Ataque do Patriots em 2018

Disclaimer – Esse texto não tem objetivo de informação, é apenas a opinião de um torcedor Patriota que acompanha de perto sua equipe e tenta passar um pouco sua visão sobre o time.

O período de hibernação acabou, se vão 6 meses desde a última vez que a bola subiu naquele divertido porém triste Super Bowl, e nesta quinta-feira já vimos os times de volta a ação num emocionante, mas nem tanto, jogo de pré-temporada. De um lado os Bears com seu novo HC e um reformulado ataque cercado de expectativas, de outro os Ravens estreando Lamar Jackson, o QB que tanto gerou comoção e tristeza por grande parte da torcida Patriota pela sua não seleção no fim do primeiro round do último Draft.

Com a temporada se aproximando e as disputas do TC começando a esquentar é a hora ideal para começarmos a olhar de perto para nosso Roster. Nesse primeiro texto tentarei colocar uma lupa em nossas opções ofensivas e fazer uma breve avaliação das posições, como as peças serão repostas e como eu acho que esse quebra-cabeça irá se encaixar.

Quarterbacks

Tom Brady – Brian Hoyer – Danny Etling

Eu entendo absolutamente quem tem preocupações com esse grupo, porém eu não compactuo desse sentimento. Para mim NE conta hoje com um dos melhores grupos de QBs da liga. Brady acaba de completar 41 anos, porém nada indica uma queda de rendimento, muito pelo contrário ele vem de duas temporadas com desempenho de MVP, sinceramente ainda podemos esperar mais alguns anos de altíssimo nível do GOAT.
Como backup temos Hoyer, provavelmente você já ouviu muita zueira a respeito dele por aí, mas isso não deve ser levado em consideração, ele tem todas as ferramentas que você gostaria de possuir num reserva, ele tem experiência real de jogo, conhece a franquia e o sistema, caso seja necessário ele consegue entrar por 2~3 jogos e não estragar tudo, e é exatamente isso que se quer de um reserva. Por último temos Danny Etling um calouro de fim de round, chegou a New England cheio de pontos a melhorar e não deve fazer roster, deve ser apenas mais um jogador de TC para jogar na pré-temporada.

Running Backs

(Sony Michel – Rex Burkhead – James White – Brandon Bolden – Mike Gillislee – Jeremy Hill – Ralph Webb)

Nesse grupo temos a primeira grande perda pro elenco esse ano, nosso principal RB do último ano e retornador Dion Lewis, isso gerou a maior surpresa do ano, a controversa seleção de Sony Michel no fim da primeira rodada.
Para esse ano a expectativa é repetir o que foi feito com sucesso no último ano, um grupo de RBs extremamente dinâmico e versátil formado por 3 cabeças, Sony- Rex- White, todos são completos com capacidade de correr e receber a bola em diferentes chamadas, teremos Rex e Sony tendo o maior volume de snaps e o White mais preservado para as 3as descidas e principalmente para os playoffs quando costuma brilhar. Olá SB 51! Também vale observar a quantidade de diferentes alinhamentos que esse grupo oferecerá, ano passado os Pats foram uma das franquias que mais teve sucesso utilizando 2 RBs ao mesmo tempo, um RB saindo do slot marcado por um LB é uma das coisas que o Tommy mais gosta de ver em campo.

Para completar esse grupo temos uma disputa entre Gillislee e Hill para fazer aquele papel de RB mais old school de força para correr entre os tackles. Na última temporada Gillislee chegou para substituir Blount nessa função, colocou bons números mas a evolução de Dion e Rex fizeram ele perder espaço. É uma das disputas a se observar nesse período de treinamentos.

Brandon Bolden apesar de listado como RB, a sua função é especialista, logo não vejo ele na briga com os outros jogadores. Correndo por fora temos o UDFA Webb, caso ele prove aos técnicos que consegue oferecer a contribuição de especialista que o Bolden oferece e ainda alguns flashes que pode produzir como corredor, pode surpreender e beliscar um espaço no roster.

