Com altas doses de emoção no final de jogo, o Indianapolis Colts venceu o Miami Dolphins por 27-24 no Lucas Oil Stadium. Muitos erros e turnovers por parte dos Colts, mas Andrew Luck colocou a bola debaixo do braço nos minutos finais e liderou a virada. Vamos aos pontos positivos e negativos da 5ª vitória consecutiva de Indianapolis!

 

PONTOS POSITIVOS

Luck, como antigamente…

Mesmo com duas interceptações displicentes no fim do 2º quarto, Luck fez um jogo muito sólido. O QB teve 343 jardas, 30/37 passes, 3 TDs e as 2 INTs. Após Miami abrir 10 pontos de frente, Luck teve 13:36 minutos para ao menos empatar a partida. Conseguindo variar passes e corridas, nosso ataque deixou a defesa dos Dolphins sem saber o que fazer. O destaque do drive final fica para a fuga sensacional do sack seguido de um passe de 34 jardas para Chester Rogers. E, ao ganhar mais nove jardas com corridas, veio o FG da vitória. O #12 comandou a 20ª virada de placar na carreira. Além disso, chega a 33 jogos seguidos com pelo menos um TD e ao 8º consecutivo com no mínimo três, igualando a temporada de MVP de Peyton Manning em 2004.

Luck 2 Rogers: CLUTCH!

 

Ebron, Doyle e Hilton

Com os dois touchdowns recebidos, Eric Ebron iguala Dallas Clark com o TE com mais TDs recebidos em uma temporada pelo Colts (11). E, mesmo faltando cinco jogos para o fim da temporada, ele já alcança a quantidade de TD que teve em Detroit nas quatro temporadas anteriores SOMADAS! Temporada espetacular do TE. Além disso, Jack Doyle recebeu um touchdown numa bela rota já na redzone.

Eric Ebron: 43 jardas e 2 TDs.

Já o #13 liderou a equipe em jardas recebidas com 125. Mesmo sem touchdown, T.Y. foi muito importante convertendo terceiras descidas importantes e ficou a uma jarda do TD após um belo passe de Luck.

 

Mack & Hines

Os dois RBs estiveram numa tarde muito boa. O segundanista teve 85 jardas corridas além de 11 recebidas. Infelizmente saiu por conta de uma concussão no último quarto. Não fosse isso chegaria às 100 jardas tranquilamente. Nyheim Hines teve 28 jardas corridas e 22 recebidas. O calouro é uma excelente opção para o screen pass e está conseguindo boas jardas após a recepção. Aparenta estar mais concentrado no jogo e se mostra paciente no desenvolvimento dos bloqueios nas corridas.

 

Rigoberto Sanchez e Adam Vinatieri

Palmas pro camisa #2. Após o touchdown de empate, e beneficiado por uma falta que fez o kickoff sair da linha de 50, o punter conseguiu colocar a bola exatamente na linha da endzone. A campanha dos Dolphins terminou num three-and-out e permitiu aos Colts conduzirem o drive da vitória. Mesmo após perder uma oportunidade de pontuar num FG de 48 jardas, “o pior chute da carreira” nas palavras dele mesmo, Adam Vinatieri sacudiu a poeira e chutou dois field goals. Um chute de 46 jardas e um de 32 jardas, o da vitória. Com isso, vimos o 28º chute para vitória na carreira do vovô garoto.

FOR THE WIN!

 

PONTOS NEGATIVOS

Big plays contra a defesa

No primeiro drive do jogo, Ryan Tannehill encontrou, num passe curto, Kenyan Drake que conseguiu 33 jardas de avanço para o touchdown. E após o Colts levar a partida para 14-7, o QB dos Dolphins conseguiu escapar da pressão e lançou uma bomba para Leonte Carroo avançar 74 jardas para a endzone. O último é completamente inaceitável. Pierre Desir estava inteiro no lance e falhou ao nem conseguir desviar o passe, visto que o passe era interceptável. Além das 204 jardas aéreas, foram 113 de corridas. No entanto, Miami tomou decisões questionáveis em seus últimos dois drives e permitiu a defesa se postar bem e forçar punts.

 

OL sofreu

A ausência de Ryan Kelly foi muito sentida. Quenton Nelson cometeu três faltas, Castonzo cedeu pressões e Braden Smith foi engolido por Cameron Wake. A sequência sem ceder sacks terminou. Foram 229 dropbacks, a segunda maior sequência da história da NFL.

 

As interceptações e o fumble sofrido.

Em drives consecutivos, Luck cometeu duas interceptações bem questionáveis, dois passes curtos, uma para T.Y. Hilton e um para Eric Ebron. Xavier Howard marcou T.Y. muito bem na primeira oportunidade e se aproveitou do péssimo passe de Luck no segundo turnover. É inegável que os dois erros que poderiam custar a vitória, entretanto os Dolphins não conseguiram pontuar e o jogo foi para o intervalo 14-14. Esse tipo de erro era muito comum nas primeiras temporadas de Luck, que vinha cuidando melhor da bola.

O RB Jordan Wilkins sofreu um fumble numa conversão de terceira descida. Proteger a bola com uma das mãos não é eficiente, erro de calouro cometido pela segunda vez na temporada. Devido a recorrência é necessário uma maior atenção do coaching staff e um trabalho específico por parte do técnico de posição, Tom Rathman.

