Semana 3: Washington Redskins vs Green Bay Packers

Todo ano, quando sai o calendário de jogos da temporada, os fãs sempre tentam imaginar quais jogos o time deveria vencer e quais a chance de derrota é maior. Somando vitórias e derrotas, tenta-se prever o desempenho do time no campeonato.

No caso deste ano, parecia um começo de temporada muito favorável e promissor. Cardinals e Colts vinham de temporadas conturbadas, com trocas de head coach. Então, a maior parte dos fãs contava como vitórias certas.

Contra o Cardinals, o desempenho do time foi melhor até do que o mais otimista dos torcedores esperaria. Já contra o Colts.. Melhor nem falar sobre isso. (Você pode ler mais sobre o desastre de domingo passado aqui neste link).

Washington Redskins vs Green Bay Packers

O lado do adversário

O que finalmente nos leva ao jogo contra o Green Bay Packers. Na teoria, certamente o jogo mais difícil da temporada até agora. Aquele jogo que o fã mais cauteloso contava como possível derrota.

Afinal, capitaneado por Aaron Rodgers (que na humilde opinião deste que vos escreve é o melhor jogador da NFL em atividade), que mesmo perneta é capaz de levar seu time à vitória contra qualquer um e em qualquer lugar. E Rodgers não está sozinho. Ao seu lado, uma das melhores linhas ofensivas da Liga: David Bakhitiari, Lane Taylor, Corey Linsley, Justin McCray e Bryan Bulaga.

Ataque

Ainda é ajudado por um talentoso grupo de recebedores liderado por Davante Adams (mesmo sofrendo alguns drops fáceis, é um recebedor pra lá de confiável). Gerônimo Allison tem a função de esticar o campo. O habilidoso Randall Cobb completa o grupo. Na offseason, chegou Jimmy Graham, que embora listado (e alinhado) como TE, na prática é outro WR. Afinal, nunca desenvolveu qualquer conceito de bloqueios.

Já seria um ataque de respeito, mas infelizmente a profundidade de posição do nosso adversário não para por aí. Na 6ª rodada do último draft escolheram Equanimeous St. Brown (Notre Dame), que é possivelmente um dos maiores steals desse ano. Tem ótimo físico, habilidade e recebendo bolas perfeitas de Rodgers, deve se desenvolver com rapidez.

Já no ataque terrestre é onde está a maior fraqueza da equipe. São apenas 3 RBs no roster. Ty Montgomery recebe a maior parte das carregadas. Sendo WR de origem, consegue receber passes com facilidade. Jamall Williams costuma entrar mais quando há necessidade de poucas jardas. Uma vez que é um RB que costuma usar mais a força do que agilidade pra avançar.

Considero uma fraqueza, pois não é um grupo de corredores com capacidade de grandes jardas, se a escolha da jogada não for a ideal. Portanto, costumam ser mais efetivos quando Rodgers usa audibles pra mudar a jogada na linha de scrimmage.

Defesa

A defesa parece ter dado um grande salto de qualidade este ano, com a chegada de Mike Pettine após a saída de Dom Capers (um desejo antigo da torcida). Pettine manteve a base da defesa em 3-4, porém mais flexível chegando a parecer com 4-3 em certos momentos, quando coloca OLBs com a mão no chão.

Depois de tantos anos priorizando a defesa no draft, finalmente parece que o time de Wiscosin está colhendo os frutos. Uma vez que com Rodgers em campo, ele se vira até com uma plantação de abacaxi no resto do elenco.

Mohamed Wilkerson chegou na FA e parece estar finalmente acordando depois de anos de letargia no melhor time de NY. Ao lado dele, Kenny Clark (ainda que de forma irregular), tem mostrado certos momentos de brilho. Clay Matthews, que até alguns anos atrás (basicamente antes da chegada de Dom Capers) era um dos melhores defensores da liga, também parece ter ganho um novo gás.

A secundária, no entanto, é o que mais sofria na época de Capers e o que mais foi priorizado no draft nos últimos anos. Uma grande quantidade de jovem talento,ainda não aproveitado: os safeties Jermaine Whitehead e Ha Ha Clinton-Dix.