Fullback

(James Develin – Henry Poggi)

Indo contra a maré da liga onde os fullbacks vêm caindo no ostracismo, New England ama seu FB, James Develin teve o contrato recém renovado, é peça fundamental no jogo corrido do time e tem grande contribuição no time de especialista. Vaga garantida pra ele!

Wide Receivers

(Julian Edelman – Chris Hogan – Matthew Slater – Cordarrelle Patterson – Phillip Dorsett – Kenny Britt – Braxton Berrios – Eric Decker – Riley McCarron – Malcolm Mitchell – Devin Lucien – Paul Turner)

Assim como nos RB, é impossível começar a falar de WR esse ano sem falar de quem se foi, nosso principal recebedor no último ano, Brandin Cooks, se foi via troca, um dos queridinhos da torcida, Danny Amendola, saiu via FA. O desafio para próxima temporada é remontar esse grupo mantendo o nível elevado.

O porto seguro deste grupo reside na dupla Jules-Hogan, ambos já estão na franquia há bastante tempo, gozam de grande confiança e sintonia com Tom, sempre foram muito produtivos em New England. Eles são duas peças praticamente garantidas no elenco, outro jogador garantido no roster final é nosso capitão Matthew Slater, porém assim como Bolden, sua contribuição não é como recebedor e sim como especialista.

Buscamos via troca Cordarrelle Patterson, dono de um físico incrível, 1,88m e 100 kg, Patterson nunca foi o WR que se esperava dele quando draftado, tendo até hoje principal destaque como retornador (ele é disparado o retornador mais produtivo da liga), apesar de uma árvore de rotas limitadas Patterson é um dos jogadores mais mortais com a bola na mão, podem apostar que Josh irá brincar muito com o seu posicionamento e desenhará muitas jogadas específicas para explorar o melhor desse jogador. Outra aposta da franquia é Phillip Dorsett, ano passado se limitou a ser um jogador de velocidade para espaçar o campo, porém segundo relatos esse ano os técnicos estão o alinhando como um SLOT para aproveitar de sua agilidade e tem dado resultado, Dorsett vem tendo um camp de destaque.

New England também tenta recuperar dois jogadores com passados bastante produtivos,são eles Britt e Decker. Essa dupla possui características muitos diferentes do que costumamos encontrar no nosso corpo de recebedores, jogadores muito altos e físicos, Britt se alinha com WR 1, jogando aberto utilizando muito de sua altura, já Decker é um jogador de Slot que utilizava muito bem o corpo e altura.

Os Patriots são famosos por sempre possuírem uma vasta gama de recebedores de baixa estatura, ágeis e que joguem no slot, esse ano não poderia ser diferente, para esse função temos Braxton Berrios e Riley McCarron. McCarron está no Practice Squad da franquia desde o ano passado, apesar de receber ofertas para sair, New England fez um grande esforço para manter o rapaz, o que mostra o quanto acredita nele. Já Berrios acabou de chegar via draft, um jogador bastante produtivo na universidade e com atuação nos times especiais, ambos brigam pela última vaga do roster, para cobrir o espaço aberto pela suspensão do Edelman.

Tight Ends

(Rob Gronkowski – Dwayne Allen – Jacob Hollister – Ryan Izzo – Will Tye)

O grupo de TE é o que menos teve mudanças, porém não significa que não teremos surpresas.

Muito se falou nessa offseason, aposentadoria, troca, dispensa, mas no fim disso tudo a única certeza é que ele está de volta, Patriots tem a sorte de contar com o Gronk, disparado o melhor TE a praticar esse esporte. Gronk é o maior mismatch da liga, sua combinação de velocidade e tamanho é mortal, enquanto ele estiver em nosso elenco, teremos um grupo de TE fortíssimo. Outro jogador que parece ter sua vaga garantida é Jacob Hollister, relatos dão conta de que o segundanista é o jogador que mais evoluiu do ano passado para esse, ele vem tendo grande destaque nos treinamentos. Apesar de não possuir grandes atributos no bloqueio, Hollister tem mostrado seu valor como recebedor.
Ainda temos no grupo Dwayne Allen, Ryan Izzo e Will Tye, jogadores de características similares, onde seu ponto forte é o bloqueio. Allen adquirido na última temporada via troca com os Colts teve uma temporada abaixo do esperado, apesar de mostrar uma grande qualidade em seus bloqueios, não conseguiu ser efetivo no jogo de passe, com um salário na casa dos 5 milhões e sem possuir dead money, não seria surpresa se ele perdesse vaga para Tye ou Izzo, que podem oferecer qualidade similar no bloqueio por um valor muito menor.

