Em 2014 as divisões do Sul eram motivos de piada na NFL. Na AFC, apenas o Houston Texans tentava ameaçar o reinado do Indianapolis Colts, que cairia na final da AFC para o New England Patriots. Na NFC, a situação era mais tenebrosa ainda. Apesar de uma boa sequência no final da temporada regular, o Carolina Panthers era o time que se classificava para os playoffs com uma fraca campanha 7-8-1. Ainda conseguiram vencer a turma do terrão do Arizona Cardinals no Wild Card, isso porque o time de deserto estava todo desmantelado, devido a inúmeras lesões.

Com exceção dos campeões das divisões e do Texans, que teve uma campanha 9-7 em 2014, todo os outros times do Sul tiveram escolhas Top 15 no Draft de 2015, sendo o Tampa Bay Buccaneers, Tennessee Titans e Jacksonville Jaguars donos das três primeiras escolhas respectivamente. E nenhum desses três decepcionaram. Muita conversa, rumores e agitação pré-Draft para saber quem o Bucs selecionariam na primeira escolha. As escolhas eram obvias e dois jogadores despontavam livremente entre os favoritos, o QB Jameis Winston, de Florida State e o também QB Marcus Mariota, de Oregon. A situação seria a seguinte: o Titans selecionaria o preterido pelo Bucs, e assim Winston e Mariota foram os dois primeiros escolhidos.

Na terceira escolha veio o ótimo Dante Fowler Jr, defensive end que infelizmente perdeu a temporada de calouro devido a uma lesão. Sem esquecer do Atlanta Falcons, que selecionou o outside linebacker Vic Beasley, de Clemson na oitava escolha e o New Orleans Saints que selecionou o OT Andrus Peat, de Stanford na 13ª posição e o LB Stephone Anthony, de Clemson na 31ª posição, após receber a pick numa troca que enviou o TE Jimmy Graham para Seattle.

Sem entrar muito em detalhes, esses times fizeram bons Drafts e mostram sinais de melhoras para o futuro. Em 2015, a grande decepção talvez tenha sido a queda de desempenho do Atlanta Falcons, que começou ganhando os cinco primeiros jogos, mas acabou fora dos playoffs. O Sul, através da incrível campanha do Panthers, com o MVP Cam Newton, voltou ao Super Bowl, mas caiu diante da forte defesa do Denver Broncos. Na AFC, o reinado do Colts foi interrompido, tendo o time de Andrew Luck ficado pelo caminho. O Texans foi o representante do Sul da AFC na pós-temporada, porém caiu de maneira humilhante em casa para o Kansas City Chiefs, ao levar 30 a 0 no Wild Card. Jaguars e Titans voltaram a ser pífios em 2015, o Saints repetiu a campanha de 2014 e o Bucs até mostrou alguns bons momentos, mas parou na sexta vitória.

AFC South
Destaques da AFC South

Pois bem, a temporada 2016 começa em 15 dias e pouco se fala em AFC ou NFC South, com exceção do agora poderoso Panthers. O Jaguars foi discutivelmente o grande vencedor do Draft 2016, trazendo o CB Jalen Ramsey, para muitos o melhor jogador de todo o Draft, além de receber de paraquedas o ótimo LB Myles Jack, que para outros muitos, era o segundo melhor jogador no board, mas que foi parar no segundo round devido à falta de confiança dos times em seu joelho. O time chega com um poderoso ataque, e espera-se uma defesa mais confiável para que Blake Bortles e cia possam colocar os Jags novamente na pós-temporada. A última participação foi em 2007, quando a AFC South mandou três representantes para os playoffs.

O Titans adicionou o offensive tackle Jack Conklin, na oitava escolha, após trocar a primeira escolha geral com o Los Angeles Rams. Além disso, teve três escolhas na segunda rodada e foi buscar o segundo melhor running back do Draft em uma delas. Derrick Henry chega para fortalecer muito o depth da posição, que agora conta com DeMarco Murray. Nessa temporada o time espera contar com um bom poder no ataque, além de uma melhor proteção para o segundo-anista Marcus Mariota, que sofreu muita pressão em 2015. O Titans talvez seja o time que mais precise remar dentro da AFC South para buscar um lugar na pós-temporada, o time ainda está se reconstruindo, mas não aparenta estar errando muito, talvez precisa apenas dar continuidade a seus técnicos, coisa que o Jaguars tem apostado. A última aparição do time de Nashville nos playoffs foi em 2008, quando foi o melhor time da NFL na temporada regular, com um recorde 13-3. Viu, contudo, a campanha ir por água abaixo no Divisional Game, ao perder por 13 a 10 para o Baltimore Ravens em casa.

Colts e Texans – que agora conta com o QB Brock Osweiler – estão um passo à frente dos demais, porém isso não quer dizer que não teremos disputa. Pode ser que em 2016 as coisas não mudem muito, mas o caminho na AFC South não parece ser tão fácil para esses dois quanto pode ter sido a alguns anos atrás.

NFC South
Destaques da NFC South

Na NFC, o Falcons, que conta o head coach Dan Quinn (um dos responsáveis pela construção da fortíssima defesa do Seattle Seahawks), espera não decepcionar seus torcedores novamente, e ser um time mais consistente. Se mantiver a pegada do início da temporada 2015, pode sonhar a voltar aos playoffs. Na última vez – temporada 2013 – foi o melhor time da NFL na temporada regular (13-3), mas ficou a um passo de ir para o Super Bowl, quando caiu para o San Francisco 49ers em casa na final da NFC.

O Saints fez um Draft muito fraco em 2014, o que pode ter atrapalhado a manutenção do competitivo elenco do time. Voltou a acertar a mão em 2015 e parece ter repetido o bom desempenho em 2016, apesar de ter sido o time com menos escolhas, ao lado do rival Carolina Panthers. Mesmo tendo uma das defesas mais pífias da NFL, o time conseguiu um duplo 7-9 nas temporadas 2014 e 2015, após ter caído para o Seahawks no Divisional Game de 2013. O time da cidade do jazz espera dar a Drew Brees mais um Super Bowl, mas corre contra o relógio, visto que seu signal-caller está perto de se aposentar.

Voltando à Tampa, o Bucs, que teve uma leve reação em 2015, reforçou bem a defesa no Draft e espera ser mais competitivo nessa temporada. Está dando sinais de que pode ser, mas assim como Titans, ainda parece ser o time que tem mais a remar para poder sonhar mais alto. Em 2015 teve cinco jogadores selecionados para o Pro-Bowl, incluindo o então novato QB Jameis Winston, que fez uma boa temporada. O time é jovem e cheio de gás, Winston tem uma presença incrível no vestiário e parece ser um grande líder. Parece estar no caminho certo de liderar o retorno de um time que não joga um jogo em janeiro desde a temporada 2007.

Para não passar batido, mas também não falar o óbvio, o Panthers, que é uma das grandes potencias da NFL, precisa ficar de olho nessas boas movimentações de seus rivais para não perder o trono. O time tem feito bonito fora de campo também, mantendo um elenco competitivo, mas isso não é garantia de que estará sempre nos playoffs nas próximas temporadas.

E por fim, tentar prever algo na NFL é pura ingenuidade, o mundo da NFL dá muitas voltas, e mesmo times competitivos podem cair de um ano para outro, assim como alguns que parecem estar vegetando, de repente acordam e se tornam verdadeiras potências. Talvez em 2016 o cenário não mude muito, o Panthers segue como um dos favoritos na NFL, mas as movimentações dos demais times dessas divisões parecem estar no caminho certo, e algum gigante adormecido pode estar prestes a acordar.