Pela primeira vez em seus 20 anos de carreira Tom Brady testará a free agency. Após um acordo com Robert Kraft, dono da franquia, o quarterback de 42 anos poderá encerrar sua carreira fora de New England.

Como não poderia ser diferente, as especulações estão fora de controle. Se não está fácil navegar no mar de teorias e previsões, algumas já podem ser jogadas pela janela para facilitar o entendimento da situação. Confira abaixo alguns dos possíveis (ou não) destinos de um dos maiores jogadores de todos os tempos. 

5 – San Francisco 49ers

Perder o Super Bowl já é um tormento a jogadores e comissão técnica por si só. Mas, além disso, o fato de a liga inteira estar acompanhando a equipe leva a maior análise e escrutínio. Surge daí a primeira teoria a ser descartada: Tom Brady no lugar de Jimmy Garoppolo.

O argumento mais prevalente é que Brady, com sua experiência, levaria o time ao ápice, coisa que Garoppolo não conseguiu. Mas o que não é levado em consideração é o fator idade. Enquanto Brady tem 42, Garoppolo ainda está com 28 anos de idade e é pouquíssimo provável que o front office abra mão de um quarterback mais jovem para dar lugar a um outro cujo fim da carreira se aproxima. É bem verdade que o segundo é o maior de todos os tempos. No entanto, com no máximo dois anos restantes, a opção da franquia se torna um tanto mais fácil.

4 – Dallas Cowboys

Após terminar a temporada 8-8 e perder o título da divisão, o Cowboys precisa de algo a mais. A primeira e mais impactante mudança já foi feita em janeiro: depois de 9 anos a frente da equipe, Jason Garrett deu lugar a Mike McCarthy. Alguns dizem, porém, que Dak Prescott deveria ir junto. “Insano” você diz, e com razão.

Jerry Jones é um ser humano imprevisível. Só por isso essa possibilidade não foi ranqueada ainda mais abaixo.

Um dos fatores levados em conta é o comercial. Com o maior quarterback da história, o “time da América” teria ainda mais sucesso nesse quesito. Entretanto, o que não encaixa nessa história toda é jogar fora um quarterback saindo da melhor temporada da carreira. Prescott terminou 2019 no top 5 de várias categorias, e ainda recebeu 80.3 do PFF. Ou seja, nem que seja por franchise tag, mas o camisa 4 certamente permanecerá em Dallas.

3 – Los Angeles Chargers

Se as duas primeiras exigiam muita imaginação, as próximas tem elementos favoráveis. O Chargers, depois de ser derrotado pelo próprio Tom Brady nos playoffs de 2018, teve um 2019 pavoroso, marcado por uma série de lesões. Mike Pouncey, Derwin James e Russell Okung foram todos parar na Injury Reserve e somado a isso, o desempenho de Philip Rivers foi irreconhecível em várias partidas. Foram seis com pelo menos duas interceptações, tendo lançado quatro contra o Kansas City Chiefs.

Se o público de LA já é difícil de ser conquistado, o nível de jogo não anima em nada os torcedores, e justamente por isso, a presença de Brady pode ajudar a alavancar as vendas no novo SoFi Stadium. Mas e o jogador? Aceitaria ir para um time com torcida pouco calorosa e que nem aos playoffs se classificou?

Apesar do fracasso em 2019, o time tem muitos jogadores de qualidade. No papel, é um time imponente e se conseguir diminuir o número de lesões e melhorar a linha ofensiva, pode trazer Brady e o caminho do sucesso de volta à Califórnia.

2 – Las Vegas Raiders

A escolha de Jon Gruden para head coach foi muito criticada, mas depois de duas temporadas, o trabalho parece estar rendendo frutos e, inesperadamente, o Raiders quase cavou sua vaga para os playoffs desta temporada. O time possui nomes interessantes e jovens como Darren Waller, Johnathan Abram, Hunter Renfrow, Maxx Crosby e Josh Jacobs, que são jogadores promissores e, à exceção de Waller, todos irão somente para a segunda temporada na NFL.

Derek Carr, no entanto, não parece ter o mesmo prestígio que seus colegas. A torcida já anda impaciente e os rumores sempre indicam que Gruden gostaria de outro líder para seu ataque. Gruden, por sinal, tem um longo histórico com quarterbacks experientes e estando Brady disponível, pelo menos uma ligação ele deve fazer.

Se o Chargers ainda precisa melhorar sua OL, o Raiders parece ter esse problema sanado. Além de bloquear muito bem no jogo corrido, a linha ofensiva protegeu Carr muito bem. O left tackle, inclusive, seria um velho conhecido, já que Trent Brown já protegeu Brady em 2018, quando ganharam o Super Bowl LIII.

1 – New England Patriots

O caminho mais natural para Tom Brady em 2020 é… de volta para casa. Obviamente, é saudável para ambas as partes procurarem novas opções no mercado; Brady pensando em seus últimos anos, Patriots nos seus próximos cinco ou dez. Mas, se o próprio time está disposto a pagar 30 milhões para o rosto da franquia, não há motivo para um desencontro.

Com muitos jogadores em fim de contrato e com idade mais avançada, é possível que o Patriots de 2020 não se pareça muito com o de temporadas anteriores. Ter Brady para liderar os recém-chegados enquanto o novo quarterback se aclimata é fundamental para evitar um colapso.

Para Brady também é muito vantajoso permanecer em New England, onde todos o conhecem e ele conhece tudo. Mudar de time aos 42, aprender um novo playbook, com novas nomenclaturas e um novo head coach pode ser desnecessariamente trabalhoso. Se vale de alguma coisa, Joe Montana já o aconselhou a permanecer por lá até sua inescapável aposentadoria.

DEIXE UMA RESPOSTA