Faltam 28 dias para a 100ª temporada da NFL e hoje relembramos mais uma grande história da liga: o dia em que o Jaguars aposentou Dan Marino! Acesse fumblenanet.com.br/nfl100 para conferir outras histórias épicas!

No ranking de grande parte dos fãs de futebol americano, Dan Marino figura entre os cinco maiores quarterbacks da história. Apesar de não ter conquistado seu anel de Super Bowl, o camisa 13 quebrou inúmeros recordes e foi fundamental na transformação da NFL. Em quase duas décadas de carreira, foram vários momentos marcantes, como a “invenção” do fake spike por exemplo. No entanto, o Jaguars fez questão de trazer um pouco de amargor para sua despedida.

Os recém-chegados

Ainda em sua quinta temporada, o Jaguars não tinha nem metade do tempo de liga de Marino. Sob o comando de Tom Coughlin, a franquia chegou fazendo barulho na NFL. Aquela era, afinal, a quarta aparição na pós-temporada. Além disso, o time foi o primeiro colocado da AFC, com somente duas derrotas na campanha. Mesmo contando com um bom ataque, a defesa do Jaguars se sobressaía. Dos 16 jogos da temporada, em nove a equipe cedeu 10 pontos ou menos. O jovem defensive end Tony Brackens terminou a temporada com números impressionantes: 68 tackles, 12 sacks, 2 interceptações e 8 fumbles forçados.

Apesar de ser quem é, Marino estava longe de seu auge. Com 38 anos e sofrendo com lesões, o quarterback só disputou 11 jogos na temporada de 1999. É bem verdade que ele havia orquestrado a virada em cima do Seahawks num drive de 85 jardas no jogo de Wild Card. Mas, ainda assim, a imposição da defesa de Jacksonville poderia ser desastrosa para Miami. E foi.

O jogo

Após ver o Jaguars abrir o placar em seu drive inaugural, Marino entrou em campo. Seu primeiro passe já deu um indício muito forte do que viria pela frente. Buscando um recebedor na lateral do campo, ele acabou lançando uma interceptação nas mãos de Aaron Beasley. Pouco depois disso, Fred Taylor correu 90 jardas para colocar o Jaguars 17 pontos a frente do placar. Precisando urgentemente reagir, Marino recebe o snap e, antes que ele pudesse pensar, é sackado e sofre o fumble. Para completar a tragédia, o já mencionado Tony Brackens retorna o fumble para a endzone. 24 a 0. Ainda no primeiro quarto. Nem o torcedor mais otimista podia esperar um sopro de vida nesse time do Dolphins.

E como dizem: “De onde menos se espera, daí é que não sai nada mesmo”. O segundo quarto foi uma espécie de calvário para o time visitante. A vantagem era tão absurda que, antes mesmo do fim do segundo quarto, o Jaguars decidiu poupar o quarterback Mark Brunell. No intervalo da partida o placar mostrava: Jaguars 41 x Dolphins 7.

Sem forças para tentar absolutamente nada, o Dolphins terminou a partida com 7 turnovers e vendo o Jaguars anotar impactantes 62 pontos. Com a maior margem de vitória dos playoffs, o Jaguars despachou o Dolphins de volta para Miami. Marino, que ainda tinha dois anos de contrato, decidiu pela aposentadoria.

A campanha, que tinha tudo para acabar em Super Bowl, ficou no quase. A equipe foi derrotada pelo Titans na final da AFC. Mas nada apagará o feito do dia 15 de Janeiro de 2000.

DEIXE UMA RESPOSTA