Pós-jogo Colts vs Eagles

Em uma partida disputadíssima contra os atuais campeões, o Indianapolis Colts não foi capaz de finalizar a maioria de suas campanhas na endzone. O placar de 20-16 para o Philadelphia Eagles mostra a fragilidade ofensiva do time enquanto a defesa se desdobra em campo para conseguir manter a equipe em situações favoráveis. Vamos aos pontos positivos e negativos da última partida do Indianapolis Colts, pela Semana 3 da Temporada.

 

PONTOS POSITIVOS

Boa partida da defesa

Não dá pra colocar na conta da defesa a derrota. Darius Leonard mais uma vez foi muito bem. Liderou a equipe com 13 tackles (9 solo) e 2 sacks. Margus Hunt teve excelente participação com 4 tackles, um sack e um fumble forçado, recuperado por ele mesmo. Anthony Walker Jr. vai recuperando seu lugar no time titular. Conseguiu uma interceptação muito importante, além de ter contribuído com 9 tackles (7 solo).

Matt Eberflus conseguiu montar um gameplan decente, que foi capaz de pressionar Wentz por 12 vezes e conseguir 5 sacks. A defesa deixou o ataque em posição de ganhar o jogo. Infelizmente no fim da partida a unidade cometeu inúmeras faltas (algumas BEM questionáveis como o holding do Jabaal Sheard) em uma campanha que culminou no touchdown da virada do Eagles. Mas no geral, os Colts conseguiram incomodar o Wentz e o ataque do Eagles enquanto tinha perna pra isso.

 

Adam Vinatieri

Nosso vovô encaçapou três fieldgoals e um extrapoint. Em condição adversa de chuva na Philadelphia, Vinatieri se mostra um kicker ainda confiável, mesmo aos 45 anos. Além disso, nosso #4 igualou o recorde de FGs convertidos do hall of famer Morten Andersen, com 565. Além disso, está a 44 pontos de ultrapassar o mesmo e se tornar o jogador com mais pontos na história da NFL. O G.O.A.T. dos kickers segue quebrando recordes em 23 anos de liga para nós, privilegiados, podermos apreciar.

 

PONTOS NEGATIVOS

Ataque, de novo

Não se pode chegar cinco vezes na redzone adversária e conseguir apenas um touchdown. Por vezes decisões ruins de Andrew Luck, por outras o desenho das jogadas inadequado para a situação… Seja de quem for a culpa, isso não pode se repetir ao longo da temporada.

A defesa segurou o rojão enquanto pode. Luck não pode ser tão conservador a ponto de lançar apenas 164 jardas em 25 passes. A chuva pode ter atrapalhado? Óbvio que sim. Andrew parecia querer segurar o braço para não cometer turnovers. Com isso, alguns passes viajaram por muito tempo no ar, facilitando o trabalho dos DBs dos Eagles.

Além disso, vários drops ocorreram em momentos diversos do jogo. Chester Rogers não agarrou uma bola na endzone, Eric Ebron idem. Não pode acontecer com a frequência que vimos.

 

Jogo corrido (ofensivo e defensivo)

O ataque corrido produziu 68 jardas, sendo 33 delas num scramble maravilhoso de Andrew Luck. Ou seja, faça as contas e descubra que apenas 35 foram produzidas por RBs. Jordan Wilkins, Nyheim Hines e Marcus Johnson correram, respectivamente, 19, 18 e -2 jardas. A DL dos Eagles é fenomenal, mas os Colts poderiam ter explorado melhor as corridas outside, sendo que o Hines conseguiu 14 em uma carregada. Fica a espera de melhora para a Semana 4.

Se o ataque foi ruim, a defesa contra o jogo corrido foi pior ainda. Wendell Smallwood e Corey Clement somaram 112 jardas (56 para ambos). Josh Adams contribuiu com mais 30 e Carson Wentz com 10. Muitas dessas jardas aconteceram após a linha de scrimmage. A pressão sempre chegava, mas tivemos dificuldades em finalizar antes que houvesse maiores prejuízos.

