Por Pedro Jorge Marinho

Colaboração e edição: Carol Vago

O JOGO

Por mais esperado que fosse sempre mantemos a esperança de vitória. Em mais um segundo tempo digno de pena, o Indianapolis Colts deixa escapar outra vez a vitória em casa em um jogo onde não tivemos grandes momentos no ataque.

Começando atacando, o Colts conseguiu um total de -8 jardas. Dois passes incompletos e um sack num three-and-out rápido. Variando corridas e passes, o Titans vem avançando pelo campo. Mariota encontra facilmente seus recebedores. Eric Decker, Delanie Walker e Demarco Murray são envolvidos no jogo aéreo, mas Tennessee falha ao capitalizar o TD. Ryan Succop abre o placar com um fieldgoal de 29 jardas. 0x3.

Ainda em ritmo de bye-week, o Colts novamente sai rápido de campo. Em uma campanha prejudicada por um holding do Castonzo, Brissett até conecta 11 jardas num passe para Frank Gore, mas um sack em seguida faz Indianapolis chutar o punt. O Tennessee volta disposto a deslanchar no placar. Mariota acha Walker para 37 jardas de ganho. Vale destacar mais uma vez que o “The Fastest Safety Ever” (leia-se TJ Green) conseguiu perder na corrida para um cara 27 quilos mais pesado que ele… Chegando perto da redzone, uma interferência ofensiva do ataque prejudica o avanço da franquia de Nashville, fazendo com que Succop entre em campo e coloque mais três pontos no placar. 0x6.

Tentando oferecer resistência, o Colts consegue seu primeiro firstdown na partida em passe para T.Y. Hilton. Brissett sofreria seu terceiro sack em três drives, mas uma falta da defesa manteve Indianapolis em campo. Na melhor jogada até aquele momento, Brissett acha Jack Doyle para 20 jardas. O TE fez uma bela e difícil recepção. Logo em seguida, nosso QB acha um buraco na defesa e, não fosse um pezinho fora de campo, seria touchdown, mas a primeira descida já estava garantida. Apesar da bela campanha e, estando nas últimas oito jardas do campo, o Colts não consegue nem uma jarda em três jogadas. Adam Vinatieri marca os três primeiros pontos do Colts na partida. 3×6.

Com 10:05 para o fim do primeiro tempo, o Titans voltava a campo. Após um firstdown em um passe para Corey Davis, Mariota tenta Harry Douglas na meia direita, mas Rashaan Melvin consegue uma recuperação impressionante no lance e intercepta o passe no limite da bola bater no chão. A nota triste foi uma lesão no punho direito do CB que o tirou do jogo. O momento virava a favor do Colts. Brissett, apesar de fazer papel piñata no jogo, conseguia sobreviver. 12 jardas para Doyle, 16 para Mack e outras 16 para Donte Moncrief deixaria o Colts na linha de 9 jardas do campo de ataque. Mas o terceiro sack neste drive prejudicou demais. Mesmo com sete jardas de passe para Chester Rogers, Indianapolis não conseguiu chegar à marca do firstdown. Vinatieri empata o jogo restando 2:07 para o intervalo. 6×6.

Com os dois tempos para pedir e o two-minute warning, Tennessee teria boas chances para desempatar o jogo. A primeira jogada foi um passe incompleto na direção de Eric Decker. Em seguida, Mariota leu mal a jogada, Taywan Taylor tropeçou, Darius Butler quase dropa, mas Nate Hairston completa a interceptação. Com 1:54 para avançar 34 jardas, o Colts consegue a primeira descida com Rogers. Com seis jardas para Hilton e mais três terrestres para Gore, faltava uma jarda para outra primeira descida. Frank Gore acha um buraco no meio da defesa do Titans e corre 14 jardas para o touchdown. 13×6 e intervalo.

O segundo tempo começa com a defesa do Colts forçando o primeiro punt do Titans na partida, destaque para a jogada em conjunto do Jon Bostic e Margus Hunt, que pararam Demarco Murray nove jardas atrás da linha de scrimmage. No primeiro ataque do Colts, Gore avança 10 jardas em duas corridas e Brissett conectando bons passes entre Doyle e Rogers. Quase que o caldo entorna quando nosso QB sofre fumble, mas consegue recuperar e correr para 4 jardas. Mesmo avançando bem, Brian Orakpo finaliza a campanha ofensiva com mais um sack. Nosso kicker conecta mais três para encerrar a participação ofensiva do Colts no ataque no jogo. 16×6.

Precisando reagir, Mariota conecta três passes seguidos, dois para 4 e um para 16 jardas de avanço. Após dois passes incompletos, o QB do Titans encontra Harry Douglas para oito jardas, insuficiente para o firstdown. Punt. O jogo estava aparentemente sob controle, mas todos nós sabíamos que uma hora ou outra, algo ruim iria acontecer. Não demorou nada. No segundo snap da campanha ofensiva, Brissett faz um pitch pra Marlon Mack. O rookie pensa antes de segurar a bola completamente, perde a posse, em vez de cair em cima da bola ele tenta recuperar estando de pé… Kevin Byard sai atropelando todo mundo e consegue recuperar a posse pra Tennessee. Linha de 4… Offside de Grover Stewart… Linha de 2… Mariota num chuveirinho para Delanie Walker… 16×13 e 1:50 para terminar o terceiro quarto.

