Como foram os Redskins no quarto jogo da pré-temporada?

Com praticamente o terceiro time em campo (foram poupados 32 jogadores para esta partida), o Redskins foi até Tampa Bay, na Flórida, para enfrentar os Buccaneers. Último jogo da pré-temporada, última chance para alguns jogadores mostrar seu valor para se manter nos 53 do Roster ou ao menos ficar com uma vaga no Practice Squad.

O jogo começou muito bem, com Nate Sudfeld, nosso terceiro QB, fazendo bons lançamentos e conseguindo achar nossos WRs e conseguindo avançar no campo. Mas nosso jogo corrido, com o rookie Samaje Perine, foi nulo e acabamos indo somente até a metade do campo antes de devolver a bola para os Bucs. Foram dois first downs nesse primeiro drive até o Punt.

No primeiro drive da defesa, não permitimos nenhum first down para os Bucs, que estavam jogando com seu 2º QB – Ryan Fitzpatrick. Destaque para o S Everett e o CB Holsey. E nossa defesa manteria essa pegada e trabalharia muito bem durante todo o primeiro tempo.

Em nosso segundo drive de ataque, apesar das boas jogadas por parte do Sudfeld, não conseguimos entrar na red zone e acabamos ficando somente com um Field Goal, de 53 jardas,  onde mesmo com um péssimo snap, nosso punter/holder Tress Way conseguiu corrigir rápido e ajudou a garantir os primeiros pontos no placar: 3 a 0 Washington.

Novamente nossa defesa se postou bem, seja contra o passe ou contra o jogo corrido. Nossos LBs Nico Marley e Martell Spaight foram muito bem enquanto estiveram em campo.
Com a bola de novo nas mãos do Sudfeld, com mais confiança, passou a apostar em passes mais arriscados e eles entraram, principalmente com WR Matt Hazel, um dos grandes destaques da partida. Além do jogo aéreo, o jogo corrido passou a entrar também com RB Mack Brown. Porém, não conseguimos converter uma quarta descida para 1 jarda na linha de 24 jardas do campo de ataque e a bola acabou voltando para os Bucs, fazendo um bom drive morrer na praia, já durante o segundo quarto de jogo.

Mais uma vez, nossa defesa prevaleceu diante do ataque de Tampa e conseguimos novo three and out.

Sudfeld novamente conseguia bons lances com WR Matt Hazel mas desta vez fizemos um drive bem voltado ao jogo corrido, ora com RB Mack Brown, ora com RB Matt Jones. E principalmente Jones conseguiu boas corridas, conseguindo até entrar na End Zone, porém o Touchdown foi anulado devido a uma falta de holding do G Arie Kouandjio, nos forçando nosso ataque para trás e dai em diante foi um festival de erros com buracos na OL, decisões ruins do Sudfeld e acabamos chutando outro Field Goal, porém mais um erro, o do Kicker Dustin Hopkins que perdeu um Field Goal de apenas 36 jardas.

E o primeiro tempo terminava com nossa defesa forçando novo three and out sobre o time de Tampa.

As estatísticas do Half Time mostravam que Washington tinha um total de 131 jardas em passes e 64 jardas em corridas enquanto o time de Tampa tinha ridículas 6 jardas em passes e 34 jardas corridas. O Jogo era um massacre, mas o placar mostrava um magro 3 a 0.

Começa o segundo tempo e, com ajuda da nossa defesa que cometeu algumas penalidades, os Bucs conseguiram chegar com chance de empatar o jogo, mas também perderam um Field Goal (de 56 jardas em um chute pra lá de mal executado) pelo ex Redskins Zach Hocker, escolha de 7º round em 2014.

No primeiro drive do ataque na volta do intervalo, parecia que as coisas continuariam como no primeiro tempo: com Sudfeld executando boas jogadas e o jogo corrido sendo bastante acionado e funcionando. Porém, logo na terceira jogada, Mack Brown, que vinha sendo um dos destaques do jogo, sofreu um fumble besta.

No entanto, por competência da nossa defesa que era dominante no jogo, não virou pontuação para os Bucs, que acabaram levando um novo three and out.