Offensive Linemen

(David Andrews – Luke Bowanko – Trent Brown – Marcus Cannon – Cole Croston – James Ferentz – Ulrick John – Ted Karras – Jason King – Shaq Mason – Brian Schwenke – Joe Thuney – Matt Tobin – LaAdrian Waddle – Isaiah Wynn)

Outro grupo onde devemos começar falando por quem saiu e não por quem chegou. Vimos Solder, nosso Left Tackle de longa data, sair para ganhar milhões nos Giants, porém a mim isso não é motivo de apreensão, enquanto Dante Scarnecchia estiver na franquia, tenho confiança que nossa OL será sólida.

Nesse início de Training Camp a OL vem sendo formada da seguinte forma – Brown – Thuney – Andrews – Mason – Cannon, basicamente é o mesmo grupo há 3 anos, trocando apenas Solder por Brown. Adquirido via troca com San Francisco, Trent Brown é um gigante de 2,03m e 165 quilos, em sua antiga franquia foi sólido tanto de LT quanto RT , segundo seu antigo treinador e até mesmo rivais, Trent Brown é o melhor bloqueador para passes da liga, seu maior desafio é se manter saudável.

O ponto forte nessa OL é sem dúvidas o lado direito com Mason e Cannon. Shaq Mason é o melhor que ninguém ouviu falar, se trata de um guard extremamente atlético, com facilidade única de chegar no segundo nível e muita qualidade para fazer o pull, juntamente com Develin, é o maior responsável pela qualidade de nosso jogo corrido. Jogando ao seu lado temos Cannon, um RT muito completo e sólido, chegando a ser All Pro há duas temporadas, seu maior problema não está em campo e sim seu histórico de lesões, Cannon perdeu boa parte da temporada passada com uma lesão no tornozelo.

Visando manter a OL de alto nível por muitos anos, New England gastou sua primeira escolha do Draft em Isaiah Wynn, o jogador vindo de Georgia, tem experiência tanto de OT como de OG, jogando em altíssimo nível em ambas, logo ele deve ser o reserva imediato tanto para as posições de Left Tackle como guard. Além disso tanto Trent Brown como Mason estão em seus últimos anos de contrato, assim Wynn deve estar sendo preparado para assumir a posição de um desses jogadores.

Para completar o grupo acredito que Ted Karras, Cole Croston e LaAdrian Waddle estarão entre os 53 finais. Karras e Croston são jogadores versáteis, Karras já entrou como Guard e como Center tendo atuações relativamente seguras, já Croston pode jogar com o Guard ou Tackle. LaAdrian Waddle completa o grupo, sendo titular em várias partidas da franquia nos últimos anos ele, pode jogar com o Tackle dos dois lados da linha com a mesma qualidade, New England gosta de seu trabalho e renovou seu contrato na última temporada.

Visão Geral:

Teremos um ano de muitos desafios para o ataque Patriota, porém acredito que o nível elevado se manterá. Mesmo com as saídas de Solder e Lewis, o grupo de OL e RBs permanecerá forte. A chegada de Sony Michel,Trent Brown e Wynn para se unirem a duas unidades já consolidadas com jogadores experientes, ambientados ao sistema, nos garantirá mais um ano de alto nível.

A maior preocupação reside no corpo de recebedores, onde duas peças de grandes destaques saíram e algumas apostas chegaram. Apesar de contarmos com jogadores de talento, que já demonstraram qualidades na liga, às funções exigidas para um recebedor em New England são diferente do resto da liga, o sistema é mais complexo e nem todo jogador se adapta, por isso hoje esse é o grupo no ataque onde o alerta precisa estar ligado.

DEIXE UMA RESPOSTA