 

Irresponsabilidade

Elogiamos quando deve, mas criticamos na mesma medida (ou até mais). A conversão de quarta descida num passe do Jacoby Brissett para Andrew Luck foi de uma irresponsabilidade sem tamanho. Originalmente, segundo o próprio Frank Reich, Luck não era o alvo principal da chamada, ao contrário do que parece ao vermos a jogada ser executada. Luck estava alinhado como WR apenas para atrair atenção da defesa e Brissett faria um Run-Pass Option com o Marlon Mack. Reich ainda reforçou que, Luck não estava nem nos planos e/ou na progressão de Jacoby. A jogada foi mudada no huddle, combinada entre os dois QBs. Além do passe ter sido alto, Luck sofreu um tackle do Reshad Jones que o fez cair em cima do ombro que o tirou de uma temporada inteira. Por muita sorte não houveram danos ao nosso QB titular.

Os Colts gastaram a vida para proteger seu maior patrimônio e por pura irresponsabilidade mudaram uma jogada do técnico e colocam a integridade do QB em risco. Muito mais que desnecessário e inconsequente. Esperamos que Frank Reich se posicione como o Head Coach e ponha ordem na casa. É inadmissível que Luck se coloque em risco e aceite sofrer um tackle de um strong safety após um ano e meio fora dos gramados.

 

Lesões

O torcedor dos Colts não tem paz. O TE Jack Doyle está fora da temporada. Um hit no 3º quarto afetou o rim do jogador, que precisou ser levado para o hospital no fim do jogo. Um duro golpe na unidade ofensiva. No momento temos apenas Eric Ebron saudável para a Semana 13. Esperamos que Swoope, Alie-Cox e Hewitt se recuperem logo. Para piorar, Marlon Mack entrou no protocolo de concussão após um hit do LB Kiko Alonso e saiu de jogo. Será avaliado dia a dia e espera-se que esteja disponível para o próximo embate.

 

Mesmo com uma exibição abaixo do esperado, os Colts conseguiram a vitória graças a um último quarto praticamente perfeito de Andrew Luck. Após Miami abrir 10 pontos, Luck conseguiu completar 11/12 passes, 133 jardas e o TD para Eric Ebron. Além disso a defesa conseguiu forçar dois punts em campanhas consecutivas dos Dolphins, destaque para o grande tackle para perda de jardas do Margus Hunt num 3º down. Defensivamente, brilharam Darius Leonard e Mike Mitchell. O calouro conseguiu 10 tackles (9 solo), 1 tackle para perda de jardas e um sack. Já o safety veterano teve 4 tackles solo e forçou um fumble em cima do TE Mike Gesicki.

Os Colts abandonaram o ataque terrestre durante uma parte do jogo. Entendemos que as circunstâncias fizeram o time passar mais a bola, mas enquanto o jogo estava empatado poderiam chamar mais corridas. Foram 37 passes e 26 corridas. Inclusive as corridas outside estavam funcionando melhor que as pelo meio.

A ausência de um terceiro TE prejudicou o plano de jogo. Reich e Sirianni até conseguiram encontrar boas soluções com os recebedores, principalmente T.Y. Hilton, Inman e Rogers. Ryan Grant esteve muito apagado, fazendo apenas uma recepção para 3 jardas. Esperamos que Alie-Cox ou Swoope estejam disponíveis para o próximo confronto.

Após sequência de três jogos em casa, os Colts voam até Jacksonville onde enfrentam os Jaguars pela Semana 13. O jogo será domingo, 2 de Dezembro às 16h. Os Jaguars estão num péssimo momento e perderam para os Bills na última rodada. Na última segunda-feira, 26/11, o coordenador ofensivo Nathaniel Hackett foi demitido. Doug Marrone confirmou que o QB Cody Kessler será o titular domingo “para dar uma chance do time ganhar uma partida”. Os Colts precisam fazer um jogo muito sólido e se aproveitar das fragilidades dos donos da casa. Não cometer turnover e erros bobos são um grande passo para a vitória.

No confronto anterior entre as equipes os Colts não pontuaram no segundo tempo, e isso não vai poder se repetir. Começo e fim de jogo fortes são necessários para batermos a forte defesa de Jacksonville. Vimos também as dificuldades do rival em marcar TEs, visto que Eric Ebron teve campo livre em boa parte do primeiro confronto entre as equipes. É um matchup a ser explorado.

Que o time aprenda com os erros e tenha um desempenho bem melhor na próxima semana. Mas, cá entre nós, feio é não vencer. GO COLTS!!! (6-5)

P.S.: campanha positiva pela primeira vez desde novembro de 2015, quando Matt Hasselbeck liderou uma vitória em cima do Tampa Bay Buccaneers por 25-12 no Lucas Oil Stadium. O curioso é que o record na ocasião é o mesmo do atual: 6-5.

 

Para ver os melhores momentos, mais estatísticas e números do jogo, acesse o Gamebook oficial da NFL.

Assine o Feed do Colts Brasil para não perder nenhum episódio! http://fumblenanet.com.br/feed/coltsbrasil

Siga-nos no Instagram! https://www.instagram.com/podcastcoltsbr/

E no Twitter: as notícias e cornetadas no @potrosbr, @horseshoeBR, @CarolVago12 e @pj1992.

Fotos: disponíveis no site oficial dos Colts.

DEIXE UMA RESPOSTA