SUBESTIMADOS

Esta semana, o analista da NFL Bucky Brooks fez um texto que gerou certa polêmica aos que acompanham notícias sobre a liga. Em sua matéria, Brooks elegeu os 10 elencos mais talentosos da liga, justificando cada escolha, apontando as principais peças atualmente, e aquelas que tendem a ser o futuro de tais franquias.

Com base nisto, resolvi falar um pouco sobre dois elencos que eu julgo os mais desmerecidos: Jaguars e Raiders. Muitas franquias se reforçaram, draftaram bem, e quase sempre são esquecidas por simplesmente não terem aquele algo mais, porém, olhando mais a fundo, é possível enxergar uma esperança de que elas surpreendam.

 

JACKSONVILLE JAGUARS

Como dito no texto da semana passada, o Jacksonville Jaguars fez um excelente draft. Jalen Ramsey, Myles Jack e Sheldon Day em 2016, aliados a Dante Fowler Jr., escolha do primeiro round do ano passado, que ainda não estreou devido a uma grave lesão, são alguns dos nomes fortes para este ano.

A free agency dos jaguares também foi interessante. Malik Jackson vem como o nome de peso para a linha defensiva. Depois de uma temporada muito boa com o Denver Broncos, o jovem defensive end de 26 anos foi um contratado a peso de ouro (U$ 85,5M) e busca trazer experiência a um elenco tão jovem.

Falando em experiência, Chris Ivory também foi para Flórida. O running back fez uma temporada muito sólida no New York Jets, e mesmo sendo um nome que ainda gera muita desconfiança, é uma aquisição importante para um setor que exigia uma melhoria.

A chegada desses atletas torna o elenco do Jaguars muito promissor. Blake Bortles e seus recebedores já mostraram para todos que são capazes de dominar as defesas adversárias, mas faltava aquele algo a mais. Kelvin Beachum, left tackle que veio do Steelers dá mais segurança ao lado cego de Bortles e auxilia nos bloqueios para as corridas.

Jacksonville tem um time jovem, mas experiente. Muitos nomes já estão na liga a pelo menos 4 anos e podem transmitir conhecimento aos que chegam agora. Blake Bortles, Allen Robinson, Allen Hurns, T.J. Yeldon, Chris Ivory, Juluis Thomas, Luke Joeckel, Prince Amukamara entre outros tornam esta equipe muito interessante e vale a pena ficar de olho.

 

OAKLAND RAIDERS

A famosa marca de bonés que vemos aos montes aqui no Brasil está montando um time que definitivamente é forte. Muitos não se lembram que um dia Oakland foi a cidade do futebol americano e revolucionou o esporte. Felizmente, esta realidade volta a aparecer e dar um respiro para esta franquia tão importante.

Latavius Murray, Derek Carr, Amari Cooper e Michael Crabtree. Quem diria que esses jogadores supreenderiam tanto em 2015. O quarteto foi responsável por mover as correntes em Oakland, mas sozinhos seria difícil alcançar os playoffs. Era preciso reforçar a linha ofensiva, e a chegada de Kelechi Osemele, guard originalmente dos Ravens, é a promessa de que o setor estará mais seguro. Apesar de não achar esta uma contratação que valha o preço que foi pago (U$ 58,5M), não há como negar que é uma aquisição de peso (o menino pesa “só” 151 kg). A permanência de Donald Penn foi um dos grandes acertos do clube, já que o left tackle é uma das peças mais importantes da linha ofensiva.

Na defesa, Sean Smith e Bruce Irvin se juntam ao ex-colega de Seahawks, Malcon Smith, Khalil Mack e Aldon Smith, que apesar de ter que se provar no Raiders, continua sendo um jogador excepcional. Reggie Nelson, apesar de seus 32 anos, foi o líder da liga em interceptações na última temporada, e poderá ensinar muito a Karl Joseph, safety que veio através da primeira escolha geral do draft deste ano. Jihad Ward, defensive end escolhido na segunda rodada também é um jogador para ficar de olho. Originalmente ele atuou como wide reciever, tight end e safety, o que prova sua habilidade atlética, mas deixa uma pulga atrás da orelha sobre sua técnica.

Em suma, o Raiders é um time equilibrado. Mistura bons prospectos, com nomes já consagrados e atletas jovens em franca ascensão. Sendo bem treinado, não seria surpresa nenhuma se eles voltassem a figurar as finais da liga.

Para vocês, quais as franquias mais subestimadas da NFL?