Se alguém dissesse que a defesa do Colts seria a grande responsável pela vitória na última partida, chamaríamos de louco. Mas foi o que aconteceu. Pela primeira vez desde 2016 o Colts não cede um touchdown e vence com autoridade o Washington Redskins fora de casa. Uma partida memorável de Darius Leonard e companhia, que permitiu aos mandantes apenas 9 pontos no placar. Vamos ver os pontos positivos e negativos dessa excelente vitória do Colts por 21-9 em pleno FedEx Field.

 

PONTOS POSITIVOS

Defesa

Há muito tempo não víamos uma atuação tão boa da defesa. Em todos os níveis, o desempenho dos comandados por Matt Eberflus foi de encher os olhos. Para começar não vimos tackles perdidos, o que nos assombrou nos últimos anos. Toda vez que um redskin recebia a bola, três ou quatro jogadores de defesa já estavam em sua cola na marcação, não permitindo maiores avanços. O jogo terrestre adversário se limitou a apenas 65 jardas, com o Colts conseguindo anular Adrian Peterson e Chris Thompson, duas armas importantíssimas para dar apoio a Alex Smith. O QB do Redskins lançou 33 vezes para 292 jardas, foi incomodado no pocket, sofreu três sacks e seis QB hits.

Pierre Desir e Kenny Moore II foram muito bem na marcação, não deixando os recebedores adversários à vontade em campo. Jabaal Sheard, Kemoko Turay, Margus Hunt e Anthony Walker fizeram um bom jogo, contribuindo bem contra o jogo terrestre e fazendo pressão no Alex Smith. Ao todo foram impressionantes 11.5 tackles para perda de jardas.

O incômodo ao QB, domínio dos defensores sobre os corredores adversários e pouquíssimos espaços para os recebedores resumem a tônica do jogo. Esses fatores, além de um ótimo trabalho dos defensive linemen treinados por Mike Phair, levaram o Colts à ótimas atuações, inimagináveis durante a pré-temporada. Não a toa, em dois jogos o Colts permitiu aos adversários apenas 9 de 21 conversões de terceira descida.

O grande nome foi Darius Leonard. Que atuação espetacular do camisa #53. Ao todo foram 18 tackles (15 solo), um passe desviado, um sack e um fumble forçado já no último quarto para assegurar a vitória. Jordan Reed sofreu, Alex Smith teve que se desdobrar para achar os recebedores. Leonard no momento lidera a NFL em tackles com 27 em dois jogos. Precisamos ser justo, temos que dizer que quase ninguém entendeu o que o Chris Ballard viu para escolher Darius na segunda rodada do Draft, mas Leonard vai se provando cada dia mais como uma escolha correta. Que seja apenas o início de uma trajetória vitoriosa do nosso #53.

 

Jogo corrido

O trio Mack-Wilkins-Hines teve boa partida. Marlon Mack, que ainda não está 100% devido a uma lesão no músculo posterior da coxa, contribuiu com 34 jardas terrestres em 10 carregadas e mais duas jardas aéreas. Já Jordan Wilkins teve 61 jardas em 10 corridas e três jardas aéreas. Não fosse a ausência do jogo corrido em certa parte do jogo, o #20 teria alcançado as 100 jardas com facilidade, graças ao design diferenciado das jogadas de corrida e dos gaps que a linha ofensiva era capaz de abrir para o corredor. Nyheim Hines contribuiu positivamente ao achar um belo espaço na red zone, quebrar tackles e anotar seu primeiro touchdown na NFL. Em comparação com o jogo anterior, esta última partida foi mais equilibrada entre passes e corridas (31 passes e 24 corridas), ainda que entre o segundo e último quarto, o Colts abusou dos passes desnecessariamente.

 

Design de rotas

O ataque do Colts está muito versátil, com jogadas capazes de confundir boas defesas. O design eficiente de jogadas de Reich ainda no Eagles foi visto em campo no touchdown do T.Y. Hilton. Os defensores se desentenderam na marcação e o #13 estava livre para receber a bola na endzone. Palmas para Nick Sirianni e Frank Reich, que tornaram Hilton no redzone threat que todos duvidavam que existia.

