Chegamos à semana de folga, e o cenário não poderia ser melhor, um record de 7-1, uma defesa jogando em altíssimo nível contra fortes oponentes, um ataque que surpreendeu com a ausência de Drew Brees e mais recentemente de Alvin Kamara, além de um sólido time de especialistas. Antes de falar das premiações de meio de temporada, impossível não ressaltar o fato que Drew Brees é realmente diferenciado, a lenda de New Orlenas além de voltar antes do esperado, jogou como se não tivesse se machucado e teve um desempenho a la Brees, o que só pode deixar a torcida empolgada, pois sabemos como é difícil se manter 100% fisicamente na liga, e Drew voltará da bye com apenas dois jogos completos e 7-1 no record. Esse período de oito semanas serviu para mostrar algo vital para uma equipe que quer ser campeã, a capacidade de superar adversidades, isso com certeza deixará todos os atletas mais prontos para a fase decisiva de temporada. Vamos agora as premiações:

  • MVP: Michael Thomas

Falar de Thomas é chover no molhado, todo o mundo da NFL sabia do seu potencial, mas o que ele vem fazendo essa temporada é extraordinário. Apesar de ser minoria, havia aqueles que duvidavam de Thomas e de sua produção em um possível cenário sem o Hall Of Famer Drew Brees lançando para ele. Pois bem, o recebedor jogou cinco partidas com o bom (porém muito inferior a Brees) Teddy Bridgewater, e seu desempenho foi praticamente o mesmo, hoje ele é líder da liga em jardas e recepções. Até o momento Thomas fez cornerbacks como Kyle Fuller e Patrick Peterson parecerem meros calouros e para mim impossível não dar o título de MVP de meio de temporada para esse monstro que está quebrando recordes atrás de recordes.

  • Jogador Ofensivo da Temporada: Ryan Ramczyk

Tirando Michael Thomas, havia muitas opções para esse título, não coloquei Kamara por ter perdido os dois últimos jogos, e apesar das ótimas atuações de Teddy B e Latavius Murray, eu tinha que escolher alguém da linha ofensiva que vem sendo simplesmente perfeita. E o cara para mim foi Ryan Ramczyk, o nível que ele vem apresentando em sua terceira temporada é assustador, indiscutivelmente está no padrão All Pro. Sabia-se que para Bridgewater ter um bom desempenho seria fundamental ter o apoio do jogo corrido e um pocket limpo, o que seria impossível sem uma boa linha ofensiva, e o Saints tem uma das melhores da liga. Os dois Tackles são de altíssimo nível, mas escolhi Ramczyk pelo sucesso nos duelos contra JJ Watt e Khalil Mack, dois dos melhores pass rushers da liga e que não fizeram absolutamente nada.

  • Jogador Defensivo da Temporada: Vonn Bell

Essa escolha foi muito difícil de ser feita, a defesa do Saints está jogando bem em todos os níveis, e não tem um elo fraco. Fiquei em dúvida entre Bell, Lattimore, Jordan, Davis e Marcus Williams, e acabei optando por Bell pela sua versatilidade e pela forma como está aparecendo em momentos chave. Temos uma secundária muito jovem, e Bell é o líder dela, ele joga em todos os níveis e sempre foi muito bom em blitz e no jogo terrestre, mas precisava melhorar a cobertura para realmente elevar o seu patamar, e foi o que fez. Ele hoje é um safety completo, é raro ver algum snap onde ele não está em cima do recebedor. A razão decisiva para eu ter escolhido Bell foi o seu fator clutch, não fossem seus fumbles em momentos cruciais em algumas partidas, talvez não estivéssemos 7-1. Hoje ele é um dos pilares da defesa e um dos jogadores mais consistentes do time, raramente oscila.

  • Calouro do ano: Chauncey Gardner-Johnson

Essa foi a escolha mais difícil a ser feita, acho que se fizesse o texto há uma semana, provavelmente teria escolhido Erik McCoy, que vem sendo uma rocha como Center em uma das melhores linhas ofensivas da liga. Mas eu sou fã do CGJ, desde a época da universidade, e ele mostrou na semana oito, sua primeira partida como titular no slot, o quanto pode ser valioso para a equipe. Assim como Bell, Johnson é um defensive back completo, e mostrou isso nas partidas com TFL’s e PBU’s fundamentais. No meu time ideal, CGJ é nosso titular no slot, e PJ vai sofrer para voltar após a sua suspensão.

  • Surpresa: Deonte Harris

Depois do prêmio de MVP, esse foi o título mais fácil de se escolher. Cheguei a cogitar Latavius Murray e Bridgewater, que excederam expectativas, porém todos sabiam dos seus potenciais, Harris é a revelação da temporada. Há quanto tempo o Saints sofre e não tem um retornador de respeito? Marcus Murphy teve seu breve momento na equipe, e ninguém queria ver Kamara se arriscando, então o último que tivemos que impunha medo aos adversários era Darren Sproles. E eu acredito que Harris pode trazer essa virtude para nosso time de especialistas, ele sempre tem retornos perigosos, e além de já ter um TD anotado, teve um anulado por falta. Se melhorar no quesito proteção, pode ser uma peça valiosa para a equipe, além de poder contribuir também no ataque.

  • Obrigado Teddy Bridgewater

Não poderia finalizar o meu texto sem fazer menção a Teddy Bridgewater, que foi colocado em uma das situações mais complicadas possíveis. Imagina só ter que substituir um dos melhores jogadores da história, ídolo da equipe e da cidade, em um ano que o time está visando grandes conquistas? Esse foi o cenário que Teddy entrou, e lidou da melhor forma possível, nem o mais otimista imaginava tamanho sucesso. Ele estava sob o comando de uma das mentes ofensivas mais criativas da liga, e ter entrosamento com Sean Payton e conseguir comandar o ataque do Saints é um feito que pouquíssimos quarterbacks da liga conseguiriam, mas Bridgewater o fez. Mostrou-se também um grande líder e ganhou o carinho da torcida, e se antes eu não o via como o sucessor de Brees, hoje penso que ele fez por merecer pelo menos a chance de mostrar que consegue ser titular da liga pela equipe. Por esses cinco jogos, pela sua humildade em campo, meu MUITO OBRIGADO Teddy!

DEIXE UMA RESPOSTA