Ele passou, lançou, correu e pulou! Chegou sem chamar muita atenção. Josh Woodrum se tornou uma das boas surpresas do elenco dos Ravens nesse começo de pré temporada. Nas duas vezes que esteve em campo, fez atuações significativas

Na NFL desde 2016, o QB de Liberty foi um dos free agents não draftados do NY Giants daquele ano. Desde então, ainda no ano de 2016, passou por Indianapolis Colts e Chicago Bears, sem jamais ter atuado oficalmente. Em Nova York, não ficou sequer três dias.

Depois de ficar 20 dias em Chicago, entre novembro e dezembro, Woodrum foi contratado pelo Buffalo Bills. Lá, passou pouco mais de quatro meses até, mais uma vez, ser dispensado.

Seu contrato em Baltimore foi assinado pouco mais de dois meses depois. E, ao que tudo indicava, o destino do nosso atual camisa 1 seria parecido com os demais lugares onde passou. Serviria apenas como lançador de bolas nos treinos e relegado à posição de QB 4. Ou seja: o back up do back up do back up.

No começo do ano, os Ravens anunciaram a renovação do contrato com o free agent Ryan Mallett, o reserva imediato do nosso querido Joe Flacco. Algo até então bastante razoável, dado o seu desempenho durante o final da trágica campanha de 5-11 na temporada 2015. Na ocasião, Flacco havia sofrido uma lesão no jogo contra os Rams e ficaria fora do resto da temporada. Mallett entra em ação e, entre um de seus feitos, consegue uma vitória em casa contra o Pittsburgh Steelers. Mesmo o time conseguindo apenas um 2-4 após a saída de Flacco, a atuação de Mallett não foi tão ruim.

Então veio o inferno astral de Mallett.

Durante o Training Camp, as notícias de lesão para todos os lados deixaram a torcida assustada. Incluindo aí o nosso QB titular, afastado por um problema nas costas. O que se ventilou imediatamente, é que ele ficaria afastado por até 6 semanas. Some a isso a notícia das CINCO interceptações do substituto de Joe. Temos o pânico instaurado entre a torcida.

Mallett Enfrentando Washington Redskins
Ryan Mallett contra Washington Redskins. (Derik Hamilton/USA TODAY Sports)

Enfim chegou o primeiro jogo da pré temporada. A disputa era em casa contra o Washington Redskins. Hora de colocar Mallett à prova. E o que se viu, mesmo não sendo o pior dos mundos, também não foi nada empolgante. Mallett encontrou dificuldade de conectar os passes, aproveitando apenas metade deles. Durante o primeiro quarto de jogo, as melhores oportunidades vieram dos pés de Terrance West, que fez uma partida muito boa.

Começa a segunda metade do jogo e John Harbaugh decide experimentar David Vaughan. Infelizmente, David não consegue se manter em pé em campo. Seu baixo desempenho também teve o apoio da linha ofensiva que, se a titular não é lá essas coisas, não a reserva não ficava longe.

Entra então o desconhecido Josh Woodrum, debutando na NFL finalmente. E, no final do terceiro quarto da partida, em um 1st & 10 da linha de 33 jardas, consegue conectar um passe para Tim Williams, outro destaque da partida. A jogada termina em um Touchdown, o segundo dos Ravens no jogo.

Depois, já no Two Minute Warning, outra conexão, dessa vez de 45 jardas para C.J. Board, que se adiantou ao marcador para buscar a bola lá no alto. A partida terminaria ali mesmo, na linha de 45 jardas do campo de defesa, com um aproveitamento de 100% de Woodrum. Apesar do baixo número de tentativas, o então QB 4 teve rating maior e conseguiu avançar mais jardas que  Mallett e Vaugham somados.

Números de passes de Woodrum em comparação com os demais
Passes dos QB’s contra os Redskins (MSN Sports)

No jogo seguinte o time não contava mais com Dustin Vaughan, dispensado no dia seguinte à disputa contra os Redskins. O adversário agora era o Miami Dolphins no Hard Rock Stadium e seu péssimo gramado. Era a estréia de Jay Cutler nos Dolphins, além da presença do RB Jay Ajay e o WR Jarvis Landry.

Em uma partida com lampejos de talento de Jay Cutler e uma péssima atuação dos Special Teams de Miami, a atuação de Mallett mais uma vez não foi das melhores, com direito a duas interceptações na primeira metade do jogo, embora a segunda tenha sido motivo de dúvida pela arbitragem. Por sorte, o QB2 dos Ravens conseguiu achar o TE Larry Donnell sozinho na endzone para anotar um passe de terceira descida para duas jardas.

Entra então na segunda metade do jogo o, agora, QB 3 de Baltimore e, durante os dois quartos finais, faz exatamente o que descrevi na primeira linha desse texto.

1st & 10 na linha de 46 jardas de defesa. Woodrum, tentando se desvencilhar da pressão no pocket, recua 5 jardas e lança para o TE Maxx  Williams, que recebe na linha de scrimmage e avança até ser parado próximo da linha de 15 jardas no campo de ataque. A campanha dos Ravens terminaria logo em seguida: em uma 2nd & 10 ali mesmo na linha de 15 jardas, com o próprio QB correndo para touchdown.

Woodrum correria mais uma vez para dentro da endzone. Dessa vez, no começo do último quarto em uma conversão de terceira descida para meia jarda. Mais uma vez, apesar de menos tentativas que Mallett, Josh conseguiu um rating maior e com um número de jardas bem próximo.

Números de passes de Woodrum em comparação com os demais
Passes dos QB’s contra os Dolphins (MSN Sports)

Feitas as apresentações, é hora de ponderarmos algumas coisas. Obviamente estamos falando de pré temporada, e a realidade dos jogos é outra. Ainda por cima, foram dois jogos. É só o segundo ano de um jogador que, até o momento, nunca tinha jogado um jogo sequer na NFL, ainda há muita coisa pela frente. Ainda assim, o garoto conseguiu seus quinze minutos de fama, conseguindo ameaçar a posição do reserva imediato de Joe Flacco. Vamos esperar os próximos capítulos e torcer para mais atuações significativas dele.

Se o destino lhe reserva uma carreira de sucesso, tomara que seja como um Raven!

Woodrum para touchdown
Play like a raven, Woodrum! (Steve Mitchell/USA TODAY Sports)