de fechar pocket e a baixa produção de sacks durante os 2 anos na posição. Mas o porquê acreditar nele? Um esquema certo, vindo de boas adições ao seu lado como Ogbah, Garrett…podem produzir um grande jogador, ele passará por ensino pra parar de ser menos “burro” nas decisões de escolha isso combinará com um físico que só vai ajudar a sua evolução.

Antes de falar do extra-campo do Callaway vem o seu potencial dentro de campo, o porquê do Browns ter subido para tentar uma “Home Run Pick” e pelo que gosto demais dele, não que eu ache um talento de primeira rodada mas já o coloco como de segunda rodada, não que ele tenha grande força mas consegue ser um estável bloqueador de corridas, ótima estrutura, ele é um pesadelo quando ganha separação as defesas, sua rota de execução é o seu atributo mais subestimado, ele em Flórida era o objeto de estatísticas no special teams ou não líder no grupo de WRs, seu trabalho de pés só melhorará com o tempo mas já é muito bom neste estágio de desenvolvimento. Para o seu tamanho e físico ele se mostrou ter menos velocidade que muitos outros prospectos com medidas parecidas, muitos scouts tinham dúvidas sobre seu foco dentro de campo, seu conjunto de habilidades ilustra um jogador que poderia criar uma boa carreira no nível profissional mas precisa melhorar algo como ser bem instável com capturas ao nível do peito ou abaixo, medo de contato, equilíbrio onde ele tropeça ou cai em momentos sem sentido, o medo o leva a não ter uma segurança na proteção da bola, ele cedeu 4 Fumbles retornando fumbles em 2016, ele serve pro special teams mas não deve ser usado logo de cara, vejo ele sendo um bom Z-receptor de rotas profundas mas não adequado para slot ou PR/KR por ter problemas com contato.

 

Mas a liga procura além de tudo o “personagem” e nisso Callaway é uma completa não esperança para ele no profissional. Suspenso na primavera de 2016 em meio a alegações de agressão sexual, a universidade acabou por considerá-lo não responsável durante uma audiência do Título IX. Declarou que ele estava “cheio de maconha” durante o incidente e estava “tão chapado que ele não tinha interesse em fazer sexo com ninguém”. Em maio de 2017, ele foi acusado de delito de posse de maconha, suspendido para a temporada de 2017 contra Michigan por “fazer acusações impróprias em… IDs de estudantes universitários na livraria da escola e depois vender esses itens por dinheiro”. Ainda teve episódio onde ele clonou cartões de crédito para colocar dinheiro em sua conta. É um currículo extremamente complicado, Dorsey usou do mesmo pensamento onde draftou pro Chiefs Tyreek Hill onde tinha duvidas de todos no comportamento mas que na NFL se criou mentalidade e se mostrou um bom jogador, Callaway nas últimas entrevista se diz “evoluído mentalmente” com mais maturidade, durante todo o processo do draft ele estava treinando lado a lado com Antonio Brown do Steelers onde cria melhoramento dentro e fora de campo.

Após essas escolhas vêem os rounds que tem lá suas surpresas que viram história para se contar mas também há verdade onde se o prospecto caiu pra quinto, sexto ou sétimo round certamente não mostra nada na NFL refletindo para sua pick, nessas rodadas o Browns pegou Genard Avery LB de Memphis com números ótimos no Combine e um físico assustador, o WR Damion Ratley a espero ajudar a dispensar o Ricardo Louis do grupo pra temporada regular e o CB Simeon onde gostei demais da sua envergadura e que mostrou bom trabalho como corner.