 

Eficiência no terceiro down

Pela segunda semana seguida o Colts conseguiu uma boa porcentagem de conversões de terceiras descidas. Dessa vez foram 9/16, um aproveitamento de 56%. Em um momento do jogo tivemos 4 conversões em 5 tentativas. Uma conversão crucial aconteceu em um passe do Luck, na linha de 3 jardas do campo de defesa, para o T.Y., onde o WR conseguiu 22 jardas de avanço e permitiu ao Colts sair do buraco. Com duas semanas, o Colts lidera a NFL em porcentagem de conversão no terceiro down com 60%. Números impressionantes para um ataque que sofreu na temporada passada, com apenas 38% das tentativas bem sucedidas.

 

PONTOS NEGATIVOS

Tarde ruim de Andrew Luck

O desempenho de Luck foi bem abaixo do esperado. A defesa do Redskins incomodou a ponto de o QB lançar duas interceptações, a segunda numa decisão bem errada. Graças à pressão sofrida Luck não tomou as melhores decisões na partida, forçando passes em janelas muito pequenas. Seus números foram de 179 jardas, 21 passes de 31, 2 TDs e 2 INTs. Os linebackers adversários conseguiram atrapalhar as rotas que se desenvolviam no meio do campo. Esperamos que na próxima semana Andrew tome melhores decisões.

 

Linha ofensiva

Apesar da escolha de Quenton Nelson e Braden Smith no draft e a chegada de Matt Slauson como agente livre, as lesões continuam incomodando o Colts na linha ofensiva. Novamente sem nosso LT titular, Anthony Castonzo, não conseguimos observar o melhor do nosso ataque em campo. Ainda que tenhamos cedido poucos sacks até o momento, apenas três, o número de pressões cedidas e o incômodo ao nosso QB ainda pode ser observado com frequência. Espera-se que com os retornos de Castonzo e de Denzelle Good o setor se torne mais consistente, principalmente contra uma das melhores defesas da liga na Semana 3.

 

Ao contrário do que todos esperavam, a defesa carregou o time. Certamente bateu um medo ao perceber que o ataque não estava produzindo mais e a defesa começava a ceder território ao adversário. Dessa vez foi diferente. Com extrema concentração e vontade conseguimos anular as principais virtudes do ataque do Redskins. E para enterrar uma reação do adversário, Luck conduziu uma boa campanha para o touchdown do T.Y. Hilton a fim de decretar a vitória. O triunfo fora de casa nos dá moral para a sequência da temporada. O desempenho da defesa contra o ataque que destruiu o Arizona Cardinals na Semana 1 foi muito positivo. Erros mentais podem e, com certeza, irão acontecer, mas a partida mostrou que a concentração e dedicação em campo ajudam a diminuir tais erros.

Na Semana 3 da Temporada o Indianapolis Colts irá enfrentar o atual campeão, Philadelphia Eagles fora de casa. Com atuações irregulares e abaixo do esperado, os Eagles encontra certas dificuldades neste início de temporada. Não será um jogo fácil em nenhum aspecto para o Colts. É preciso ter muito foco para conseguir vencê-los, ainda mais com a volta de Carson Wentz ao time titular. O WR Mike Wallace quebrou a perna e é desfalque e o RB Jay Ajayi é dúvida. O WR Alshon Jeffery ainda se recupera de lesão e seguimos sem informações sobre um retorno.

Com uma boa atuação do ataque e repetindo a belíssima atuação defensiva podemos sonhar com uma vitória. Mas ainda assim é preciso respeitar os atuais campeões da NFL. Frank Reich conhece o adversário como a palma de sua mão. Esperamos que nosso HC tenha uma carta na manga para alcançarmos a segunda vitória na temporada. GO COLTS!!! (1-1)

Para ver os melhores momentos e mais estatísticas e números do jogo, acesse o Gamebook oficial da NFL, disponível em: http://www.nfl.com/gamecenter/2018091608/2018/REG2/colts@redskins#menu=gameinfo%7CcontentId%3A0ap3000000963008&tab=recap

Enquanto isso acompanhem nosso Podcast Colts Brasil, semanalmente no Fumble na Net. As notícias e cornetadas no @potrosbr, @horseshoeBR, @CarolVago12 e @pj1992.

DEIXE UMA RESPOSTA