 

Excesso de faltas (e marcações questionáveis)

Durante o jogo os Colts cometeram 11 faltas, sofrendo prejuízo de 77 jardas. Algumas óbvias por erro técnico e outras muito controversas. O holding marcado contra Jabaal Sheard foi apenas um exemplo de lance contra os Colts que poderia ter mudado os rumos da partida. Outro episódio ocorreu em offside da defesa dos Eagles não marcado, que gerou um holding ofensivo e prejudicou o andamento do ataque. Porém, prefiro acreditar sempre que a arbitragem erra para os dois lados.

 

Queda no Third Down Conversion

Se nas duas primeiras partidas os Colts conseguiram 62% de conversão em terceiras descidas, no último jogo o número caiu para 20%. O problema no jogo corrido contribuiu para o ataque não estar em situações de terceiro down para poucas jardas. O jogo muito ruim do Andrew Luck foi a confirmação para isso. O ataque precisa melhorar muito para a Semana 4. Nick Sirianni e Frank Reich precisam encontrar um melhor ajuste e playcalling para as jogadas.

 

Atenção ao jogo

Não é uma novidade para ninguém que Frank Reich está em seu primeiro ano de Liga como treinador principal. Já havia acontecido contra os Bengals uma falta durante uma substituição devido a desatenção dos técnicos que planejavam a próxima campanha ofensiva. Dessa vez, numa conversão de terceira descida dos Eagles, o WR Nelson Agholor avançou para o first down após pisar fora de campo algumas jardas antes da marca da primeira descida. O curioso lance aconteceu não apenas na frente de uma das zebras, mas também em frente ao banco dos Colts.

Reich disse, após o jogo, que a jogada foi como uma “ilusão de ótica”, que ninguém viu a irregularidade no avanço de Agholor. Sem replays nos telões antes do snap seguinte dos Eagles ou o apontamento de alguém da comissão ou jogador, a jogada seguiu normalmente. Talvez mais atenção por parte da comissão pudesse gerar um desafio que impedisse o avanço do ataque em campanha para touchdown.

 

Já se passaram três semanas da temporada e a sensação até aqui é que poderíamos estar 3-0. Erros aconteceram principalmente na primeira e terceira partida e determinaram o resultado final dos jogos. O fato é que a defesa está rendendo mais que o esperado enquanto o ataque está muito abaixo do imaginado. Qual a parcela de culpa do Andrew Luck nisso? Pouca? Muita? Há dificuldade de assimilar o jogo de Sirianni e Reich? A lesão está limitando o seu desempenho em campo? É complicado chegar a uma conclusão, são muitas questões a serem levantadas. Mas se até o momento não há nenhum posicionamento do time sobre a real situação do Luck, vamos considerar que ele está passando por um mau momento.

No próximo domingo, dia 30 de Setembro às 14h, o Indianapolis Colts volta a campo no Lucas Oil Stadium, contra o Houston Texans. Jogo importantíssimo para as pretensões dos Colts na temporada. Os Texans colecionaram três derrotas até então e não estão rendendo o esperado nos dois lados da bola. Ou seja, vamos para um confronto que devemos vencer. Da Semana 3, devemos observar os pontos negativos do ataque e buscar soluções rápidas. Enfrentaremos uma defesa tão boa quando a dos Eagles e seremos novamente exigidos. Começar os confrontos dentro da divisão com vitória é muito importante se quisermos chegar aos playoffs. GO COLTS (1-2).

Para ver os melhores momentos, mais estatísticas e números do jogo, acesse o Gamebook oficial da NFL, disponível em: https://bit.ly/2IggfVm

Enquanto isso acompanhem nosso PodCast Colts Brasil, semanalmente no Fumble na Net. As notícias e cornetadas no @potrosbr, @horseshoeBR, @CarolVago12 e @pj1992.

1 COMENTÁRIO

  1. Não sei se é apenas uma impressão minha, ou o corpo de WR do Colts é mais baixo que a média dos outros times da liga? Além de sentir a falta do Doyle, achei que o time precisava de um recebedor mais alto e físico, principalmente na redzone. Ademais, parabéns pela coluna, prestigiando toda semana por aqui!

DEIXE UMA RESPOSTA