Mesmo com um belo passe de 26 jardas para Jack Doyle, o Colts não avança muito mais no campo. Após uma corrida do Gore para duas jardas e dois passes incompletos, Rigoberto chuta mais um punt. Uma boa ação do Special Team faz o Titans começar na linha de 2. Com as costas na parede, Derrick Henry consegue escapar de um tackle dentro da endzone e avança 10 jardas. Após dois passes curtos, Mariota lança a bola na terceira descida e acha Douglas para 17 de avanço, mas a bola bateu no chão antes que o WR completasse a recepção. Pagano desafiou e venceu (coisa rara!). Punt.

Após o erro do Mack, a apatia se abateu sobre o ataque de Indianapolis. Nada mais parecia funcionar e as chamadas voltaram a ser um problema. Seu time tem um futuro HoF como RB e o mesmo é mal utilizado. Gore foi acionado duas vezes neste drive e, faltando apenas duas jardas para conquistar o firstdown, as mentes geniais por trás do ataque do Colts resolvem chamar um passe. Um three-and-out rápido, sem deixar a nossa defesa descansar. A torcida já sabia o que iria acontecer, talvez até o próprio staff sabia o que iria acontecer…

Com 11:24 para o fim de jogo, a defesa já mostrava cansaço. Derrick Henry já substituíra Demarco Murray para dar mais dinâmica ao ataque já que o #29 não conseguia encaixar boas corridas. O segundo anista foi envolvido em seis das dez jogadas do drive de Tennessee, seja recebendo ou correndo (coisa que a comissão técnica do Colts deveria fazer com Marlon Mack, envolvendo mais o #25 no jogo). Com quase cinco minutos e meio de campanha, Murray conquista o touchdown após corrida de uma jarda. 16×20.

O desespero bateu. No drive seguinte do Colts todas as chamadas foram de passe, quatro no total. Entre faltas ofensivas e passes rapidamente saímos de campo. Poderia ter arriscado uma 4th & 3, mas seria pedir muito dos nossos técnicos. O ataque do Titans gastou o relógio até o fim com Derrick Henry, que deslanchou em jardas terrestres. Fim de jogo e 3-8.

PONTOS POSITIVOS:

  • As interceptações de Nate Hairston e Rashaan Melvin foram essenciais para reverter o momento do jogo a nosso favor;
  • Jack Doyle teve boa partida. 7 recepções para 94 jardas;
  • Frank Gore fez o que pode. 62 jardas em 17 carregadas, a mais longa foi a do TD (14);

PONTOS NEGATIVOS:

  • Nenhuma grande pressão da DL em cima do Mariota. E o único sack do Colts, através do Clayton Geathers, foi anulado por uma falta do Matthias Farley;
  • Marlon Mack falhou. O calouro não pode cometer esse erro em um momento tão importante do jogo. Fumbles acontecem, mas deixar acontecer é grave;
  • TJ Green… Esse cara é uma lástima. Perde em velocidade para TE. Fala muito no Twitter (@BossGreen256) e pouco produz. Tem que ser cortado do time pra ONTEM;
  • Contusões do Rashaan Melvin e Ryan Kelly. O CB caiu feio em cima do punho direito quando interceptou o passe. Deve ficar de fora da próxima partida. Já o C sofreu concussão durante a partida. Pode ser que fique fora também.

ATUAÇÕES

Esta foi a oitava partida que o Colts foi para o vestiário vencendo. E pela sexta vez saímos derrotados. Não há resposta aos ajustes dos adversários. É triste. A franquia de Indianapolis no último quarto de jogo não entra em campo. Enquanto os adversários conseguiram 117 pontos na última etapa do jogo, o Colts anotou míseros 28 pontos! Não é uma forma muito boa de terminar o jogo quando você pretende ganha-lo, não é?

Definitivamente Chuck Pagano não sabe segurar um resultado! Definitivamente Pagano não sabe fazer ajustes no vestiário durante o intervalo ou no meio da partida! DEFINITIVAMENTE PAGANO TEM QUE SER DEMITIDO! Na segunda-feira, dia 27 de Novembro de 2017, o atual esperamos que não por muito mais tempo HC do Colts deu indícios que talvez sua sanidade mental (já contestada pela torcida) não esteja em dia. Não bastando uma derrota de virada, rotineira, o técnico não soube sequer dar uma coletiva decente. Foi necessário apelar para o clima! Isso mesmo, clima! Você não está lendo errado, essa foi a tônica de Chuck na entrevista. Se quiser, veja por si só, afinal isso é algo que não como descrever:

Acho que o parágrafo anterior diz muito sobre o jogo e o que tem acontecido com o time de Indianapolis. Não queríamos repetir o que foi dito nos textos anteriores, porém isso tem se tornado um desafio cada vez maior com o passar das semanas. Mais uma vez ao ataque morre e o a defesa paga a conta, ainda que tenham segurado a partida em apenas 20 pontos, muito por erros do QB adversário, Marcus Mariota.

