Todo mundo que aprendeu a gostar desse esporte maravilhoso chamado futebol americano, em algum momento da vida quis mostrar, ou talvez doutrinar, como diria um grande poeta, amigos, família ou colegas de trabalho, faculdade, escola e etc. o quão legal e fabuloso é esse jogo. Eu mesmo já convenci um amigo e meu ex-chefe (mas não por isso menos amigo). Hoje um é torcedor dos Packers e o outro dos Seahawks respectivamente.
O legal disso é ver que um esporte cujo qual tanto se lutou para conseguir um espaço entre o nosso povo apaixonado pela bola redonda, e aqui ficam os meus eternos agradecimentos a Walter Silva e Luciano do Valle, pioneiros na transmissão da NFL e do College, vem crescendo e conquistando o gosto dos brasileiros ano após ano.
Fonte: Portal R7
E por consequência disso, se em 2009 perdemos um Lombardi muito querido por nós – muito disso por parte de nossos pais que adoravam os programas do tio Sílvio – um outro vem conquistando a admiração, o carinho e, porque não, a cobiça de muita gente, causando comoção e lotando espaços onde esteve.
Pois é, eu não fui! Infelizmente! Tive que me contentar com lives, fotos e as matérias publicadas depois a respeito da exposição de Vince Lombardi em São Paulo. Agora, se eu não tive o encanto de ver o troféu do Sper Bowl ao vivo, bem de pertinho, eu tive o encanto de notar quanta gente esteve presente!
Como alguém que acompanha o esporte desde 2009  por conta do irmão, notar o quanto o futebol americano vem conquistando adeptos e torcedores fiéis pouco a pouco traz uma satisfação muito grande, tanto pelo fato de pertencer a uma comunidade que só aumenta – o que atesta da veracidade da assertiva que nós fãs não cansamos de proclamar: esse esporte é maravilhoso – quanto pela sensação de perceber que aos poucos o brasileiro vem se abrindo para coisas novas.
Meu desejo é que Vince Lombardi continue atraindo mais adeptos, mas sem que a galera perca o espírito de camaradagem  e fraternidade criado e alimentado por todos aqueles que fizeram o possível para que o Futebol Americano fosse o que é hoje. E claro, que Vince não venha sozinho: México e Inglaterra volta e meia tem o gosto de ter um jogo em suas terras, estamos esperando a NFL colocar de vez seus pezinhos aqui!
E sobre esse espírito de camaradagem, esse texto da Liga dos 32, escrito por  Gabriel Plat traduz muito bem o sentimento de todos nós que já temos um certo tempo de estrada acompanhando as competições!

Venha mais vezes para cá, Lombardi! Você será sempre bem vindo aqui!

VOCÊ que foi ver o troféu, COMENTE sua experiência e FAÇA A CASA DO CORVO MORRER DE INVEJA!