Desde 2009, a NFL vem participando da campanha do Outubro Rosa, criada para conscientizar contra o câncer de mama. Os jogadores e técnicos usavam acessórios rosa nos uniformes, que podiam ser comprados independentemente na loja da liga, e fundos eram levantados para a American Cancer Society.

Em uma conferência realizada na última semana, a liga notificou as franquias que a partir da próxima temporada, durante uma janela de três meses no mês de Outubro, qualquer causa relacionada ao câncer poderá ser defendida, não mais apenas contra o Câncer de Mama. Isso permitirá aos times escolherem causas mais relacionadas com a história pessoal de jogadores/técnicos. A nova campanha se chamará A Crucial Catch.

Por exemplo, em 2014, o então defensive tackle do Bengals, Devon Still, queria de alguma forma homenagear a filha Leah pela sua força na batalha contra um câncer. Enviou uma carta para o comissário Roger Goodell, que desde então vem planejando uma forma de abrir a possibilidade de causas.

Entretanto, é necessário lembrar que os jogadores que apoiavam causas próprias recebiam multas da NFL, como foram os casos de Cameron Heyward, DeAngelo Williams, William Gay, Brandon Marshall, e até mesmo jogadores com chuteiras lembrando o 11 de Setembro.

Fonte: MMQB, Sports Illustrated