Em outubro, segundo mês de pura atividade na NFL, já tem time pensando no Draft seguinte, times que lutarão até o fim por uma vaga na pós-temporada, mas também tem pessoas preocupadas com outras causas, que vão além do futebol americano.

É aqui que gentilmente solicito a sua licença para sair um pouco de dentro dos gramados e falar dessas causas que ultrapassam o amor de qualquer torcedor pelo seu time, que transcende o profissionalismo e as contas bancárias milionárias dos jogadores e técnicos dos times. Na verdade, em outubro, temos um causa especial: a luta contra o câncer de mama.

É muito bonito entrar o mês e ver tudo rosa: os logos dos times, as luvas e demais itens que os jogadores vestem, as lojas oficiais da NFL bombando com estes itens. Mas tudo isso significa muito mais do que pintar a liga de rosa ou fazer qualquer marketing para arrecadar mais dinheiro (blasfêmia pensar isso) para os times e para a liga.

Vestir rosa significa realmente acreditar na causa, conhecê-la, procurar informar-se sobre como lutar, como prevenir e como ajudar…E ajudar, leia-se tomar qualquer ação para que nossos entes queridos, amigos, conhecidos, colegas de trabalho, qualquer pessoa de nosso envolvimento possa ter acesso ao máximo de informações para poder evitar ou combater essa doença extremamente cruel que todo ano destrói a vida de milhares de mulheres ao redor do mundo. No Brasil tivemos cerca de 60 mil casos em 2014 e nos EUA perto de 200 mil, com 40 mil mortes no mesmo período.

O que é o Outubro Rosa?

post-0

O movimento, hoje comemorado em todo o mundo, remete à luta contra o câncer de mama e estimula a participação da população, empresas, associações e quaisquer entidades que possam fazer algo pela causa. Iniciado nos Estados Unidos, diversos Estados concentravam nesse mês ações referentes ao câncer de mama e mamografias.

Posteriormente, o Congresso Americano aprovou o mês de Outubro como o mês nacional de prevenção do câncer e mama, espalhando-se ao redor do mundo, após outras ações e eventos ajudarem a reunir milhões de pessoas no país. Em 1990, laços cor-de-rosa foram distribuídos para os participantes da primeira Corrida pela Cura, realizada em Nova York pela Fundação Susan G. Komen. Desde então, além da própria corrida, diversos eventos são realizados na cidade e no mundo.

Qual a relação da NFL com a causa?

post-1

A campanha “A Crucial Catch” envolve os clubes, jogadores, a NFL Players Association e a American Cancer Society na luta para salvar vidas de pessoas (também atinge os homens, mesmo que em grande minoria) de comunidades menos favorecidas.

Tudo que nós vemos pintado de rosa nos jogos ajuda a chamar a atenção de todos para essa importante causa. Tudo que contenha rosa, principalmente nas roupas e acessórios de jogadores, árbitros e comissão técnica será leiloado pela NFL Auction e os valores serão revertidos em doações para a American Cancer Society’s Community.

No próximo dia 25 de Outubro a NFL, junto com a American Cancer Society terão seu terceiro evento (A Crucial Catch Day) para dar apoio à educação sobre o câncer de mama, além de oferecer exames gratuitos ou a custo reduzido para as pessoas de comunidades carentes.

post-2

Além de toda organização estruturada pela própria NFL, vários jogadores são bem ativos na luta contra a doença, mas talvez o caso mais famoso seja o do running back DeAngelo Williams, do Pittsburgh Steelers, que é muito engajado com a causa, principalmente após sua mãe ter sido diagnosticada com a doença em 2004. Após 10 anos de luta, Sandra Hill perdeu a batalha contra a doença, falecendo em maio de 2014. A história do jogador e sua luta contra o câncer de mama foi contada pelo colunista do Fumble na Net e do Steel Curtain BR, Erivelto Marques, no texto “D-Will: Correndo pelo preto, amarelo e rosa”, publicado no site Steel Curtain BR.

O que nós, fãs do esporte (e seres humanos) aprendemos e podemos fazer com isso?

Bom, quem sou eu para tentar responder isso? Porém, a iniciativa, as atitudes estão dentro de cada um de nós. Qualquer ação em prol da causa, por menor que ela seja, já é um ato nobre. Nós todos temos mulheres importantes em nossas vidas, e também podemos ajudá-las a lembrar do autoexame, de passar com um médico, de mandar textos informativos, compartilhar o que ouvimos a respeito da doença, enfim, qualquer atitude que seja para ajudar na prevenção e combate deste terrível câncer.

Não deixe de contribuir da maneira que achar necessária. O mês de outubro vai muito além do que colocar um adesivo de laço rosa em nossos crachás, ou estampar o mesmo laço em nossas roupas…. isso é legal sim, mostra que apoiamos a causa, mas podemos ir mais adiante, nem que seja espalhando a mensagem da importância dessa causa, o que estiver ao nosso alcance.

Por último, não sou expert no assunto (estou muito longe disso), e é exatamente por isso que recomendo pesquisarem mais sobre o tema, mesmo em 2016 as estatísticas ainda são assustadoras, e podemos ser muito maiores do que essa doença….conhecê-la, nem que seja de maneira superficial já é um grande passo para que juntos nós consigamos espalhar a mensagem e nos engrandecermos ainda mais na batalha contra o câncer de mama.