Iria escrever outra matéria. Porém, a vitória de North Dakota State Bisons sobre Iowa Hawkeyes me inspirou. Os Bisons venceram uma das equipes mais surpreendentes de 2015, e que se tinha muita expectativa para este ano.

Esta vitória demonstrou que North Dakota State pode fazer frente com os grandes, pois o equilíbrio técnico é inclusive superior a equipes que atualmente jogam a primeirona. Mas para chegar a esta conclusão analisei alguns dados e fui buscar algumas informações que embasam esta ideia.

A hegemonia

Para alguns North Dakota State ganhou destaque por ser a universidade de Carson Wentz, segunda escolha do Draft de 2016. Mas para alguns especialistas, esta equipe tem feito um dos melhores trabalhos de recrutamento e estrutura de todo futebol universitário do país e não se resume apenas em Wentz.

Localizada na cidade de Fargo no estado de Dakota do Norte e a alguns quilômetros da divisa com o estado de Minneapolis, entrou para a segunda divisão do College em 2004. Inicialmente compôs a conferência Green West Football, e em 2008 migrou para a Missouri Valley Football.

De 2004 á 2010 a equipe passou por uma restruturação física e mental liderada por Craig Bohl, hoje treinador de Wyoming Cowboys, que chegou a equipe em 2003. Em suas mãos iniciou um trabalho árduo que renderam bons talentos, como por exemplo os linebackers Ramon Humber (atualmente no Bills) e Joe Mays (ex-Chargers).

Mas os frutos começaram a ser colhidos em 2011, quando a equipe conseguiu seu primeiro título nacional. A equipe conquistou todos os títulos nacional da segunda divisão das últimas cinco temporadas.

Outro número que me surpreendeu foi a quantidade de derrotas durante estas últimas cinco temporadas. Foram apenas cinco em 76 jogos disputados. Um aproveitamento superior a 93%.

Mesmo com a mudança de treinador em 2014, a mentalidade vencedora e a superioridade não saíram da equipe de Fargo.

Desempenho frente às equipes da “Primeirona”

Para a consolidação deste argumento, foram pegos dados de partidas realizadas desde 2011. De lá para cá, foram cinco duelos contra equipes da primeira divisão, e todos os confrontos foram vencidos. Destaques para as vitórias contra Minnesota em 2011, Kansas State em 2013 e Iowa em 2016. Tirando o duelo contra Iowa e Kansas State, todos os outros jogos foram vencidos com muita facilidade.

Jogadores na NFL

Outro fator que mostra a resposta vitoriosa de um programa é a capacidade de ter jogadores draftados pela NFL. E North Dakota State também tem números satisfatórios neste quesito. Nos últimos cinco drafts a equipe conseguiu ter quatro jogadores escolhidos. Destaque para Carson Wentz no Eagels em 2016 e para Billy Turner no Dolphins em 2012. Atualmente a equipe possui nove jogadores ativos na NFL.

Existem universidades da primeira divisão como Hawaii, Charlotte, North Texas e Lousiana Monroe com números de jogadores draftados e ativos nos últimos anos inferiores a North Dakota State.

Bisons em 2016

Existia muita expectativa sobre como seria esta temporada de North Dakota St. sem sua estrela Carson Wentz. Mas como já vimos em números e análises a hegemonia não deixará de vestir verde e amarelo esta temporada.

A equipe nesta temporada tem sofrido um pouco, mas a experiência tem feito a diferença nas horas mais difíceis, por exemplo, duas de suas três vitórias vieram em prorrogações.

Os Bisons nesta temporada possuem muitos talentos que fizeram e farão a diferença na sequência da temporada. Destaque para o RB King Frazier, WR R.J Urzendowski, DE Greg Menard e o LB Nick DeLuca. Todos são jogadores de muita qualidade, e de futuro na NFL.

O sucessor de Wentz, Easton Stick. O QB que já havia jogado 10 jogos em 2015, tem feito um campeonato seguro, mas sua qualidade realmente é inferior a Wentz.

Jogadores de North Dakota State Bisons erguem o troféu da FCS
Jogadores de North Dakota State Bisons erguem o troféu da FCS

Eles merecem subir

Após esta breve leitura, chegamos à conclusão de que eles merecem ascender rumo a FBS. O programa de North Dakota State é estruturado e vencedor, é maior que muitas equipes da divisão de elite.

Com um sistema de recrutamento da equipe explora estados menores de forma minuciosa. Podemos citar aqui Carson Wentz oriundo do próprio estado de Dakota do Norte. Normalmente os grandes programas focam suas procuras nos estados do sul dos Estados Unidos, nos quais possuem uma tradição maior em futebol americano. Mesmo focando em estados menores, os Bisons sempre tiram bons talentos.

Já houveram boatos que a equipe poderia subir nos próximos dois anos, mas o que dificultaria seria o aporte de investimento. Os recursos financeiros para disputar a primeirona é bem maior. Muitos dizem que seriam no mínimo três vezes maior do que o empregado hoje na FCS. Inclusive este argumento tem obrigado equipes da FBS a descerem para a FCS.

Acho que a chegada deles a elite é questão de tempo, talvez seja algo para os próximos cinco anos. Vamos esperar e enquanto isso, vamos ver a soberania de North Dakota State sobre os pequenos da FCS.