Na última semana escrevi uma coluna sobre o futuro do Steelers e de Big Ben. E em uma parte da coluna coloquei algumas opiniões em relação a tabela de nossa equipe até a volta de nosso amado QB.

Este trecho do texto gerou algumas opiniões adversas de torcedores do Steelers próximos a mim. Aproveitando esta oportunidade gerado por este tema, resolvi nesta semana trazer o tema de volta. Portanto, nesta quinta­-feira trataremos com maior profundidade de nossa sequência na liga, sem nosso Big Ben, e com o senhor Landry Jones encarregado de nossos passes.

Para uma contextualização aos que talvez não estejam por dentro do tema, algo que eu acho difícil ter acontecido, na semana 6 nosso QB sofreu uma lesão no joelho esquerdo. Problema este, que necessitou de uma intervenção cirúrgica. Inicialmente, foi cogitado sua ausência por um período de até duas semanas. Mas no decorrer da semana passada, houveram rumores que este prazo se estenderia, para algo em torno de 4 a 6 semanas.

Semanas estas que começaram a contar a partir de nosso confronto com o Patriots na semana 7. Sendo o mais pessimista possível, teríamos Landry Jones como titular até a semana 12. Portanto, Roethlisberger voltaria ao comando do ataque no confronto diante do Giants em Pittsburgh. Pensando nisso fiz algumas apostas para estes duelos sem nossa estrela a partir da bye week, que é nesta semana. Porém nesta semana, tivemos algumas boas notícias, ao ver Big Ben fazendo alguns lançamentos e se movimentando em campo. Talvez este período possa ser bem menor. Inclusive, alguns repórteres já cogitam a volta da estrela diante do Ravens. Mas aqui vou utilizar um olhar mais pessimista em relação a esta contusão.

WEEK 9 – Ravens em Baltimore (Minha Opinião: Dá para vencer)

Pegaremos um adversário destroçado. Que possui problemas em diversos setores, tanto com lesões quanto na quantidade técnica. A instabilidade do jogo corrido do Ravens é uma excelente notícia para nós, que com a volta de Shazier reforçaremos este setor que sofreu nas últimas duas partidas cedemos 262 jardas terrestres. Flacco é fraco, perdoem o trocadilho, porém nesta temporada este garoto não está bem,  porém ele tem o braço forte, e para uma secundária duvidosa como a nossa, isto pode ser fatal. Mas ai lembro do grupo deficitário de recebedores. Já pelo lado do ataque, creio que a chave aqui com a ausência de Roethlisberger pode ser a sustentação na versatilidade de Bell e Brown. Gosto muito do combate ao jogo corrido da defesa do Ravens. Mosley e Correia, o primeiro deve estar recuperado da lesão nesta partida, são extremamente talentosos e vigorosos. Então, a versatilidade da nossa dupla deve nos ajudar aqui.

WEEK 10 – Cowboys em Pittsburgh (Minha Opinião: Dá pra vencer)

O que nos compromete aqui é a defesa. Sei que o ataque texano se baseia nos passes curtos de Prescott e nas carregadas de Elliott. Mas acho que a nossa instabilidade, e o nosso pass rush, que precisa produzir igual a temporada passada, vão ser os principais motivos de derrota. Mas a vulnerabilidade da defesa do Cowboys é nossa aliada. No jogo corrido, eles cedem em média 92 jardas por partida. Mas o que mais é ruim mesmo nesta defesa é a pressão aos QBS, com apenas 8 sacks, tem algumas dificuldades para estabelecer a supremacia nos espaços cedidos pela OL. A saída para a vitória pode ser a dobradinha feita por D­Will e Bell aqui. Se tudo der certo, teremos opções seguras para passes seguros com Jesse James e com a estreia de Ladarius Green. Estes passes podem garantir avanços nas terceiras decidas importantes, além de munição pesada na endzone.

WEEK 11 – Browns em Cleveland (Minha Opinião: Vitória Certa)

Depois de duas partidas difíceis e complicadas, vejo aqui como um jogo mais tranquilo. Porém algumas coisas podem comprometer este possível “jogo treino”. O primeiro é a produção de corridas, que é o setor mais confiável desta equipe, produz em média 120 jardas. O segundo ponto que coloca a pulga atrás da orelha, é a capacidade de Tomlin de complicar em partidas que aparentemente possam ser tranquilas, vide Dolphins este ano, até o Browns endureceu as coisas para a equipe de Miami. Já o ataque precisa correr e Jones tem esta partida para garantir o contrato no ano que vem se impormos um ritmo avassalador como começamos contra o Chiefs e Redskins.

WEEK 12 – Colts em Indianópolis (Minha Opinião: Derrota)

Agora não me recordo o que coloquei na coluna passada. Mas pensando unicamente na capacidade de Tomlin de complicar, prevejo uma derrota. Esta é a partida ideal para um braço forte e fulminate de Luck deitar e rolar em nossa secundária medíocre. Ty Hilton tem esta partida para continuar mantendo os altos níveis de atuação. A defesa do Colts é um “Frankenstein”, com sistema defensivo suturado devido as lesões e pelos problemas de playbook. Luck ganhará esta partida, e demonstrará sua incrível capacidade. Este jogo será vital também, para a luta do Colts na AFC South.

Nós precisamos de Rothlisberger, Tomlin precisa também. O ataque sofre sem ele. Temos jogadores promissores e fantásticos, uma linha ofensiva consistente e também possuímos um playbook muito interessante. Mas quando nosso camisa 7 não está no campo, sofremos com a alocação e intensidade dos fatores nos snaps. O senso de liderança e respeito influenciam nisso.

Mas para que as coisas não compliquem mais, precisamos de um setor defensivo restaurado. Shazier é nosso craque, e quando não está no front 7, creio que todos sentem. A defesa perde aquele calor, deixa de demonstrar agressividade. E o que mais me preocupa, o combate do jogo corrido fica desastrosa como já vimos aqui. Mas sua eminente volta enche meu coração de esperança. A secundária, prefiro nem comentar. Outra questão que precisa evoluir é o setor de pass rush. Temos apenas 8 sacks. É muito pouco para um defesa que produziu na temporada passada 47 sacks, uma média de quase 3 por jogo, diferentemente deste ano que temos uma pífia média de 1,1 sack por jogo. Nosso sistema precisa contar com outras peças além de Heyward. Por este motivo sou um dos grandes incentivadores pela escolha de um pass rusher, de preferência um outside linebacker.

Mas para concluir, vejo nestes jogos um possível 3­-1, assim computando 7-­4. Também enxergo um Bell bem participante. Diferente de Brown, que terá que mudar algumas de suas características para obter mais espaço, infelizmente a falta de lucidez de Jones pode comprometer nosso melhor jogador. Assim como Brown, Coates será prejudicado. Mas vamos girar nossas Terrible Towels, e torcer e achar que Landry Jones pode ser o futuro da franquia.