O jogo seguiu morno, com os ataques produzindo muito pouco fechando o terceiro período sem pontuação para nenhum dos dois lados. No final do quarto, o Redskins iniciou um drive muito promissor, com Sudfeld achando muito bem os recebedores e com Mack Brown tentando apagar o fumble da memória e, após virar para o quarto período, novamente não conseguimos transformar um bom drive em touchdown, mas pelo menos desta vez nosso kicker acertou um Field Goal de 50 jardas ampliando o placar: 6 a 0 para Washington.

Nossa defesa permitiu a primeira pontuação dos Bucs no drive seguinte. Após uma conexão de 40 jardas nas costas do rookie CB Tevin Homer, o time de Tampa conseguiu um bom posicionamento em campo e com um Field Goal, diminuiu o placar: 6 a 3 Redskins.

Nova posse de bola para o ataque e mais uma vez começamos o drive com jogadas dinâmicas do nosso QB Sudfeld. Porém, mais uma vez deixamos o drive morrer sem pontuação.

No entanto, logo na primeira jogada do ataque dos Bucs, uma pick-6 do LB Josh Harvey-Clemons. Após a interceptação, o calouro de 7º round de 2017 retornou 41 jardas para o TD e ampliou a vantagem dos Redskins: 13 a 3 Washington.

Na sequencia, os Bucs finalmente conseguiram algum sucesso contra nossa defesa e, com 8 jogadas chegaram ao touchdown, deixando a vantagem dos Redskins em apenas 3 pontos.

O jogo já estava perto do fim e mesmo conseguindo 1 first down, nosso ataque devolveu a bola com pouco mais de um minuto no relógio e os Bucs tinham a chance de tentar a virada, porém terminaram o jogo com uma Hail Mary mal sucedida. Finla de jogo e vitória dos Redskins por 13 a 10.

ANÁLISE e DESTAQUES

Como foi dito no começo, o mais importante no jogo era identificar os jogadores que podem fazer parte do Roster ou mesmo do Practice Squad e alguns jogadores deixaram boa impressão. Os destaques do jogo foram o QB Nate Sudfeld, com passes precisos e arrojados, muitas vezes conseguindo diversificar bem seus alvos; o WR Matt Hazel que além de demonstrar boa técnica em recepções complicadas, ainda liderou o time em recepções e jardas aéreas; o RB Mack Brown, mesmo sofrendo um fumble, fez uma partida muito boa, conseguindo muitas jardas depois do primeiro contato, mostrando não só força, mas muita paciência atrás da OL buscando as brechas para poder ter um maior avanço. Na defesa destaque para o jogo do LB Nico Marley que conseguiu pressionar o QB adversário além de fazer excelente trabalho no pass rush; do CB Joshua Holsey e do OLB Pete Robertson. Porém, toda a defesa merece destaque, pois de um modo geral se comportou muito bem.

Destaque negativo ficou com o rookie de 4º round, RB Samaje Perine, que em 5 tentativas conseguiu correr para apenas 3 jardas e decepcionou um pouco a torcida que esperava uma melhor produção do calouro. Apenas como comparação, o criticado Matt Jones, com 6 tentativas correu para 24 jardas. No geral, de negativo fica aquela sensação de que o time produz muito e entrega pouco, assim como foi a temporada 2016 quando os números eram excelentes mas a pontuação deixava a desejar.

Agora que venha a temporada e que nosso HC Jay Gruden consiga corrigir os problemas do time para que possamos fazer grande campanha em 2017.

O próximo encontro será na semana 01 da temporada regular, contra os Eagles, no Fedex Field, as 14h (horário de Brasília).

 

Texto por: Tata Fernandes

  • Cássio M. dos Santos

    Confesso que eu esperava muito mais do Perine, e como citado na matéria, decepcionou. Por outro lado vemos um outro Matt Jones, com boas carregas, quebrando tackles, e tbm o Mack Brown que fez uma jogada espetacular, na minha opinião, quando ele deveria ser tackleado e ele simplesmente ignorou o defensor, atropelou, passou o carro. Acho que pela pré temporada não dá para tirar tantas conclusos por não serem jogos com toda a vontade como os de temporada regular, as vejo nosso jogo corrido melhor este ano. Isso, caso se confirme, ajudará muito nosso ataque deixando o KC com menos pressão, sem a necessidade de lançar para 400 jardas toda partida. Que venha a regular e com ela um time competitivo como se mostrou na pré temporada.

    • Redskins Brasil

      Perfeitos seus comentários, amigo! Acho que só se animou demais com o Matt Jones (inclusive, neste momento ele já assinou com os Colts rs)