Olá fãs do Detroit Lions, novamente, eu, Felipe Dalmoro, por meio deste, venho em mais uma edição do Lions Pride Mil Grau, para falar de um assunto específico do nosso time, o jogo corrido.

Na semana passada, falamos sobre a secundaria, que no último  jogo contra os Packers foi muito bem, acabou não recuperando a bola, mas a boa marcação possibilitou 4 sacks no Rogers.

Não foi nosso melhor jogo correndo com a bola, nem mesmo o melhor desempenho dos nossos RBs, mas, o motivo principal da escolha por determinado assunto, é a eficiência.

Acompanho o Lions a um bom tempo, e como todos vocês, também me irritei muito com nosso desempenho na Red Zone. Ano passado, tivemos o jogo contra o Pittsburgh Steelers, aonde chegamos 5 vezes na Red Zone e fizemos apenas 1 touchdown.

Mas neste jogo, vimos um comportamento completamente diferente, com o acréscimo do Blount, ao nosso jogo corrido, estamos conseguindo correr em situações, que no passado nos obrigava a passar a bola, agora, com Blount concentramos, 3 para 2, 3 para 1 e etc… E principalmente, os dois TDs corridos.

O porquê de estarmos conseguindo essas corridas é “simples”, com o acréscimo do Blount, conseguimos um RB de força física e explosão. E como podemos perceber, as duas corridas foram pelo gap A esquerdo (Lado esquerdo do Center), porque neste lado, o trabalho que Ragnow e o Glasgow vêm desempenhando, está sendo crucial nessas corridas pelo meio da linha, conseguem abrir perfeitamente e também avançar para o segundo nível (bloquear LBs e Secundaria).

Já nas corridas off tackle (por fora da linha), os bloqueios do nossos TEs, que muitas vezes passam os jogos inteiros apagados, está sendo incrível, conseguem tirar o OLB facilmente, e também a violência com que Tate e Golladay bloqueiam, abrem um caminho essencial, e claro, a inteligência do Kerryon Sanders, chamado carinhosamente pelo pessoal do Lions Pride Brasil, é incrível, a capacidade que ele tem de ler o espaço livre é incrível, ele conseguiu uma corrida de 24 jardas, fazendo uma boa leitura, mudando a direção da corrida após perceber o espaço livre. Para um calouro ele está indo muito bem, acredito que nos próximos anos, ele só irá acrescentar na equipe do Lions.

Em geral, implantarmos um jogo corrido consistente e crucial, tanto para poupar o braço do Stafford, quanto para a defesa cair em Play Actions e acabar vindo mais perto da linha, abrindo assim espaços para nosso QB na secundaria.

Felipe Dalmoro, Lions Mil Grau.

DEIXE UMA RESPOSTA