O CB Kevin King está fora da partida. Agora, teremos os calouros Jaire Alexander e Josh Jackson (ambos cotados para a primeira rodada do draft e classificados como melhores prospectos da posição por alguns analistas). Alexander parece ser o que tem a técnica mais apurada, mas Jackson sabe ser oportunista e possui uma capacidade fenomenal de produzir turnovers.

Special Teams

Finalmente, o Special Teams. Contra o Vikings, o ST do Packers teve uma tarde cheia de emoções. Depois de conseguir um TD com o calouro Josh Jackson (não falei que era oportunista?), após um punt bloqueado, numa jogada muito bonita de Geronimo Allison. Seguiu mostrando consistência ao longo de todo o jogo.

Destaque para o punter JK Scott (calouro de Alabama, escolhido no 5º Round – sim, até punters consistentes Alabama produz). O experiente Mason Crosby mostra consistência invejável, apesar de ter perdido o FG da vitória.

Washington Redskins vs Green Bay Packers
OLB Preston Smith #94 com o sack no QB do Green Bay Packers Aaron Rodgers #12, durante uma partida entre as duas equipes, no FedEx Field, em 2015.

O lado do Washington Redskins

Há muita coisa interessante a ser avaliada pelo lado dos Redskins. Algumas questões são animadoras, outras nem tanto. Não vejo o time jogando tão mal em casa duas partidas consecutivas. Alex Smith ainda não foi responsável por nenhum turnover (que foi, creio, a principal razão por temos o contratado).

Os 3 fumbles que sofreu foram recuperados por nós mesmos. Se mantivermos essa média de jardas por partida, AS passará de 4300 jardas na temporada. Jay Gruden e Alex Smith falaram muito durante a semana sobre a necessidade de ter mais big plays.

Ataque

O esquema de Pettine usa marcação man-press nos CBs, enquanto Alex Smith costuma ter muito mais dificuldade quando a marcação é por zona. Ainda seguindo esse assunto, a defesa de GB já permitiu 34 passes completados (4º. Maior da Liga). Maurice Harris finalmente deve voltar nesse jogo (e pra quem acompanhou o Training Camp, sabe que ele foi o recebedor que mais empolgou).

Breshad Perriman foi dispensado e Kapri Bibbs ativado do practice squad. Michael Floyd, que chegou durante a semana, ainda está aprendendo o playbook, mas pode começar a ganhar alguns snaps, enquanto Brian Quick deve aparecer bem mais. Mesmo com a lesão de Shawn Lauvao, ainda temos uma das melhores OLs da Liga (maldosos diriam que estaríamos ainda melhor por causa disso).

Defesa

Essa parece ser a defesa mais sólida que já tivemos sob a gestão do Jay Gruden. O que eu sei, não quer dizer muita coisa, mas para quem não tinha nada, metade é o dobro. Costumamos sofrer de uma espécie de síndrome de Robin Hood. Sofremos em jogos pra equipes mais fracas (Colts), mas costumamos endurecer contra equipes mais fortes (Como é o caso do Packers). São 11 jogadores na IR (segundo maior da liga) e ainda estamos na 3ª Semana.

Semana que vem é Bye week, logo temos que aproveitar bastante. Certo comentarista da ESPN perdeu a frescura e está falando o nome da franquia, como deve ser.

É isso. Bom jogo e boa sorte para nós!

#HTTR
#EuSouRedskins

texto por Cristiano Ludvig (tt: @ludvigcristiano)
revisão por Diogo Miranda (tt: @diogoniiiii)

Hail, #RedskinsNation! Acompanhe o Podcast Redskins Brasil, assine o feed e não perca nenhum episódio. Siga também nossas redes sociais para ficar por dentro das notícias da franquia. Se gostou ou discordou de algo, deixe sua opinião nos comentários. Hoje enfrentamos o Green Bay Packers, no FedEx Field. Seguiremos debatendo sobre os Redskins, sempre na torcida para que este ano seja de muitas vitórias!

__
“Hail to the Redskins, hail victory! Braves on the warpath, fight for old D.C.!”

DEIXE UMA RESPOSTA