Heidi Game
Faltam 57 dias para a 100ª temporada da NFL e hoje relembramos mais uma grande história da liga: a virada que ninguém viu! Acesse fumblenanet.com.br/nfl100 para conferir outras histórias épicas!

Coisas terríveis já aconteceram em partidas da NFL. Chamadas esquisitas da arbitragem, objetos jogados em campo, roupas sendo rasgadas, mas um jogo específico supera todas elas. E esse fato viria a mudar as transmissões de TV como conhecemos.

Era uma partida entre Jets e Raiders, daquelas disputadas até o último minuto. E com o Jets na frente do placar, o Raiders tinha um minuto para uma última tentativa de vencer a partida. Mas alguém na NBC não previu que o jogo poderia durar tanto, e programou a exibição do filme infantil “Heidi” para exatamente 7 da noite. Os jogos não costumavam durar mais que 3 horas, não havia prorrogação, então julgaram ser seguro iniciar o filme 3h depois do início do jogo. E a transmissão da partida de fato foi interrompida.

A quantidade de torcedores revoltados ligando para a NBC foi tão grande que bloqueou as linhas telefônicas da empresa, impedindo os executivos de entrarem em contato com a equipe responsável pela programação. Alguns fusíveis do equipamento de telefonia explodiram, tamanha a sobrecarga.

Os telespectadores da Costa Leste nunca assistiram à virada do Oakland Raiders graças à pequena Heidi. O pai de Johnny Sample, cornerback do Jets, foi buscar o filho naquela noite quando voltou pra casa, e parabenizou o filho pela vitória na partida. “Como assim, pai? Que vitória?” “O jogo acabou e vocês venceram por uns 8 pontos!” “Não, pai… perdemos por 11!”

A dinâmica das transmissões esportivas mudou para sempre: a NFL adicionou cláusulas contratuais com as emissoras para garantir que as partidas fossem exibidas até o final, enquanto a NBC instalou uma linha especial na sala de programação, para garantir que nunca mais ocorressem incidentes como esse.

DEIXE UMA RESPOSTA