Mais uma partida sem alcançar 100 jardas terrestres combinadas, ainda que Gore tenha conseguido mais um touchdown corrido para os números de sua carreira. Brissett não passou de 200 jardas passadas e mais uma vez mostrou a falta de aptidão para reconhecer e se livrar das blitzes, que dessa vez foram executadas pelo Titans desde seu primeiro drive defensivo. Aceitando sacks, passando quando deveria segurar a bola, saindo do pocket no momento errado, correndo sozinho e fazendo slides na linha de scrimmage: essa foi a atuação de Brissett. Alguns lapsos durante o jogo deram a esperança ao torcedor, novamente, iludido ao ver o resultado no intervalo.

Dentre os recebedores, apenas Jack Doyle se mostrou, novamente um alvo confiável e que pode ajudar a “segurar o rojão” em momentos complicados do jogo. Enquanto isso, Rogers teve mais jardas que Moncrief e TY Hilton combinados. Este último que mais uma vez sumiu do jogo… Mack ainda teve uma boa recepção, porém, quando poderia mais uma vez fazer boa jogada sofreu um fumble que deu ao Titans um touchdown e sobrevida no jogo. A tônica mais uma vez foi a virada do adversário em cima de erros ofensivos do Colts. Interceptações e fumbles no campo defensivo tem sido a forma mais recorrente da reação do oponente nos jogos.

O retorno de Geathers parecia que seria glorioso, já conseguindo um sack em sua primeira participação em 4 snaps defensivos. Mas como a felicidade do Colts dura muito pouco, uma falta anulou a excelente jogada do safety. Se podemos destacar algo defensivamente, isso seria a defesa contra o jogo corrido. Mesmo cedendo 92 jardas ao fim do jogo, o primeiro tempo, com a defesa ainda com boa condição física, foi excelente para o Colts. Henry e Murray constantemente parados na linha de scrimmage, sem chances de ganhar muitas jardas. Já no segundo tempo, sem ar, as corridas passaram a ser maiores, resultando em seguidos first downs para o Titans. Destaque para Al Woods que teve excelente jogo, segundo melhor da partida defensivamente, conseguindo desviar passes na linha e parando corridas, atrás apenas de um CB calouro…

Nate Hairston conseguiu novamente um brilho no meio da turbulência defensiva. Em jogada onde Butler dropou uma interceptação, o novato estava atento e conseguiu pegar a bola ainda no ar. Antes dele, Rashaan Melvin já havia feito uma interceptação espetacular! Agarrando a bola muito próximo ao chão, o CB agarrou o passe ruim de Mariota antes do recebedor. Mas como “desgraça pouca é bobagem”, na mesma jogada uma lesão no pulso tirou nosso melhor CB do jogo.

Mesmo com bons jogos anteriormente, Bostic dessa vez teve outra atuação bem ruim. Sem velocidade para acompanhar o TE Delanie Walker, o miolo da nossa defesa foi novamente um alvo fácil para os avanços da equipe de Tennessee. Não apenas ele, mas TJ Green conseguiram tomar um banho do TE e de Eric Decker. Não já explicação para Green ser titular, a menos que Quincy Wilson tenha feito algo realmente muito sério para sequer estar ativo para o jogo. Na próxima semana com a lesão de Melvin espera-se que o rookie tenha uma chance de jogar e mostrar serviço como no início da temporada.

Próxima semana enfrentaremos o Jacksonville Jaguars, melhor defesa e melhor jogo terrestre nesta temporada. Há alguns anos, o Jaguars era motivo de piada na NFL. Mas a sólida defesa construída e o fator Leonard Fournette tiram um peso enorme dos ombros de Blake Bortles, que parece até um QB razoável neste momento do ano.

Rumo a mais uma derrota, porque, por mais esforçada que nossa defesa esteja aparentando ser, o ataque não vai arrumar nada. A.J. Bouye não cedeu nenhum TD nesta temporada em bolas lançadas em sua direção e o front-seven do Jaguars é absurdo, líder em sacks com 41 e fumbles forçados com 15.

Vamos aguardar o próximo domingo, 16h, para acompanhar de quanto será a lavada.

OS MELHORES DA SEMANA

Menção ainda para Rashaan Melvin com uma interceptação no início do jogo. Estaria no Top se não fosse a lesão e o pouco tempo de jogo.

Enquanto isso, acompanhem nosso Podcast Colts Brasil, semanalmente no Fumble na Net. As notícias e cornetadas no @HorseshoeBR, @potrosbr, @CarolVago12 e @pj1992.