MIAMI, FL - NOVEMBER 03: Daniel Jones #17 of the Duke Blue Devils heads to the sidelines in the second half against the Miami Hurricanes at Hard Rock Stadium on November 3, 2018 in Miami, Florida. (Photo by Mark Brown/Getty Images)

Draft 2019: Daniel Jones, amor estranho amor

Por que o Washington Redskins parece tão interessado em Daniel Jones (QB, Duke)?

A imensa maioria dos analistas parece concordar que Daniel Jones não tem talento para ser escolhido na primeira rodada. No entanto, não são poucos os relatos de inúmeros GMs interessados no prospecto de Duke. E, infelizmente, um dos principais candidatos a selecionar o jogador é o nosso querido Redskins.

Vamos discutir possíveis motivos que podem levar Bruce Allen a tomar esta decisão.

Encaixe

Daniel Jones parece ter um encaixe muito bom no esquema de Jay Gruden. Fez a carreira toda com passes curtos, arriscando pouco. Além disso, pouquíssimos lançamentos em profundidade e consequentemente poucas interceptações. Isso lembra algum quarterback familiar? É isso aí! Sendo otimista, escolher Daniel Jones é comprometer os próximos 4 ou 5 anos da franquia com um Alex Smith 2.0.

Estilo de jogo

A ideia de Jay Gruden de como conduzir o time é controlar a posse de bola. Ou seja, enquanto a posse estiver conosco, o adversário não marca pontos. O desafio é conseguir fazer isso pelo máximo de tempo possível. Uma opção é basear o ataque em passes curtos e corridas, dando preferência para os recebedores ganharem jardas após a recepção. Se o planejamento for bem executado, minimiza o risco de interceptação.

Além de garantir uma maior posse de bola, cansa a defesa adversária ao mesmo tempo que descansa a nossa. É um estilo de jogo feio, mas inegavelmente eficiente, como prova a nossa campanha ano passado até a lesão de Alex Smith. Outro excelente exemplo é o atual campeão NE Patriots. Claro, não dá para esperar que DJ chegue ao nível de Tom Brady (na verdade, chegar a uma eficiência de Alex Smith é o máximo que vejo para ele).

Números

Para mostrar a semelhança com Alex Smith, quero mostrar dois gráficos (que peguei de um artigo do On The Clock, com a devida autorização, Obrigado Felipe). Primeiro os jogadores que mais fazem lançamentos entre 0-9 jardas. Veja que DJ é o líder com mais de 50% de seus passes com pouca profundidade.

O segundo lugar é outro QB cotado para primeira rodada, Drew Lock. Mas este tem um braço muito mais forte, portanto sua bola longa tem muito mais potencial de ser trabalhada.

DJ arrisca muito pouco porque sabe que sua bola longa tem pouca força, fica muito tempo no ar e tem pouca precisão. São fatores que facilitam muito para defesa e na velocidade do jogo da NFL isso pode ser desastroso.

O gráfico a seguir mostra o lançamento em janelas apertadas.